• Português

A dispensação dos tempos

Uma das maneiras usadas para “manejar bem a palavra da verdade” (2 Timóteo 2:15) é distinguir as fases na administração, ou dispensação, do relacionamento de Deus com o homem. A palavra grega traduzida como “manejar bem” aqui é “orthotomeo” que se traduz como “dividir corretamente”. Identificamos sete fases consecutivas na dispensação de Deus com relação ao homem, cada uma correspondendo a um “tempo” bem definido.

Cada fase contém:

  1. Uma pessoa principal
  2. A responsabilidade do homem
  3. O teste de obediência
  4. A falha do homem
  5. O julgamento do homem
  6. A graça de Deus

As características e principais eventos de cada um dos sete tempos vèm a seguir:    

 

 

 

 

Desde o passado do infinito, antes da criação do homem, Deus já existia, e já havia criado seres espirituais inteligentes em grande quantidade, comunicáveis entre si, para Seu serviço. Um deles aparece no fim deste tempo da Inocência do homem, e agiu para terminá-lo (leia adiante).

No sexto dia da criação Deus criou o homem do pó da terra, e a partir dele criou sua mulher (Gênesis 1:26 a 31). O homem recebeu o nome de Adão (hebraicoAdamah,ouIshque significa “terra”) e a mulher Eva (hebraicoIshá,feminino deIsh). Aos dois foi dado o domínio sobre toda a terra (Gênesis 1:29). É esclarecedor saber que no capítulo 1 de Gênesis a palavra “Deus” é a tradução do grego “Eloim”, plural de “Eloi”, devido à pluralidade da Pessoa de Deus (Pai, Filho e Espírito Santo). Por isto está escrito no versículo 26: “façamos...”.

A criação do homem à imagem e semelhança de Deus significa que, tendo o homem sido colocado na terra no ápice da criação, ele se assemelha a Deus em certos aspectos. Como Deus, o homem tem intelecto, uma natureza moral, o poder de se comunicar com os outros e uma natureza emocional que transcende o instinto, mas não há nenhuma sugestão de semelhança física. É também tripartite, integrando corpo, alma e espírito. Em contraste com os animais, o homem é um adorador, um comunicador articulado e até certo ponto, um criador.

 

autor: R David Jones.