• Português

A Igreja de Deus e sua liderança (2)

 

4. COMO ESSA LIDERANÇA É CONSTITUÍDA?

“Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue” (Atos 20:28).

Atrapalhamos a igreja quando fazemos do nosso modo. Não temos de constituir uma liderança tendo em vista que isso é uma obra do Espírito Santo. É muito comum entre as igrejas locais fazer uma eleição de presbíteros e, quando se faz isso, os critérios que se destacam às vezes são dinheiro, família, posição social e nunca os princípios que o Senhor nos deixou em Sua Palavra.

Pensemos bem!  Se é o Espírito Santo que constitui os anciãos na igreja, não temos que eleger ninguém, apenas temos que reconhecer os que são por Ele constituídos: “rogamos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam” (1 Tessalonicense 5:12).

A igreja dever ser ensinada a reconhecer os anciãos, foi isso que os apóstolos do Senhor ensinaram. Vamos observar estes ensinos: “Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituísses presbíteros, conforme te prescrevi: alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados. Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância; antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si, apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem” (Tito 1:5-9).

Não vou comentar sobre cada palavra que descreve aquele que pode ser reconhecido como ancião, volte a ler os versículos acima e note as qualidades que o servo de Deus tem que ter para ser reconhecido como um dos anciãos na igreja local.

Compare a listagem de Tito, com a de 1 Timóteo: Fiel é a palavra: se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja (obra, não posição). É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento; e que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo. Pelo contrário, é necessário que ele tenha bom testemunho dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo” (1 Timóteo 3:1-7). 

5. QUALIDADES DESTACADAS

Irrepreensível – Um irmão que não pode ser repreendido ou acusado de nada. Eu me lembro de estar em visita a uma região e um servo do Senhor estava se recuperando de uma perna quebrada e por isso não podia ir às reuniões, passei um dia com ele, estava deitado na sua cama com a Bíblia ao lado. Peguei a Bíblia por alguns instantes e foi gracioso ler uma dedicatória da pessoa que a deu de presente e lá estava escrito: “Esse irmão por tantos anos serve ao Senhor e nunca passou por uma repreensão ou disciplina”. Um ancião de verdade!

Esposo de uma só mulher – O Evangelho demonstra a necessidade de uma pureza moral, apesar do fato de muitos evangélicos (não a Igreja de Deus) estarem aceitando com muita facilidade a desestruturação da família. Atualmente filhos de pais crentes andam tatuados, mergulhados numa vida deplorável, alguns até perdendo cedo a vida. O Evangelho é o mesmo hoje, a igreja é a mesma dos tempos apostólicos, a missão da Igreja de Deus é ser Luz e Sal, iluminar o caminho certo para os pecadores e temperar suas vidas com santidade, a fim de que o nome do Senhor seja glorificado.

Que tenha filhos crentes – Filhos crentes que não sejam acusados de dissolução e nem sejam insubordinados.

Despenseiro de Deus irrepreensível – O que se requer de um despenseiro é que seja fiel (1 Coríntios 4:2). O despenseiro de Deus é alguém que cuida de tudo que Deus colocou em suas mãos para fazer. Se temos que ter uma vida santa na presença de Deus e dos homens, temos também que ser fiéis na administração da Palavra aos salvos e em tudo que diz respeito à obra de Deus.  Quando o Senhor Jesus voltar, será que vamos estar agindo com fidelidade a Ele?          

Não arrogante – Que não seja orgulhoso, insolente, atrevido.

Não irascível – Uma pessoa que não se irrita com facilidade.

Não dado ao vinho – Ou seja, uma pessoa sem domínio próprio, que se entrega facilmente às bebidas alcoólicas, conforme 1 Coríntios 6:10... “nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus”.

Continue considerando as outras palavras: violento, cobiçoso, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si, apegado à palavra fiel... Se constantemente o ensino destes textos for passado à igreja, sem dúvida os irmãos saberão quem são os anciãos, e certamente os respeitarão, mesmo que não sejam apontados como tais. A palavra “constituir” que aparece em Tito tem na língua original o sentido de “apontar”, tanto é que Tito só apontaria os que preenchessem as qualificações dadas pelo apóstolo Paulo, eles seriam os presbíteros.

6. QUAL DEVE SER A PREOCUPAÇÃO DOS ANCIÃOS?

“Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue” (Atos 20:28). Antes de se preocuparem com o rebanho, os anciãos devem se preocupar com a sua vida espiritual (atendei por vós), principalmente porque eles devem liderar a igreja pelo seu exemplo, sua vida tem que ser um modelo a ser imitado pelos irmãos. Veja o exemplo de Paulo: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo” (1 Coríntios 11:1). Eu não posso pedir aos irmãos que me imitem se eu não estiver imitando o Senhor Jesus Cristo em meu viver.  Um ancião não tem poder em suas palavras se estiver fazendo coisas que o desabonam como um ancião, se ele não for irrepreensível é melhor que não exerça a liderança.  Infelizmente as pessoas sempre apontam o dedo para os outros, mas se esquecem de que na sua mão tem três dedos apontando para si próprios.

POR TODO O REBANHO

Uma vez que cuidamos bem da nossa vida espiritual, podemos com muito amor olhar por todo o rebanho. Em outras palavras, estamos aptos para esse excelente serviço na obra de Deus: “Fiel é a palavra: se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja”(1 Timóteo 3:1). Seria bom se lembrássemos da colocação que Paulo fez: ”Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue” (Atos 20:28). Temos o lindo privilégio de pastorear a igreja, mas temos que lembrar que a igreja é de Deus não nossa, somos apenas servos de Deus no serviço sagrado de pastorear a Igreja de Deus. Há no nosso mundo, desde o primeiro século, pessoas que se acham donos da igreja e agem de uma forma prejudicial à Obra de Deus, vamos a um exemplo: “Escrevi alguma coisa à igreja; mas Diótrefes, que gosta de exercer a primazia entre eles, não nos dá acolhida” (3 João v. 9). Você já pensou um homem na liderança de uma igreja não aceitando o ministério do apóstolo João? Isso é incrível, mas aconteceu lá no primeiro século e continua acontecendo até hoje. Não esqueçamos: a igreja é de Deus!

DEFENDER O REBANHO – Dos ataques que vêm de FORA da igreja.

Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho” (Atos 20:29). O rebanho é de Deus, somos dotados do ”dom de pastorear” e devemos defender o rebanho dos ataques dos devoradores. Paulo disse aos anciãos em Éfeso que entre eles penetrariam lobos, que não poupariam o rebanho.

Quem são esses lobos? Se nós não soubermos discernir quem são os lobos, como vamos defender o rebanho? Vamos considerar as palavras do Senhor Jesus sobre o assunto: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15).

Não é fácil discernir quem é o lobo, pois ele se apresenta disfarçado em ovelha, observe que o Senhor nos dá uma direção para saber quem é lobo: “Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos?” (Mateus 7:16). Pois então, para discernirmos se uma pessoa é de Deus, ou não, temos que analisar a vida dessa pessoa. O fruto é o que ela faz, é como ela vive, é o que sai dos seus lábios etc.

A pessoa pode se mostrar muito religiosa, com uma aparência de piedade, mas se você analisar a sua vida no dia a dia, mais cedo ou mais tarde vai descobrir que essa pessoa, apesar de parecer religiosa, vive de forma desordenada e compactua com o pecado. “Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade” (iniquidade é todo tipo de pecado). “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” (Mateus 7:21-23). A Vontade de Deus está expressa em toda a Bíblia, mas nem todos se preocupam com ela.

DEFENDER O REBANHO – Dos ataques que vêm de DENTRO da igreja.

“Dentre vós mesmos, se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles” (Atos 20: 30). Talvez esse seja o perigo maior, pois se os anciãos não estiverem atentos, chegará o momento quando não conseguirão mais consertar o mal.

Coisas pervertidas, na língua original significa desviar, torcer, desencaminhar. Há a possibilidade de alguns líderes, querendo arrastar os discípulos para si, distorcerem as Escrituras, desencaminhando os crentes do caminho da verdade. Temos hoje muitos tentando trazer os erros denominacionais para a Igreja de Deus, tentando introduzir erros como: Nomear um pastor; introduzir o divórcio como coisa normal e aceita por Deus; introduzir de forma geral o mundanismo na Igreja de Deus etc. Os anciãos têm a responsabilidade de proteger o rebanho de Deus de todos estes males.

CUIDAR DO REBANHO DE DEUS

Não podemos cuidar do rebanho se não conhecermos as suas necessidades, Davi foi um pastor de ovelhas e ele nos dá algumas dicas que são importantes no trato com o rebanho. Poucos animais são tão indefesos como as ovelhas. Com muita pouca defesa contra inimigos naturais, pouco senso de direção e nenhuma capacidade para encontrar seu próprio alimento, elas são muito dependentes do homem para prover as suas necessidades.  No tempo em que não havia cercas, os proprietários de ovelhas tinham que ficar com elas no deserto, algumas vezes durante meses de uma só vez.

O pastor tinha que providenciar para as ovelhas tudo que elas não podiam providenciar para si mesmas. Ele procurava pastos verdes onde pudessem encontrar comida (1 Crônicas 4:39-40) e as conduzia gentilmente para lá, sempre cuidadoso com as que estavam com filhotes (Isaías 40:11). Ele as protegia até com sua própria vida. O jovem Davi relatou a Saul como tinha arrancado um cordeiro da boca do leão e tinha matado leões como ursos por conta disso (1 Samuel 17).

Dando tanto de si mesmos ao cuidado das ovelhas e estando tão frequentemente sem companhia humana, o pastor desenvolvia uma íntima amizade com as ovelhas. Ele dava nome a cada uma; as ovelhas conheciam a sua voz e vinham quando ele as chamava (João 10:3-4). Ele as contava todas as noites para ter certeza de que estavam todas a salvo no aprisco (Jeremias 33:13). Se ao menos uma estivesse faltando ele esquadrinhava o campo para encontrá-la (Lucas 15:4).

PASTOREAR O REBANHO DE DEUS

Não é sem motivo que a Igreja de Deus é chamada de rebanho de ovelhas. E que os anciãos são convocados a pastorear esse rebanho. É da responsabilidade dos presbíteros providenciar também os alimentos necessários. Pastorear é proteger contra os lobos, é conduzir o rebanho aos verdes pastos, e levá-lo para as águas tranquilas. Exemplo: “E partiu Barnabé para Tarso à procura de Saulo; tendo-o encontrado, levou-o para Antioquia. E, por todo um ano, se reuniram naquela igreja e ensinaram numerosa multidão. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos” (Atos 11:25-26).

O alimento que fortalece o povo de Deus é o ensino da Palavra de Deus. Barnabé sabia disso e sentindo essa necessidade foi em busca de Saulo. É um belo exemplo para nós, se os anciãos locais sentirem necessidade devem fazer o mesmo que Barnabé fez. Promover ensino da Palavra e, havendo necessidade, buscar irmãos que são dotados do “dom de mestre” a fim de fortalecer o rebanho de Deus.

Notemos que o resultado foi positivo, pois lemos que em Antioquia foram os irmãos pela primeira vez, chamados cristãos. Ensinados corretamente, o mundo pode ver a Cristo na vida de cada um deles, isso é muito bom!  Vemos outro resultado positivo do ensino: “Havia na igreja de Antioquia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, por sobrenome Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes, o tetrarca, e Saulo” (Atos 13:1).

Além da preocupação com o ensino da Palavra, os anciãos devem se preocupar em deixar um exemplo de vida com Deus que poderá ser seguido pelos irmãos, mesmo depois que eles partirem: “Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos pregaram a palavra de Deus; e, considerando atentamente o fim da sua vida, imitai a fé que tiveram” (Hebreus 13:7).

Os líderes muitas vezes gemem e choram por verem a desobediência de alguns irmãos, pois eles velam pelas suas almas, querem ver o bem de todos e muitas vezes são mal interpretados, desprezados, e tudo isso faz com que sofram muito. Não deveria ser assim: “Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros” (Hebreus 13:17).

PASTOREAR O REBANHO DE DEUS SEM CONSTRANGIMENTO

“Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes, tornando-vos modelos do rebanho. Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória” (1 Pedro 2:2-4). Constranger é forçar, constrangido é forçado. O serviço na obra do Senhor não dever ser forçado, mas feito de forma voluntária. Eu posso estar fazendo o trabalho constrangido pelas circunstâncias, ou mesmo por familiares, ou até mesmo por outros motivos, mas o que Deus quer é que Seus servos sejam espontâneos, de coração aberto, com alegria.

PASTOREAR O REBANHO DE DEUS SEM SÓRDIDA GANÂNCIA

Sórdida ganância é o desejo de ganhar dinheiro de forma degradante, ou como diz a tradução corrigida, “de forma torpe”. O trabalho do Senhor deve ser feito sempre com interesses espirituais, desejando o bem dos irmãos, nunca desejando o que eles têm: “Não que eu procure o donativo, mas o que realmente me interessa é o fruto que aumente o vosso crédito” (Filipenses 4:17); “Comeis a gordura, vestis-vos da lã e degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas” (Ezequiel 34:3).

PASTOREAR O REBANHO DE DEUS NÃO COMO DOMINADORES

Dominadores são aqueles que amam o poder e a glória humana, não se contentam em servir ao Senhor e a igreja como humildes servos.  São como os fariseus que sempre se exaltavam sobre as demais pessoas. Veja o que os fariseus amavam: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste. Quando, pois, deres esmola, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa. Tu, porém, ao dares a esmola, ignore a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita; para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa” (Mateus 6:1-5). Vejam ainda: “Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem. Atam fardos pesados e difíceis de carregar e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los” (Mateus 23:3-4).

É muito fácil mandar em outros e nós mesmos não fazermos nada, “isso é farisaísmo”. Fazer a obra com a intenção de se propagar, ou ser visto pelos homens como um homem de Deus, isso também é farisaísmo. Nós temos um exemplo clássico de um dominador no Novo Testamento: “Escrevi alguma coisa à igreja; mas Diótrefes, que gosta de exercer a primazia entre eles, não nos dá acolhida. Por isso, se eu for aí, far-lhe-ei lembradas as obras que ele pratica, proferindo contra nós palavras maliciosas. E, não satisfeito com estas coisas, nem ele mesmo acolhe os irmãos, como impede os que querem recebê-los e os expulsa da igreja” (3 João vs. 9-10).

Esse homem agia como um forte dominador para colocar o rebanho contra os apóstolos e proferia palavras maliciosas contra os servos de Deus. Não acolhia os apóstolos e ainda impedia os irmãos de os acolherem. Para exercer a primazia ele tinha que diminuir seus irmãos. Um dominador do rebanho! Sem dúvida existem muito Diótrefes hoje nas igrejas de Deus.  Os anciãos ou presbíteros devem dar à igreja um exemplo de vida cristã santificada, de humildade e fé; fidelidade ao Senhor e à Sua Palavra deve caracterizar a vida destes servos: “Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mateus 23:12).

 

autor: Alberto Espigari Trinck.