• Português

A primeira carta de Paulo a Timóteo (3)

CAPÍTULO 3

BISPOS E DIÁCONOS
1 Timóteo 3:1-16

O CARÁTER DO BISPO – Versículos 1-7

Eis a segunda "palavra fiel" das Epístolas a Timóteo e a Tito – "O Controle da Igreja", descrevendo o caráter daquele que deseja ser reconhecido como bispo ou presbítero numa igreja local.
Note que, nas igrejas apostólicas, bispos e presbíteros são as mesmas pessoas (veja Atos 20:17, 28) e havia uma pluralidade deles em cada igreja. Houve presbíteros entre os crentes em Jerusalém (Atos 11:30; 15:2,4,6,22,23); não lemos que os apóstolos os "apontaram"; em Atos 14:23, Paulo e Barnabé "apontaram" presbíteros nas igrejas que eles mesmos tinham fundado (Derbe, Listra, Icônio e Antioquia); e Paulo mandou Tito a "pôr em ordem as coisas restantes" e que "constituísse presbíteros em cada cidade", conforme o caráter marcado (Tito 1:5-9).
Hoje não temos apóstolos nem "delegados apostólicos" para apontarem bispos (presbíteros), mas nesta Epístola temos as características pelas quais podemos reconhecer os irmãos que o Espírito Santo marcou para esta "excelente obra" (v. 1), a qual exige qualidades bem salientadas de caráter cristão:

A) Sem censura com respeito ao seu comportamento geral; não polígamo; bem controlado; não fanático; ordeiro; hospitaleiro; com capacidade para ensinar. Abstendo-se de bebidas alcoólicas; não briguento, mas pacífico; sem amor ao dinheiro (versículos 2 e 3).

B) O presbítero deve saber manter disciplina (sem ser arrogante, nem violento), a sua família estando em ordem, obedecendo-o com todo respeito. É triste e vergonhoso ver um presbítero cuja esposa e/ou filhos são mundanos e desobedientes. Ele mesmo pode ser um bom crente, porém lhe falta a qualidade de liderança (versículos 4 e 5).

C) Ele não deve ser um novo convertido, de cujo comportamento na sua nova fé nada se pode saber; ele não terá bastante conhecimento para ensinar outros e poderá cair no pecado do orgulho. Os de fora deviam testemunhar do seu bom caráter como cristão e isto necessita de tempo. Foi o orgulho que fez cair a Satanás (veja Isaías 14:12-15) e este tenta os homens com a mesma armadilha (versículos 6 e 7).

O CARÁTER DO DIÁCONO – Versículos 8-13

A palavra "diácono" na Bíblia significa simplesmente "um servo" e veio a ser aplicada a irmãos (e irmãs) que serviam a igreja numa capacidade determinada e reconhecida – tais como tesoureiro, secretário, bibliotecário, hospedeiro. Geralmente se entende que tal serviço é de natureza material, porém feito por crentes piedosos e espirituais ("cheios do Espírito Santo" e "de boa reputação" – Atos 6:3):

A) De bom caráter cristão, não bebedores de muito vinho, nem mentirosos. Devem ser crentes sinceros; o "mistério da fé" é o próprio Evangelho, a mensagem de Cristo que tem que ser anunciada (versículos 8 e 9).

B) O caráter e a capacidade do diácono devem ser provados antes de ele ser reconhecido formalmente pela igreja como diácono; ele tem que ser estritamente honesto e discreto, com esposa de caráter digno e filhos obedientes e ordeiros. O galardão de um serviço bem desempenhado será uma posição, uma preeminência, na igreja, com bastante crescimento na fé e no conhecimento do Senhor, com coragem para testemunhar do Evangelho em cada oportunidade (versículos 10-13).

Nota: Poderíamos aumentar bastante os comentários sobre estas qualidades essenciais para bispos e diáconos, porém há somente um ponto que queremos acrescentar: tais qualidades não descrevem dons especiais ou excepcionais possuídos unicamente por presbíteros ou diáconos. Ao contrário, são qualidades que pertencem à vida cristã comum; poderiam ser consideradas como assuntos para exortações aos crentes em geral, pois "ser irrepreensível" no seu caráter cristão devia ser o alvo de todo crente.

A IGREJA, CASA DE DEUS – Versículos 14-16

Paulo esperava ver Timóteo "em breve", mas escreveu esta Epístola para salientar a importância de conduta certa nos que formam a Igreja de Deus, a qual é a grande testemunha de Deus no mundo, sendo ela a "Casa de Deus", ensinando e defendendo a Verdade.
O Senhor Jesus Cristo é a "Piedade" (v. 16) personificada e revelada historicamente aos homens:

A) Encarnação: o Filho de Deus fez-Se homem (João 1:14);

B) Justificado: vindicado como o Justo (Marcos 9:7; Lucas 23:47);

C) Visto por anjos: nascimento; Getsêmani; ressurreição; ascensão;

D) Pregado: entre as nações, pelo Evangelho;

E) Crido: pela igreja universal;

F) Recebido na glória: no trono de Deus (Atos 1:11; 7:56).

Assim se resume a carreira triunfante do Senhor Jesus, o Messias, Deus em carne, Salvador do mundo e Cabeça da Sua Igreja.

autor: Richard Dawson Jones.