• Português

A segunda carta de Paulo a Timóteo (2)

CAPÍTULO 2

A LEALDADE A CRISTO
2 Timóteo 2:1-13

Neste primeiro trecho do capítulo 2, Paulo continua as suas palavras de encorajamento a Timóteo, lembrando-o da fonte de todo poder - Cristo. Ele descreve a luta cristã por meio de três figuras: o soldado, o atleta e o lavrador. Nesse mesmo poder, Paulo também lutava, sofria e... venceria.

A PERMANÊNCIA DO EVANGELHO - Versículos 1-2

Timóteo tem de ser poderoso no trabalho que Deus lhe deu - com o poder proveniente da "graça" de Cristo. Esta palavra "graça" inclui o poder e os dons do Espírito Santo, dados pela fé em Cristo.

Também os ensinos apostólicos recebidos por Timóteo tinham de ser transmitidos por ele a homens fiéis (que não os mudariam) e idôneos (capazes de ensiná-los a outros). Claramente, os crentes que, como Timóteo, tinham ouvido as pregações de Paulo, podiam comunicá-los a outros conforme a sua memória e capacidade. Mas desde a morte daquela geração, nós temos "ainda mais confirmada" a doutrina apostólica, nos livros do Novo Testamento. Ai daquele que ensina como "apostólico" ou "cristão" aquilo que não condiga com a doutrina do Novo Testamento!

DISCIPLINA E GALARDÃO - Versículos 3-7

Haverá coisas desagradáveis ou difíceis no serviço cristão, se for feito satisfatoriamente. Tal serviço está descrito por três comparações:

  1. O soldado (v. 4). Uma vez alistado, o soldado leal deixa inteiramente os negócios, responsabilidades e atrações da vida civil; ele se aplica somente aos exercícios e deveres militares e a tudo que está ligado com o bom sucesso na guerra. Ele busca a promoção e se esforça para agradar aos seus superiores. Para o cristão, "os negócios desta vida" significam os prazeres, as riquezas e as ocupações que impeçam ou prejudiquem a vida espiritual, recebida ao converter-se a Cristo, seu Senhor.
  2. O atleta (v. 5). Aqui se refere aos jogos gregos e romanos - ginástica, corridas, pugilismo, combates entre gladiadores. Os jogos eram organizados, como os esportes nacionais de hoje, com regras, juízes e galardões. Os vitoriosos eram tratados quase como heróis de guerra (como hoje), porém tinham que obedecer estritamente as regras do jogo em que participavam e também teriam que treinar vigorosamente para manter-se em boas condições. Igualmente, o servo de Deus deve andar conforme as regras (os ensinos da Bíblia) e deve manter-se sempre em condição espiritual idônea para vencer na luta contra Satanás. Tudo isto seria por meio de muita oração, constante estudo da Bíblia e cuidadosa disciplina nos prazeres e costumes gerais.

  3. 0 lavrador (v. 6). Note bem: "0 lavrador que TRABALHA" - não aquele que somente fica ao lado do campo, olhando os outros trabalhar, ou que fica em casa com medo da chuva. 0 serviço de Cristo é trabalho mesmo, como o do lavrador do campo - e o fruto demora até o tempo próprio, mas quando aparece, então há satisfação e alegria para o trabalhador. Que gozo em ver uma alma convertida, depois de muita oração. visitas, conversas, oposição e, às vezes, inimizades. Trabalhemos, então! A terra pode ser rochosa, enganadora, cheia de espinhos, mas ao final produzirá o seu fruto e então participaremos com gozo. Tais comparações são aptas e merecem a consideração cuidadosa do servo do Senhor, o Qual lhe dará a sabedoria necessária para conseguir um trabalho satisfatório e frutuoso (v. 7).

0 EVANGELHO - versículos 8-10

"0 meu Evangelho" - assim Paulo o chama; ele não quer dizer que ele mesmo seja o inventor do Evangelho, nem que ele seja o primeiro ou o único a pregá-lo. "0 meu Evangelho" significa a mensagem que ele mesmo recebeu pessoalmente do Senhor - como os outros apóstolos - para anunciar ao mundo (veja Lucas 24:45-49; Atos 1:8; 9:6; 13:2; 22:21; 23:11- 26:15-18). 0 principal assunto do Evangelho é Jesus Cristo, verdadeiro Messias e Rei dos judeus, que ressuscitou de entre os mortos. Essa pregação trazia a Paulo "sofrimento" e até prisão como criminoso. Mas não podiam "aprisionar" o Evangelho (muitos têm desejado fazer isso até hoje!) e Paulo sofria com paciência toda tribulação para que "os eleitos" ouvissem e se salvassem pela fé em Cristo.

A PALAVRA FIEL - versículos 11-13

Esta "palavra fiel" (veja 1 Timóteo 1:15) contém quatro condições e quatro conseqüências delas:

  1. "Se já morremos com Cristo" - eis uma repetição exata de Romanos 6:8, onde o apóstolo mostra a significação do batismo (imersão) do novo crente: "morto em Cristo" e "ressuscitado com Ele" para "andar em novidade de vida" (Romanos 6:3-4). Sendo sincera a nossa profissão de fé em Cristo, a nossa vida espiritual nEle está garantida.

  2. "Se perseveramos" - isto é, se vencemos as perseguições e as adversidades desta vida, não somente seremos salvos, como também reinaremos com Cristo na glória. Veja Romanos 8:17.

  3. "Se 0 negamos" - veja as palavras do Senhor em Mateus 10:33. Esta palavra não se refere a um momento excepcional de negação (como a de Pedro), mas sim a uma vida de constante negação e desobediência a Cristo, apesar de professar ser crente. Os tais "cristãos" ouvirão a terrível sentença: "Nunca vos conheci" (Mateus 7:23).

  4. "Se somos infiéis" - isto é, "desleais" em nosso serviço (como Marcos em Atos 13) ou "incrédulos" a respeito de certos ensinos (como os discípulos em Lucas 24:25). Em qualquer caso, o Senhor não nos será infiel: Ele cumprirá a Sua palavra: o servo desleal sofrerá disciplina nesta vida, ou perda de galardão perante o Tribunal de Cristo (2 Coríntios 5:10) e o duvidoso, por não entender certa verdade, não perderá a realização dela na atualidade. Um filho é sempre e eternamente um filho (Gálatas 3:26-27). Sejamos fiéis a Cristo em tudo!

 

autor: Richard Dawson Jones.