• Português

A Ceia Do Senhor - 3

Agora vamos estudar um pouco mais do assunto, olhando para o exemplo deixado pela igreja em Corinto, e considerar a censura apostólica e os ensinos que Paulo nos dá: “Nisto, porém, que vos prescrevo, não vos louvo” (1Coríntios 11:17). O servo de Deus censura os irmãos em Corinto pelo descuido no realizar a Ceia do Senhor. Muitos erros havia na igreja em Corinto, entre eles destaca-se o erro quanto a celebração da Ceia. É muito triste sermos censurados no tocante a nossa vida com Deus, e especialmente nesta tão importante reunião. “Porquanto vos ajuntais, não para melhor; e sim para pior” (1 Coríntios 11:17).

Todo ajuntamento do povo de Deus visa um fim proveitoso, mas os irmãos em Corinto, embora pensando ser assim, se ajuntavam para pior. Que coisa triste! Será que o mesmo não acontece hoje em dia? Tomemos cuidado! Antes de entrarmos em mais detalhes da Ceia do Senhor, consideremos alguns aspectos que são os motivos dos problemas em Corinto. Nesse exame convém que perguntemos a nós mesmos: Porventura não ocorre o mesmo conosco?

  1. MOTIVAÇÃO – “Não tendes porventura casas onde comer e beber?” (1 Coríntios 11:22). Nessa expressão apostólica, percebemos que os coríntios estavam impulsionados pelo sentimento festivo mundano. A atração para eles era o comer e beber. Saiam de seus lares pensando na festa. Erraram o alvo, que é a apreciação e adoração do Senhor Jesus Cristo. Qual tem sido a nossa motivação? Quando vamos para a Ceia o que é que nos atrai? Será que não vamos à Ceia apenas por um mero costume? Ou, quem sabe, porque se não formos os outros irmãos vão reparar? Irmãos, sejamos sinceros, vamos a esta reunião tão importante somente com o desejo de adorar Aquele que deu Sua vida por nós na cruz do calvário? O Senhor Jesus Cristo!
  2. DIVISÕES - “Estou informado haver divisões entre vós quando vos reunis na igreja” (1 Coríntios 11:18). Que coisa triste! Assentados juntos, mas com o coração separado do seu irmão, é um sério problema. Paulo fala-lhes fortemente, pois não pode ser assim, um ajuntamento desta maneira resultará em juízo, daí vem a expressão, “ajuntar-se para pior”. Consideremos Hebreus 12:15 ... “Atentando diligentemente para que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que brotando vos perturbe e, por meio dela sejam contaminados”. Notem a palavra “brotando”, é no momento que essa raiz de amargura começa a aparecer que providências devem ser tomadas, não deixem o broto crescer, joguem fora do coração essa amargura. Amem o seu irmão ainda mesmo que ele não lhe ame (1 João 4:20).
  3. PARTIDOS - “Porque até mesmo importa que haja partidos entre vós” (1 Coríntios 11:19). O grande servo de Deus nos informa, por esta carta, a formação de partidos dentro da igreja em Corinto, podemos ver o princípio satânico em vários irmãos. Vejam no versículo 12: (1) O grupo que diz ser de Apolo; (2) O grupo que diz ser de Paulo; (3) O grupo que diz ser de Pedro; (4) E o grupo que diz ser de Cristo. Por esse motivo o apóstolo Paulo exorta ironicamente: “Acaso está Cristo dividido?”. Como podiam eles tomarem a Ceia para melhor? Que assunto solene! Satanás sabe que se ele dividir o povo de Deus, o testemunho cristão cai por terra e outros não se converterão. Vale aqui lembrar as palavras do nosso Senhor Jesus Cristo em João 17:20-23 ... “Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um, e como és tu, ó Pai em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia, que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos; eu neles e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade para que o mundo conheça que tu me enviaste, e os amaste como também amaste a mim”. Observe as palavras grifadas, veja a vontade do nosso Pai, que sublimidade! Quem dera o povo de Deus atendesse a este apelo da Palavra de Deus.

Examine-se, Pois, O Homem A Si Mesmo

O modo imperativo indica que é algo que deve ser feito por nós, uma ordem a cumprir. Quando esquecemos de examinar a nós mesmos, estamos em desobediência ao Senhor. Considerando essa ordem, sentimos saltar em nossa mente duas perguntas de suma importância: (1) Por que examinar-se a si mesmo? (2) Quando deve ser feito esse exame?

Para responder a primeira pergunta temos que olhar para 1 Coríntios 11:27 ... “Aquele que comer do pão e beber do cálice do Senhor indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor”. Notem que não havendo esse exame em nossa vida, pode dar-se o fato de uma participação indigna, que traria sobre nossas vidas conseqüências trágicas. Devemos lembrar que não existe em nós dignidade para tão elevado e maravilhoso culto, mas a nossa participação deve ser de acordo com a vontade de Deus, “de modo digno”.

Para respondermos a segunda pergunta, devemos olhar para 1 João 1:7-9 ... “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”. “Andar na luz” implica em continuidade, significa que diariamente estamos bem com o nosso Deus e Pai. Como pode ser isso se somos pecadores? O sangue de Jesus faz a purificação! Nós louvamos ao Senhor por tão elevada misericórdia. O que precisamos fazer é confessar os nossos pecados diariamente: “se confessarmos os nossos pecados” (1João 1:9), e como confessar sem um reconhecimento dos mesmos? O reconhecimento vem após o exame, daí vem a ordem do Senhor: “Examine-se o homem a si mesmo, e assim (perdoado) coma do pão e beba do cálice”. Quando deve ser feito esse exame? Diariamente!

A Disciplina Do Senhor

“Mas, quando julgados, somos disciplinados pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo” (1 Coríntios 11:32). Toda disciplina vinda do Senhor visa um fim proveitoso para o Seu povo. Atentem para o “não sermos condenados com o mundo”. Que maravilha! Que grande Deus nós temos, estamos seguros em Suas santas mãos, sabendo que não seremos condenados com o mundo. Devemos, portanto, temê-Lo, honrá-Lo e servi-Lo de todo o nosso coração.

Conforme o versículo 30 há três formas de disciplina. “Eis a razão por que há entre vós muitos fracos e doentes, e não poucos que dormem (pessoas que morreram)”. Fraqueza, doença e morte são disciplinas do Senhor para o cristão desobediente à Sua Santa Palavra. A única maneira de não incorrermos nestas disciplinas é julgar a nós mesmos. Notem a expressão: “Porque se nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados” (1 Coríntios 11:31). Devemos observar que este texto nada diz com respeito às disciplinas que devem ser aplicadas pela igreja, mas a disciplina aplicada pelo Senhor, pois “somos disciplinados pelo Senhor” (1 Coríntios11:32).

Pode ser que haja em nosso coração pecados ocultos, somente quem os praticou sabe, e é evidente que Deus o sabe também. Vamos considerar 1 Coríntios 4:5 ... “Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus”.

“Coisas ocultas das trevas”, o que serão? Sem dúvida, serão obras das trevas praticadas pelo cristão, pode ser que a pessoa esteja fazendo coisas erradas e escondendo de todos os irmãos, tais como a prática de jogos considerados impróprios (baralho, loteria etc.) ou a participação em negócios escusos. Também pode ser que o cristão tenha tido, ou até mesmo mantém às escondidas relações sexuais ilícitas. Na verdade ninguém sabe, por vezes a pessoa fica doente, ou até morre, mas uma coisa é certa a pessoa sabe e o Senhor também.

Todo pecado que se torna notório, e que temos provas suficientes, deve ser tratado pela igreja. Devemos notar que a disciplina do Senhor é mais severa, Ele tem condições de aplicar a fraqueza, doença e morte, mas Ele só o faz quando deixamos de julgar a nossa própria vida: “Se nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados” (1 Coríntios11:31).

Examine-se, Pois , O Homem A Si Mesmo, E Assim Coma Do Pão E Beba Do Cálice

Devemos notar que a ordem de Deus é examinar-se a si mesmo e comer do pão e beber do cálice. Tem acontecido muito entre o povo de Deus, quem se afasta da Ceia do Senhor com o pretexto de que não está em condições ou preparado para tomar a Ceia, tal suposição não tem apoio da Bíblia. Em nenhum lugar na Bíblia encontramos ensino de que o cristão deve afastar-se da Ceia. A ordem do senhor é: “Examine-se e coma do pão e beba do cálice”. E ainda, “fazei isto em memória de mim”. Portanto, se o cristão fica em casa enquanto seus irmãos estão reunidos para Ceia, está em franca e aberta desobediência à ordem do Senhor Jesus Cristo.

Devemos lembrar que os recursos, para que nossa vida esteja em dia perante o Senhor, estão a nossa disposição. O mesmo que é o nosso Advogado é também a propiciação pelos nossos pecados: “Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro” (1 João 2:1-2). Portanto, todo aquele que verdadeiramente é um cristão deve ter sempre sua vida em ordem perante o Senhor e nunca deixar de se lembrar do Senhor no Partir do Pão.

A minha oração é para que o Senhor leve o Seu povo a uma maior apreciação do Senhor Jesus Cristo e a uma melhor compreensão deste culto sagrado – A CEIA DO SENHOR.

autor: Alberto Espigari Trinck.