• Português

A história da criação (16)

 

 

Da versão original Creation´s Story
Publicada pela John Ritchie Ltd., Escócia
Versão em português autorizada pela Editora A Verdade
www.editoraverdade.com.br

CAPÍTULO 16

CARBONO – UM ELEMENTO QUÍMICO SINGULAR

Qualquer pessoa que estude ou observe o mundo natural deve ficar impressionada pela sua imensa variedade. No espaço sideral, aqui na Terra, dentro dos nossos corpos e tudo ao nosso redor, tanto a criação inanimada quanto o mundo vivo revelam variedade e beleza e, dessa forma, refletem a glória e a sabedoria do Criador. Nada que Deus faz é aborrecido ou monótono.

Apenas pense em milhões de substâncias ao nosso redor - do papel ao plástico, da cal ao queijo, da madeira à pedra, da água ao petróleo, do oxigênio ao aço, da vitamina C à aspirina ou clorofila... A lista de materiais com os quais estamos familiarizados é praticamente sem-fim. E todos eles são feitos de menos de noventa elementos diferentes, substâncias primárias para as quais cada material poderia ser reduzido. Na verdade, os materiais mais comuns são feitos de apenas cerca de vinte elementos. Os elementos mais comuns na Terra são o oxigênio, o silício, o alumínio e o ferro. Os mais importantes para a vida são o carbono, o hidrogênio, o nitrogênio e o oxigênio.

Os Elementos Químicos

Esses elementos químicos primários são os mesmos materiais básicos com os quais tudo é feito. Deus desenhou e fez cada elemento com o seu próprio tipo de átomo, diferente de qualquer outro elemento, para que eles pudessem combinar entre si de maneiras específicas para produzir milhões de compostos que agora reconhecemos. Assim, o oxigênio é um elemento, mas, combinado com silício e alumínio, cria a rocha; combinado com cálcio e carbono, faz a cal; combinado com hidrogênio é água; combinado com carbono e hidrogênio, faz a vitamina C e a aspirina além de madeira e muitos plásticos e um grande número de outras substâncias.

A Química é a ciência que estuda a composição e as propriedades de todos os materiais e tenta explicar por que eles se comportam de certas maneiras, ao examinar as suas partículas menores, chamadas moléculas. Moléculas são coleções de átomos ligados um ao outro, por vezes apenas poucos átomos ligados, como no caso da água ou do dióxido de carbono ou do metano, por vezes, em grandes quantidades de átomos, como na clorofila ou nas proteínas ou nos plásticos (chamados polímeros). Moléculas possuem formas, tamanhos e propriedades distintas, e a maioria delas é menor que um milionésimo de centímetro. A Química revela o trabalho das mãos de Deus nesse nível submicroscópico e fascinante.

Os vários átomos que compõem as moléculas têm a sua estrutura única. Cada átomo contém um certo número de partículas ainda menores, chamadas de prótons, nêutrons e elétrons. A maneira como essas partículas se arranjam é outra maravilha, pesquisada e descoberta por cientistas, mesmo que ainda não seja compreendida na sua totalidade, mas desenhada e feita por Deus. O número de elétrons na parte de fora de um átomo decide o tipo de ligação química a ser feito ao seu átomo vizinho.

Arquitetura atômica e molecular proclamam a sabedoria e a glória de Deus. O Senhor Jesus disse um dia, "Asseguro-vos que, se eles se calarem, as próprias pedras clamarão" (Lucas 19:40). Cada átomo e cada molécula nas pedras, ou em qualquer outra coisa, realmente clamam àqueles dispostos a ouvir o eloquente testemunho ao seu Criador.

Carbono – A Base da Vida

De todos os elementos, um é especial e único, o elemento carbono. É aquele do qual é composta a estrutura de todos os seres vivos. Por causa disso, o estudo dos compostos de carbono tem sido tradicionalmente chamado de Química Orgânica. Compostos de carbono são muito mais numerosos de que compostos de qualquer outro tipo de elemento, e muitos desses são encontrados em seres vivos.

Todos os organismos vivos são feitos de compostos de carbono ligado a hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e, com menos frequência, enxofre. Desses poucos elementos foram construídas todas as formas de vida e as suas funções metabólicas. É verdadeiramente maravilhoso que tão poucos elementos conseguem produzir tanta variedade, e produzi-la em condições que suportam a vida. Em adição a moléculas menores, como aquelas de dióxido de carbono, água, amônia e aminoácidos, existem moléculas maiores, como aquelas dos carboidratos, proteínas, gorduras e óleos, e, em cada classe, centenas e centenas de variações na estrutura molecular. É essa larga variedade de substâncias que permite existir tanta diversidade nas formas de vida.

Carbono é o único elemento que consegue formar uma variedade tão grande de compostos diferentes. Cada átomo consegue formar quatro ligações com átomos de outros elementos ou com outros átomos de carbono, e essas ligações podem ser simples, duplas ou triplas. Isso abre caminho a possibilidades sem fim para o carbono fazer moléculas diferentes de praticamente qualquer tamanho e forma tridimensional. O elemento mais similar ao carbono é o silício, mas ele não pode criar ligações como estas em nível significativo. Claramente, Deus desenhou e fez o átomo do carbono para se adequar às necessidades especiais da vida.

Compostos de Carbono

Os processos que sustentam a vida são muito complexos, mas também muito eficientes. Pense, por exemplo, no consumo e na digestão de produtos alimentares, na reparação de tecido danificado, no transporte de nutrientes, na respiração para suprir oxigênio que é transportado pelo sangue, produzindo energia para a ação muscular ou para funções complexas dentro das células.

Para tudo isso acontecer, as substâncias envolvidas precisam passar por mudanças (reagir) às temperaturas nas quais a vida existe. Se elas fossem muito estáveis nessas temperaturas, elas não seriam usáveis e, se fossem muito instáveis, iriam mudar muito rapidamente antes de poderem fazer o seu trabalho ou chegar ao seu destino. É um fato fascinante que apenas na temperatura onde a vida se desenvolve, esses mesmos compostos de carbono possuem essa estabilidade correta intermédia. As propriedades dos compostos e a força das ligações químicas entre as suas moléculas vão ao encontro da sua utilidade apenas nas temperaturas requeridas - será coincidência? Não, foi desenhado assim!

Repare como isso se encaixa na imagem geral. A vida precisa de uma temperatura estável entre 5 e 40°C. Nestas condições, os compostos de carbono relevantes podem reagir e mudar, e a água necessária é líquida. Isso combina perfeitamente com a temperatura da superfície da Terra. Já temos visto como essa temperatura é alcançada pelo efeito de aquecimento do Sol, moderado pela sua distância de nós e pelo efeito da atmosfera. Essa distância, por sua vez, foi determinada pela massa do planeta. Não houve correções posteriores, mudanças acidentais, ou condições evolventes para produzir a vida. É tudo um grande desenho realizado pelo nosso fiel Criador para o benefício de todas as suas criaturas! Do padrão dos elétrons ao minúsculo átomo de carbono, à posição da Terra no magnífico sistema solar - tudo isso reflete a imensa sabedoria de Deus.

As Moléculas da Vida

Os nossos corpos contêm cerca de 100 milhões de milhões de células, sendo a maioria delas cerca de dois centésimos de milímetro em tamanho. Cada célula tem a sua própria função - pele, cérebro, músculo, sangue, e aí por diante. Cada célula tem uma estrutura similar e carrega toda a informação necessária para realizar muitas tarefas complexas, a mais importante de todas sendo replicar-se a si mesma.

Células podem ser comparadas a minúsculos computadores, perfeitamente desenhadas para funcionar em materiais biologicamente codificados para produzir resultados biológicos. A informação é armazenada no núcleo da célula numa substância chave chamada de DNA (ácido desoxirribonucleico) que armazena dados de maneira mais eficiente e compactada que qualquer outro sistema conhecido (você esperava alguma coisa inferior vinda do Criador?). Tem sido calculado que a informação de cerca de um bilhão de livros poderia ser armazenada numa amostra de DNA do tamanho de uma cabeça de agulha. A estrutura e a função da molécula de DNA são verdadeiramente espantosas.

Uma célula também pode ser comparada a uma fábrica em miniatura, operando de acordo com regras específicas, usando transportes de energia e materiais eficientes para produzir certos compostos químicos. O mais importante desses são as proteínas, sintetizadas dos seus blocos de construção, feitas exatamente como o organismo precisa. Milhões de diferentes moléculas podem ser feitas desses materiais-base, mas apenas um vai ter o tamanho certo, formato tridimensional e reatividade para o seu uso final. Os complexos processos na célula (fábrica) selecionam apenas aquele que é necessário, sem nenhum subproduto hostil ou bens defeituosos! Todos os componentes de átomos de carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio se encaixam de acordo com o desenho do Criador, conforme codificado no DNA de cada célula.

Proteínas fazem uma incrível variedade de trabalhos. São construtores estruturais de tecido, catalisadores (enzimas) para reações, mensageiros e receptores de informação, defensores contra toxinas, apenas para mencionar alguns. As suas moléculas são todas diferentes e distintamente dobradas ou em espiral, mantidas em seus lugares por fracas ligações e pela interação pelo seu ambiente aquoso, dando a cada uma o formato tridimensional que é crítico para a sua função.

No centro de tudo isso, está o insubstituível átomo de carbono - uma parte fundamental do plano para dar a esse mundo variedade e beleza, forma e função. "Que isso tudo funciona, e funciona tão bem, é nada menos que miraculoso" (De um livro de ensino secular: General, Organic and Biological Chemistry by DM Feigl & JW Hill).

autor: Bert Cargill.