• Português

A história da criação (17)

Da versão original Creation´s Story
Publicada pela John Ritchie Ltd., Escócia
Versão em português autorizada pela Editora A Verdade
www.editoraverdade.com.br

CAPÍTULO 17

Homem – um ser singular

O número de espécies vivas na Terra é imenso. Elas são primeiramente classificadas pelos biologistas nos reinos vegetal e animal, depois em numerosos ramificações e tipos, até as espécies individuais. O ponto de vista da evolução é que todas elas vieram de um antepassado em comum, mudando ao longo do tempo para as suas formas atuais. O ponto de vista daqueles que acreditam na Bíblia como a Palavra de Deus é que todas foram criadas por Ele, diferenciadas entre si desde o início. Modificações ("microevoluções") aconteceram dentro de espécies estabelecidas pela reprodução seletiva e isolamento de habitat, mas a evolução a longo termo de novas espécies é uma teoria não provada, embora muito popular.

Entre milhões de espécies diferentes, uma é única. Essa é o homem. O homem não é relacionado biologicamente a qualquer animal com o qual ele possa ter uma semelhança superficial, nem a qualquer outra criatura ou ao seu ambiente, embora processos químicos semelhantes impulsionem o seu metabolismo, ou fluidos semelhantes sejam encontrados em suas células. Partilhar tais traços não é uma evidência de ligação biológica ou ancestral, embora possam argumentar tal coisa! Isso apenas significa que o Criador desenhou processos bioquímicos e estruturas de unidades perfeitos e efetivos e usou-os nos muitos seres vivos que ele criou de acordo com a Sua própria vontade. É como um arquiteto desenha diferentes tipos de edifícios, ou como um engenheiro produz máquinas extremamente diferentes. Mas uma fábrica não é igual a uma ponte ou uma escola, nem um motor de carro a um motor de avião ou uma máquina de costura!

Antes de olharmos para as muitas características do homem que são clara evidência da sua posição única na criação, vejamos primeiro com cuidado o que a Bíblia diz sobre a singularidade do homem.

"Que é o homem?"

Essa pergunta aparece quatro vezes na Bíblia: Jó 7:17; Salmos 8:4; 144:3; e Hebreus 2:6. Em cada caso, o contexto é a aparente pequenez ou até mesmo insignificância do homem no grande esquema das coisas - a efemeridade da vida perturbada de um homem em Jó 7, o imenso universo estrelado em Salmo 8 e a grandeza e bondade de Deus em Salmo 144. Mas a questão é o fato maravilhoso de que Deus colocou um interesse pessoal apenas no homem - "ponhas nele o teu cuidado", "o visites", "dele tomes conhecimento... o estimes". Embora seja evidente que Deus se importa com a sua criação, o homem é um objeto de especial atenção, afeto e propósito para Ele.

  • O homem foi criado de maneira diferente.

No sexto dia da criação, quando o homem foi feito, Deus disse algo sobre aquele ato que ele não disse sobre mais nenhum. Os trabalhos da criação de Deus eram precedidos por "Haja..." (ou o equivalente), mas, na vez do homem, lemos "Façamos..." (Gênesis 1:26-28). A Divindade realizou uma atividade deliberada, propositada e unida. Foram acrescentados outros detalhes especiais: (1) "Tenha ele domínio..." O homem foi, certamente, parte da criação, mas foi-lhe dado um domínio único, e a sua intendência. (2) "Criou Deus o homem à sua imagem." Nenhuma outra criatura teve tal dignidade e tanto potencial. (3) Deus "lhe soprou nas narinas o fôlego de vida" (Gênesis 2:7). Por um ato divino, pelo fôlego direto de Deus, o homem se tornou uma alma vivente. O seu corpo foi feito do pó da terra, ou seja, composto fisicamente dos mesmos elementos químicos que compõem a Terra, assim como "[Produziu] a terra seres viventes...segundo a sua espécie" (1:24). Mas Adão era diferente, recebendo a vida e uma alma pelo toque pessoal e sopro do Criador.

  • O homem é constituído de maneira diferente.

O homem é um "ser tripartido", constituído de "espírito, alma e corpo" (I Tessalonicenses 5:23), à imagem do seu Criador, o Deus triúno, Pai, Filho e Espírito Santo. O espírito é a parte mais importante do homem- ele permite que entremos em contato com Deus de uma maneira espiritual (João 4:24). Na morte, o espírito do homem retorna a Deus (Eclesiastes 12:7). A alma é a verdadeira pessoa ou personalidade, capaz de se envolver emocional e mentalmente com outras pessoas e coisas. A alma é imortal, vivendo para sempre no céu ou no inferno depois da morte. O corpo é a estrutura física que acomoda o espírito e a alma, por onde nos expressamos, por onde nos fazemos conhecidos aos outros, no qual somos chamados a glorificar a Deus (I Coríntios 6:20). Ele se decompõe depois da morte, para ser trocado por um novo corpo como o de Cristo na ressurreição (Filipenses 3:21). O espírito faz-nos conscientes de Deus, a alma faz-nos autoconscientes, o corpo nos faz conscientes do mundo.

  • O homem foi chamado para ser diferente.

Deus criou o homem para que ele tivesse uma comunicação significativa e desejada com ele. O homem feito (1) "à imagem de Deus" supõe uma habilidade essencial de representar Deus e mostrar o seu caráter e, (2) "conforme a (sua) semelhança", demonstra uma potencial habilidade de se parecer com ele e cooperar com ele. Apenas o homem possui essas habilidades. Elas foram grandemente comprometidas pelo pecado de Adão, e muito do potencial foi perdido. Mas, pela redenção, o que antes estava perdido foi restaurado e adicionado.

Existe uma outra razão muito importante pela qual Deus fez o homem único e diferente. A morte de Cristo estava planejada antes da fundação do mundo (I Pedro 1:20). Para morrer e Se sacrificar, para carregar o pecado do mundo, o Filho de Deus teria de Se tornar homem. Então o homem foi criado de tal maneira que Deus pudesse Se expressar perfeitamente em "carne e sangue" (Hebreus 2:14). A natureza única do homem iria cumprir aquilo que Deus tinha em mente para Si mesmo na encarnação do Seu Filho, assim como para o lugar especial do homem na criação.

Como o homem é diferente?

Será o homem apenas uma criatura muito evoluída, diferente apenas numa medida de sofisticação de "irmãos" ou "primos" no reino animal? Especificamente, terá sido o homem um "descendente" de um símio, ou de um ancestral semelhante a um macaco? Não - a prova está claramente contra isso.

Nem argumentamos que o homem tem o melhor de tudo. Por exemplo, certos pássaros e animais têm uma visão muito mais apurada, assim como melhor audição e olfato. Certamente, em termos de comportamento, o homem pode fazer e já fez coisas muito piores do que qualquer outra criatura. Animais não abusam pecaminosamente dos seus filhotes, nem assassinam cruelmente ou torturam sadicamente um ao outro, nem organizam e fazem guerras dentro das suas próprias espécies. Quando predadores matam, eles o fazem pela comida, sem ódio, vingança ou desejo de magoar. O homem é capaz do mais nobre dos gestos para ser muito admirado, mas homens caídos em desgraça são também capazes dos crimes mais deploráveis e terríveis, desconhecidos no mundo natural. Em relação às diferenças principais e à evidência da singularidade do homem, aqui está uma lista interessante. Repare em como o homem é completamente diferente de tantas maneiras de qualquer outra criatura, incluindo os "primatas".

Anatomicamente, apenas o homem tem uma postura naturalmente direita, com pés e dedos oferecendo uma base única de suporte, enquanto a mão é a ferramenta de manipulação mais eficiente à disposição. Primatas têm ossos das coxas mais compridos e costas mais curtas, o que naturalmente impede a postura ereta. Os seus pés são similares às mãos, destinadas para escalar, mas não andar.

Mentalmente, apenas o homem tem a habilidade de pensar profundamente, de avaliar provas complexas, tomar decisões difíceis, de ser criativo e inventivo. Podemos fazer isso, pois somos feitos à imagem de Deus e assim podemos também admirar e desfrutar da beleza e da harmonia. Podemos compor música, inventar e tocar instrumentos musicais, criar objetos artísticos, resolver palavras-cruzadas e problemas matemáticos, compreender conceitos abstratos de filosofia, ciência e justiça, e aplicá-los com a consciência de distinguir o certo do errado.

Apenas o homem consegue falar, ler e escrever. Essas fantásticas capacidades estão baseadas num sistema complexo de sons ou sinais  que  temos  de  aprender, de maneira a nos expressarmos. Podemos comunicar sentimentos e fatos, informações numéricas e espirituais. Podemos chorar e rir.

Apenas o homem é capaz de fazer e usar ferramentas, algumas muito complexas e especializadas - por exemplo, um torno de giro, uma fechadura e chave, um computador, um submarino.

Para o homem, trabalho é uma atividade com sentido que promove a satisfação, com objetivos além da mera sobrevivência. Nós não trabalhamos apenas para podermos comer, ou comemos para sobreviver, como acontece no reino animal.

Um homem pôde fazer, dominar e controlar o fogo, levando-o ao desenvolvimento da metalurgia, tecnologia e comércio, assim como para conforto e confecção de alimentos.

Apenas o homem pode organizar sistemas complexos, seja de informação, materiais ou sociedades completas (civilizações). E o homem pode causar a desordem desses como nenhum outro!

Bebês humanos são muito mais vulneráveis e dependentes que os de qualquer outra espécie, com maturação lenta e longos tempos de desenvolvimento. O cuidado familiar e um ambiente seguro para o aprendizado são muito importantes.

O homem se interessa pelo passado e futuro, procurando por respostas sobre questões a respeito de origens e destinos e pelo propósito da vida. Nós ponderamos sobre a morte. Nós enterramos os nossos mortos.

O homem pode amar, ser fiel e verdadeiro tanto um ao outro quanto a Deus. Podemos comunicar com Deus assim como Ele pode comunicar conosco. É por isso que Ele nos criou da maneira como somos.

autor: Bert Cargill.