• Português

A História da Criação (2)

Da versão original Creation´s Story
Publicada pela John Ritchie Ltd., Escócia
Versão em português autorizada pela Editora A Verdade
www.editoraverdade.com.br

CAPÍTULO 2

O COMEÇO: "A FUNDAÇÃO DO MUNDO"

Uma afirmação única e majestosa compõe o primeiro versículo da nossa Bíblia. Em poucas palavras, está contida a resposta para uma questão fundamental, mesmo antes de ela ter existido. Ao longo do tempo, muitas pessoas se interrogaram: "De onde é que tudo veio?" "O que é que foi o começo de tudo?" Gênesis 1:1 conta-nos!

"No princípio, criou Deus...". Ele é a primeira causa e a origem de tudo. Aceitar essa afirmação pela fé (Hebreus 11:3) é a atitude mais sensata a se tomar. Isso vai ao encontro da experiência diária de que cada coisa foi feita por alguém, foi elaborada, teve um autor, uma causa, um criador. Isso, com certeza, inclui o maravilhoso e intrincado belo mundo natural. Mas a teoria da evolução diz que não. Isso não é razoável nem lógico, e não é verdadeiramente científico também, apesar dos altos clamores de que assim o é. A ciência real é baseada na verdadeira observação e na medição, e nada foi alguma vez observado a acontecer sem uma causa, ou evoluindo a partir do caos, ou vindo do nada.

Cada pintura teve o seu pintor, cada estrutura teve o seu arquiteto e construtor, e cada livro o seu autor. Crédito e até mesmo glória são devidamente dados aos criadores de obras de mérito e beleza que as pessoas apreciam. Agora, nós acreditamos que "todas as coisas foram feitas por ele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez" (João 1:3). Da mais minúscula partícula subatômica à maior galáxia, da menor flor e o seu grão de pólen até ao sistema de trabalho das abelhas na colmeia ou das formigas numa colônia, ou cervos em rebanhos, nós admiramos a sua beleza e a sua complexidade. Na nossa admiração estamos dando glória ao seu grande Criador. A teoria da evolução nega ao Criador a Sua glória; até mesmo nega que Ele existe. Por quê? Porque o ateísmo é o seu ponto de partida, não a sua conclusão. É o que muitas pessoas querem acreditar.

Mas no que é que acreditamos, particularmente sobre quando, como e por que tudo começou? Foi-nos claramente dito: "por causa da tua vontade [as coisas] vieram a existir e foram criadas" (Apocalipse 4:11). Em relação a quando e como, é importante dar o peso e significado adequado às declarações de Gênesis 1 e, ao mesmo tempo, não acrescentar àquele capítulo o que não está lá.

Nenhuma Data

Não nos foi dito quando foi "o princípio", quando a Terra foi criada, ou quando Adão foi feito. Nenhuma data foi dada no texto de Gênesis 1. Foram feitos alguns cálculos, mas todas essas contas contêm algumas hipóteses que provavelmente não são válidas.

Os evolucionistas argumentam que a Terra foi formada cerca de 4,5 bilhões de anos atrás. As suas contas são baseadas na medida da taxa dos processos de radioatividade em certas rochas. Esses cálculos contêm duas suposições principais:

(1) Que a taxa não mudou ao longo de vastos períodos de tempo e sob condições extremamente variáveis;

(2) Que nenhum dos elementos produzidos por esses processos radioativos sequer estavam nas rochas.

Ambas as suposições provavelmente não estão corretas por bons motivos científicos. Então, embora essa retórica seja frequentemente citada, não é um fato confiável. Existem outros métodos científicos para medir a idade da Terra, e eles dão números muito inferiores, alguns até mesmo menos de 10.000 anos [1]. Esses métodos são negligenciados, na verdade rejeitados, apenas porque não se encaixam nos requerimentos da teoria da evolução e da sua interpretação dos registros fósseis.

Em 1664, o arcebispo Usher calculou que Adão foi criado em 4004 a.C. Ele usou nos seus cálculos listas genealógicas do Velho Testamento, retraçando de volta para datas mais antigas. Esse método também contém suposições que poderão estar erradas, ou seja, de que não faltou nenhuma geração nas listas genealógicas na Bíblia, o que por vezes aconteceu. Na verdade, usando métodos similares, outras pessoas chegaram a datas que vão de 6984 a 3616 a.C.. Isso apenas significa que não podemos ter a certeza exata de quando Adão foi criado, ou de quando o mundo começou. A data 4004 a.C. realmente aparece nas margens ou nas notas de colunas de muitas Bíblias, mas lembre-se de que isso não existe no texto inspirado, e não deverá ser levado como um fato confirmado!

Sem Intervalos

A narrativa de Gênesis 1 é contínua. Introduzir intervalos é forçar uma ideia que não está no texto. A "Teoria do Intervalo" que insere "épocas geológicas" entre os versículos 1 e 2 já foi uma teoria popular, sendo de fato fraca, baseada no hipotético significado de duas palavras. Ela também cria mais problemas do que resolve e, na pior das hipóteses, deturpa a Deus e compromete a verdade. Outra vez, a sua presença nas margens e rodapés de certas edições da Bíblia influenciou muitos leitores. Mas isso também não está no texto inspirado!

A Teoria do Intervalo é uma tentativa bem-intencionada, mas falha, de lidar com os ataques feitos desde o século XIX pela "ciência" em relação à veracidade de Gênesis 1. Era alegado ser necessários milhões de anos de "tempo geológico" para que a Terra e as suas camadas fossem formadas, junto com os seus fósseis. Um cientista, Georges Cuvier, de Paris, inicialmente propôs que seguidas cheias catastróficas produziam fósseis e que eles tiveram lugar nas eras pré-históricas muito antes de Adão. No Reino Unido, essa ideia foi ativamente promovida pelo teólogo Thomas Chalmers e depois seguida por vários reconhecidos professores da Bíblia. Eles argumentaram que a "criação original" descrita em Gênesis 1:1 foi dizimada em julgamento por Deus e que as "criaturas pré-Adão" foram fossilizadas, e eras depois Deus "refez" a Terra como descrito no resto de Gênesis 1. Muitos que estavam preocupados com a ameaça da ciência à Escritura pensaram que as coisas "se harmonizavam" ao colocar esse intervalo entre esses dois versículos.

Mas, na verdade, elas não se harmonizaram, e existem verdadeiros problemas com isso! O ensino claro da Escritura é:

  • Adão foi o primeiro homem, e assim não existiu antes dele nenhum tipo de terra.
  • Foi o pecado de Adão que trouxe a morte ao mundo, por isso, se alguma "criatura pré-Adão" existiu, a sua morte para produzir restos fossilizados não é explicável.
  • Deus pronunciou que toda a Sua criação era "muito boa" – o que não é uma descrição adequada se rochas contivessem a evidência de morte, destruição e julgamento.

A criação descrita em Gênesis 1 é perfeita, não uma reconstrução de algo que "aconteceu" sem forma e vazio.

Como iremos ver posteriormente, a melhor e mais consistente explicação dos fósseis, camadas e fenômenos geológicos provêm dos efeitos do grande dilúvio nos dias de Noé. Este é um evento bem documentado com profundas influências na humanidade e no seu ambiente, e não uma tênue teoria com causas ou efeitos imaginários onde não existe a evidência da divina revelação.

Nenhum Defeito

Toda a obra de Deus é perfeita. Quando Ele tudo criou, como registrado em Gênesis 1, Ele fez tudo perfeito, na primeira vez. Não foi, como alguns ensinam, que Deus começou o processo e depois usou a evolução para avançar e completar a criação. Essa "evolução ateísta" é outro sério comprometimento que insulta a Deus e a Sua Palavra, pois a evolução é um processo extremamente desperdiçador e insensível, envolvendo muitas formas de vida que não sobreviveram. Deus nunca desperdiça nem é inflexível com nenhuma das Suas criaturas.

O homem precisa de muitas tentativas para alcançar um objetivo, precisa de experimentar e melhorar versões anteriores, mas Deus não. No começo Deus criou cada criatura sem defeito, macho e fêmea, prontos para reproduzir e assumirem seus lugares numa Terra benigna e intocada. A criação também era madura, pois parecia de certa idade; por exemplo, Adão poderia se parecer um homem de cerca de 30(?) anos, as árvores a produzirem fruto maduro poderiam conter 20(?) anéis de crescimento, quando tinham apenas sido criadas no dia anterior, estrelas distantes parecendo muito antigas (para dar tempo da sua luz viajar pelo espaço), foram criadas com os seus raios de luz para chegarem à Terra.

Os defeitos e as deficiências tão prevalentes agora são resultado da Queda. Todos os dias encaramos a doença e a morte. Os reinos animal e vegetal contêm muitas evidências da decadência e da degeneração. Muitas espécies foram extintas, enquanto muitas subespécies mudaram e se desenvolveram em resposta a pressões e condições ambientais. O mundo atual é vastamente diferente daquilo que era quando Deus o criou. Ele degenerou para algo inferior e não evoluiu para algo melhor.

Então para concluirmos, quando foi o começo? Três fatos a observar:

  • O próprio Deus não tem um começo (João 1:1). Ele é de eternidade a eternidade. Nós que estamos presos ao tempo temos dificuldades em compreender isso, mas esta é a verdade. O seu nome é Jeová – O Sempiterno.
  • O começo de Gênesis 1:1 pode ser classificado como "a fundação do mundo". A sua data é desconhecida, e isso não tem nenhuma relevância. Apenas se deleite de que fomos escolhidos em Cristo antes disso.
  • A vida de Adão começou diferentemente da nossa, para uma idade adulta desenvolvida, assim como a vida de Eva, pouco depois. Quanto tempo atrás isso foi, não pode ser determinado com precisão, mas vai ao encontro da revelação Bíblica e aos fatos estabelecidos assumir-se que foi menos de 10.000 anos atrás.

Nota [1]. Mais detalhes em “E disse Deus” de F. Abou-Rahme, capítulo 9.

autor: Bert Cargill.