• Português

A História da Criação (3)

Da versão original Creation´s Story
Publicada pela John Ritchie Ltd., Escócia
Versão em português autorizada pela Editora A Verdade
www.editoraverdade.com.br

CAPÍTULO 3

O FIM: "TODAS ESSAS COISAS DISSOLVIDAS"

Os discípulos perguntaram ao Senhor Jesus um dia: "Quando sucederão estas coisas e que sinal haverá... da consumação do século?" (Mateus 24:3). Tais questões sobre o fim são frequentes, assim como as questões sobre o início de tudo, como vimos no capítulo anterior.

Muito foi tentado para encontrar respostas, e até mesmo datas para o fim, algumas baseadas em cálculos criativos, que apenas os seus expoentes podem seguir, outras por tentativas de extrair da história o cumprimento de profecias específicas da Escritura, outras até mesmo vindas de superstição! Mas as palavras do nosso Senhor são o oposto: "Não vos compete conhecer tempos ou épocas... mas sereis minhas testemunhas" (Atos 1:7-8).

Curiosidade sobre os tempos futuros não nos pode afastar na nossa responsabilidade atual. Não é que Deus não nos tenha dito sobre o futuro, muito nos foi dito, particularmente, que o Senhor em breve virá, mas quando não sabemos! O que sabemos, no entanto, é que o Arrebatamento irá iniciar eventos a acontecerem na Terra e no Céu, como revelado pelas Escrituras, antes de o fim chegar.

Esta Terra é a plataforma (ou o palco) no qual o grande drama da redenção tem sido elaborado. Os efeitos desse maravilhoso trabalho serão para sempre, mas a Terra na qual ele aconteceu não vai durar para sempre. Nós agora vamos olhar para o que vai acontecer à presente criação, e como ela vai acabar.

2 Pedro 3 declara que existem três diferentes "céus e terra":

  1. "de longo tempo, houve céus bem como terra" (v. 5), o mundo daquele tempo (v. 6) foi coberto pelas águas do grande dilúvio de Gênesis 7;
  2. "os céus que agora existem e a terra" (v.7). Estes estão reservados para o fogo no dia do julgamento que está por vir;
  3. "novos céus e nova terra, nos quais habita justiça" (v. 13), o que João também viu na sua grande visão (Apocalipse 21:1); quando as coisas antigas tiverem passado e houver um estado eterno de bem-aventurança.

"Os céus e a terra" nesse contexto é todo o ambiente feito para o homem. Para mostrar como os "céus e terra" de hoje irão terminar, são usadas três frases instrutivas no Novo Testamento:

  • Tudo será "entregue"
  • Eles serão "mudados"
  • Eles serão "queimados"

Entregue

1 Coríntios 15:24 diz-nos que "virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder". O que é descrito aqui é a completa e final vitória do nosso Senhor Jesus sobre todos os inimigos que invadiram esse mundo, incluindo o "último" deles, a morte (v. 26). Esta terra, desde a queda do homem no Éden, tem sido o cenário de muita rebelião contra Deus, da constante luta do mal contra o bem, de guerras e de conflitos, de séculos de tristeza e de sofrimento para a humanidade. Mas, também, nessa terra, apareceu o Filho de Deus para aniquilar o pecado pelo sacrifício de Si mesmo e para salvar do poder de Satanás todo aquele que crer n’Ele (Hebreus 9:26). Aquela obra no Calvário é a garantia da mais completa liberdade e de triunfo eterno para os redimidos.

Então, antes de o presente céu e terra chegarem ao fim do seu tempo e propósito destinados, terá de haver uma deposição final de todos os inimigos e a subjugação de toda a força rebelde. Cristo o fará através da grande batalha do Armagedom, na terra de Israel, e, depois, cerca de mil anos mais tarde, da última batalha de todas, que será concluída com o diabo sendo lançado no lago de fogo (Apocalipse 20:10). Todos os Seus inimigos serão postos debaixo dos Seus pés. Ele "julga e peleja com justiça" (Apocalipse 19:11). O nosso bendito Senhor irá entregar ao Deus Pai um trabalho de graça completo e perfeito e o governo desta terra onde o trabalho começou.

Mudados

Entre as glórias superiores do Filho de Deus descritas em Hebreus 1 está a Sua potência criadora, vs. 10-12. No começo, Ele lançou os fundamentos da Terra. Maravilhamo-nos outra vez com a obra das Suas mãos. Do nosso ponto de vista, essa obra parece tão permanente, até a Escritura fala de "montes eternos" (Gênesis 49:26). Mas eles não são permanentes: "Eles perecerão... envelhecerão como uma veste, como roupa os mudarás, e serão mudados" (Salmos 102:26).

Esta imagem é de uma veste que já serviu ao seu propósito, mas já mostra sinais de desgaste pelo uso. É isto que vemos ao nosso redor, por exemplo, a diminuição dos recursos de matéria-prima que vão sendo usados, conforme o mar e a terra são pilhados e exauridos das fontes de alimento, e os recursos de energia diminuem. Este planeta tem sustentado o homem e inúmeras formas de vida por vários milênios, mas essa tarefa é cada vez mais difícil. A "veste" está ficando fina e esticada ao ponto de quase rasgar.

O que acontecerá depois? O nosso Senhor Jesus a enrolará - sem permitir que ela se torne em farrapos. Assim como um velho casaco usado, a Terra será enrolada e substituída por outra nova. Ele está no controle, assim, quando o tempo certo chegar, Ele irá mudar o ambiente atual completamente e introduzir um novo e melhor que nunca irá envelhecer. Mas Deus não irá mudar, Ele continua sendo a pessoa que sempre foi. Ele irá ultrapassar o trabalho das Suas mãos. "Tu, porém, és o mesmo, e os teus anos jamais terão fim... ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre" (Hebreus 1:12; 13:8).

Queimados

As palavras de 2 Pedro 3 mostram uma imagem diferente. O contexto é sobre Deus guardando as Suas promessas, embora os descrentes pensem que não. Eles pensam que as coisas apenas continuam, e continuam como sempre. O capítulo aponta como Deus interrompe a história, numa maneira drástica, primeiro com o dilúvio e depois com um grande fogo. A sua escala de tempo é diferente da dos homens, no entanto. Ele é longânimo e nunca dispensa julgamento sem primeiro enviar misericórdia e oportunidade de salvação.

O mundo atual, foi-nos dito, está reservado para o fogo. "A terra e as obras que nela existem serão atingidas (queimadas)". As palavras gráficas dos versículos 10-12 apresentam uma cena de destruição total, até mesmo aniquilação - "Os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão".

Palavras como essas têm sido usadas para descrever eventos catastróficos que este mundo já testemunhou e que podem oferecer uma pista ao cumprimento de 2 Pedro 3. A terrível força destrutiva de uma explosão nuclear é bem conhecida. Nelas, pequenos pedaços de matéria são convertidos em energia quase instantaneamente, com efeitos devastadores extremos. Fissão nuclear (como na bomba atômica ou num reator para produção de eletricidade) e fusão nuclear (como na bomba de hidrogênio) são processos que libertam verdadeiramente imensas quantidades de energia. Isso é uma consequência da maneira como Deus desenhou o átomo.

Átomos são compostos de um núcleo contendo prótons e nêutrons com campos de energia que os mantêm no lugar, e elétrons que se movem muito rapidamente ao redor do núcleo nos seus campos de energia. Mas, de longe, a maior parte de todo o átomo é o espaço vazio entre o núcleo e os elétrons que se movem. Então, quando um átomo colapsa, essas vastas quantidades de energia são libertadas, e, onde antes havia matéria sólida, passa a ser um espaço vazio, nada. A equação de Einstein mostra quanta energia pode ser obtida da massa (aquilo de que o Universo é feito) que pode ser considerada como uma forma de energia ou poder.

Agora, isto vai ao encontro do fato de que todas as coisas foram criadas e sustentadas "pela palavra do seu poder". Esse poder está lá para os seus desígnios de providência, ou governo. No tempo apropriado, esse poder será lançado na desintegração da Terra e de tudo o que nela há. O mesmo poder eterno irá então reconstruir um outro mundo, completamente novo e melhor.

É solene entender que tudo ao redor de nós, feito de átomos, já contêm dentro de si a maneira da sua própria destruição. O mundo de Gênesis 6 também era assim - as águas do dilúvio tinham sido armazenadas num enorme dossel de vapor sobre a terra e fontes subterrâneas, prontas e esperando que Deus as usasse para inundar a Terra em julgamento. Outro exemplo disso pode ser a existência do maior vale em fenda da Terra, desde o norte da África até ao vale do Jordão, onde nos foi dito que mudanças geológicas profundas irão um dia acontecer, para partir o monte das Oliveiras em dois e trazer as águas do mar à Jerusalém (Zacarias 14:4-8). Deus, conhecedor do fim desde o princípio, tem tudo preparado para o Seu propósito, muito antes de isso ser requerido.

Entregue, mudado ou queimado - esse mundo irá um dia chegar ao final do tempo para o qual foi destinado. Mas Cristo e o Seu reino são eternos, e o Seu povo irá partilhar da Sua glória "por todas as gerações, para todo o sempre. Amém" (Efésios 3:21).

autor: Bert Cargill.