• Português

A História da Criação (8)

Da versão original Creation´s Story
Publicada pela John Ritchie Ltd., Escócia
Versão em português autorizada pela Editora A Verdade
www.editoraverdade.com.br

 

CAPÍTULO 8

O QUE DEUS CRIOU E FEZ

O registro inspirado de Gênesis 1 contém tudo o que precisamos saber sobre a criação do universo. Ele não contém tudo o que poderíamos querer saber sobre esse fascinante e interessante assunto, porque nós somos naturalmente curiosos sobre assuntos que afetam a nós e ao nosso ambiente. No entanto, por mais que perguntemos ou tentemos pesquisar e entender pela lógica, encontramos sempre grandes dificuldades. Por qualquer medida de tempo, tudo aconteceu muito tempo atrás. As condições atuais são provavelmente muito diferentes e, sendo assim, irrelevantes às condições do princípio, porque mudança e interrupção são a norma da história, tanto humana quanto geológica. Muitas teorias têm sido propostas, mas todas contêm enormes pressuposições, extrapolações e incertezas, e, como já vimos, muitas das teorias populares contêm erros e inconsistências mesmo com fatos já estabelecidos.

Seria melhor perguntar a alguém que sabe, alguém de confiança que estava presente no momento da criação a observar. Durante o trabalho da criação, nós lemos repetidamente "e Deus viu..." Aqui está o relato de tudo por uma testemunha de confiança, a única, registrado para o nosso benefício com todos os detalhes que Deus viu que precisávamos, e de tal maneira que leitores das Escrituras pelos séculos pudessem compreender. Cada tentativa de preencher os detalhes, ou de propor alternativas, sofre da grande desvantagem de não se ter estado lá para observar. A própria ciência depende do registro de observações verdadeiras, que foram vistas e medidas de maneira fiável. Em disputas jurídicas, o relato de testemunhas fiáveis tem mais valor que deduções, conjecturas e tentativas de reconstrução. Porque "Deus viu" e "está escrito", podemos ter completa confiança na veracidade de Gênesis 1.

Criado ou Feito?

Em Gênesis 1 e 2, o verbo "criar" (bara, em hebraico), ocorre em três pontos específicos, em 1:1, 1:21, 1:27 (3 vezes), ao passo que o verbo "fazer" (asah, em hebraico) ocorre mais vezes nos capítulos 1 e 2, cinco vezes em cada. As palavras são diferenciadas, e os seus sentidos divergem, mas não devemos prestar muita atenção a isso. Tem sido proposto que os três usos para o verbo "criar" denotam processos-chave no trabalho, por exemplo, "os céus e a terra" no primeiro dia, vida animal de todos os tipos no quinto dia, e o homem no sexto dia. Eles são claramente importantes, novos começos de obras específicas que irão ter papéis significantes na continuação das Escrituras, mas não devemos deduzir que as outras coisas de alguma maneira não foram criadas!

As palavras só têm significado dentro dos seus contextos. Então encontramos que "criado" e "feito" são várias vezes usadas indistintamente, mesmo nesses versículos. Assim, em 1:26 lemos "façamos o homem..." e no versículo 27 há "Criou Deus, pois, o homem", em 1:1 "Deus criou os céus e a terra" e em 2:3 "a obra que, como Criador, fizera" (literalmente "criou para fazer"). É assim por toda a Bíblia, por exemplo, "Todas as coisas foram feitas por ele" (João 1:3), e "Todas as coisas tu criaste" (Apocalipse 4:11); Deus é o "nosso Criador" (Salmos 95:6; Eclesiastes 12:1), "Foi ele quem nos fez" (Salmos 100:3), Ele nos "criou", "formou" e "fez" (Isaías 43:7). Sendo assim, não é uma questão de uma coisa ter sido criada ou feita, é que tudo foi criado e feito. "Tudo foi criado por ele e para ele" (Colossenses 1:16 RC), e "sem ele nada do que foi feito se fez" (João 1:3). Qualquer palavra que você usar, o trabalho é todo d’Ele, e Ele possui toda a glória..

Progressão e Propósito

Todo o trabalho de Deus tem uma progressão e um propósito, como pode ser delineado em Gênesis 1. Descrições modernas do universo tendem a enfatizar a sua vastidão, e a relativa pequenez da nossa galáxia, ou planeta, e de nós mesmos (e Davi pensou isso também numa noite, ver Salmos 8:3-4), mas o ponto de vista de Gênesis 2 é claramente centrado na Terra e certamente focado no homem desde o princípio. Dado que fomos escolhidos em Cristo antes da fundação do mundo, os planos de Deus focaram em pôr o homem no mundo; isso não foi uma reflexão posterior. Mas foi apenas quando um ambiente apropriado para o homem tinha sido criado que Deus disse: "Façamos o homem..." (1:26). Então, do primeiro ao sexto dia, esse ambiente estava sendo preparado como um palco. Vamos olhar à progressão dos eventos, conforme os versículos nos levam do universo (1:1), à terra seca (1:10), e para Adão e Eva (1:27).

De maneira geral, durante os primeiros três dias, Deus esteve formando e aperfeiçoando uma casa apropriada para o homem e, nos três dias a seguir, ele a mobiliou com plenitude e variedade. O homem precisa de algum lugar estável e benigno, com luz para ver, ar para respirar, água para beber, comida para comer - então, Deus providencia estas coisas durante os dias 1, 2 e 3. O planeta coberto em água em completa escuridão é claramente incompatível - as águas têm de ser postas no seu lugar, uma atmosfera expansiva, e terra seca são feitas, e um fornecimento de alimento é estabelecido. Mas a humanidade também vai precisar de um meio de contar o tempo e também de um sentido de direção para as suas viagens, providenciados no céu, no dia 4. A casa do homem será um belo lugar com uma maravilhosa variedade de outras criaturas ao redor, vivendo, movendo e reproduzindo, miríades delas, no mar, no ar e na terra, feitas nos dias 5 e 6. O homem irá compartilhar a terra com todos eles, mas será diferente de todos, na verdade sendo-lhe concedidos o domínio sobre eles e a responsabilidade por eles.

Adicionalmente, o próprio Adão tem uma necessidade especial. Ele precisa de uma ajudante, que não existe mesmo entre as criaturas mais sociáveis, mas especialmente feita por Deus, Eva, a sua verdadeira equivalente e companheira. Acima de tudo, Adão e toda a humanidade precisam de Deus, pois o homem foi feito à imagem de Deus, com uma alma vivente que nenhuma outra criatura tem igual, capaz de comunicar e partilhar experiências significativas.

Então, cada dia de trabalho sustentou o próximo. Assim, a luz é fundamental, uma forma de energia da qual cada processo natural é dependente; a água é necessária, mas deve estar no lugar certo; terra seca com a sua vegetação está disponível como um habitat e fonte de alimento, de que tanto homens quanto animais necessitam. Deus fez tudo na ordem e na lógica corretas, de acordo com o seu plano e propósito.

Separação e Distinção

Que mudança maravilhosa aconteceu durante o percurso de Gênesis 1. Pelo "sopro de sua boca" (Salmos 33:6), pela "obra dos seus dedos" (8:3), pela perícia de suas mãos (119:73), na sabedoria da sua mente (104:24), e pelo amor do seu coração, Deus produziu uma obra-prima chamada "homem" num mundo que ele pode desfrutar. Tudo é belo por causa das separações e distinções que Deus produziu, diferentes da monotonia aguada e negra inicial. Ele separou a luz da escuridão, a água da água, o dia da noite, espécies de criaturas viventes de outras espécies, o macho da fêmea. Cada um desses é diferente porque Deus assim os fez.

"Segundo a sua espécie" é repetido dez vezes no capítulo 1 (e depois disso aparece apenas em Gênesis 6 e 7, Levítico 11 e Deuteronômio 14, o que é significativo). Isso significa que cada animal, pássaro, peixe, inseto, árvore, planta, etc., é uma espécie distinta. Dentro dessas espécies o tempo iria trazer características alteradas numa resposta às pressões ambientais ou reprodução seletiva, embora uma espécie não vá mudar para outra. A mudança dentro da espécie já foi observada - a única verdadeira evolução que existe, sendo melhor chamada de adaptação. Mudar de uma espécie para outra, no entanto, independente de quanto tempo é disponibilizado, não acontece, nunca foi observado. Essa "evolução" é especulação e teorização.

Macho e fêmea de espécies relevantes também foram criados, distintos e necessários uns para os outros e para produzir gerações futuras. A reprodução e a sobrevivência das espécies dependem completamente nas funções de correspondência e complementação de cada um desde o começo. A reprodução bem-sucedida com macho e fêmea parcialmente desenvolvidos é impossível - as espécies iriam extinguir-se! A evolução não tem como contornar isso. É simplesmente prático e óbvio que macho e fêmea tiveram de ser criados de base, desde o princípio!

O mais distinto de todos foi o homem. Deus fez outras criaturas em um grande número e de uma só vez, mas ele amorosamente formou o homem e depois a mulher, um único par. Distintos por terem uma "alma vivente", à imagem de Deus, eles eram especiais. Deus abençoou todas as criaturas do mar e do ar no quinto dia, mas, quando ele abençoou o homem no sexto dia, isso foi para um propósito maior. Toda a obra de Deus iria louvá-lo (Salmos 145:10), mas apenas o homem poderia e iria adorá-lo para sempre. Foi por isso que Ele nos fez.

 

autor: Bert Cargill.