• Português

Conte-me mais sobre a igreja (2)

Versão editada dos Princípios da Igreja no Novo Testamento de Arthur G.Clarke
Autorização concedida pela John Ritchie Christian Publications
Tradução de R. David Jones

CAPÍTULO 2 

A igreja local

No Capítulo 1, observamos que cada crente se torna um membro da igreja universal quando é salvo. Vamos agora considerar por que cada crente deveria se tornar um membro de uma igreja local e desfrutar da sua comunhão. A igreja local é simplesmente uma parte da igreja que se reúne numa localidade, em algum lugar numa aldeia, bairro ou cidade. Será uma comunidade de crentes reunidos em nome do Senhor Jesus Cristo. O número de crentes pode ser grande ou pequeno, mas todos eles se reúnem para desfrutar a Sua presença (Mateus 18:20), para adorar e servi-Lo.

MEMBROS DA IGREJA LOCAL

Ao estudarmos os versículos do Novo Testamento sobre este assunto, vemos como os crentes se tornaram membros de uma igreja local. Eles sempre seguiram uma sequência. Isto é claramente demonstrado na formação da primeira igreja local em Jerusalém, como lemos em Atos 2:41-42.

  • Primeiro, as pessoas foram “salvas” e em seguida “batizadas”. A igreja local é composta de crentes batizados, os que creram e confessaram publicamente sua fé em Cristo ao serem batizados. Os incrédulos não têm parte numa igreja local.
  • Em seguida, os crentes foram “adicionados” à igreja local (em Jerusalém). Eles se tornaram parte de um grupo distinto de crentes que se reuniam em comunhão uns com os outros para adorar e servir ao Senhor. Ele quer que Seu povo permaneça junto, não isolados uns dos outros.
  • Nessa comunhão, os crentes “perseveravam” na doutrina dos apóstolos. Esta doutrina é o ensinamento dado no Novo Testamento sobre todos os aspectos da vida cristã e serviço para Deus. Este ensinamento não mudou ao longo dos anos. Deve ser obedecido em nossas vidas pessoais e em nossas reuniões da igreja. Uma vez que fazemos parte de uma igreja local espera-se que continuemos a ser sempre leais a ela.
  • Os crentes também continuaram no “partir do pão e nas orações”. O Partir do Pão, ou Ceia do Senhor, deve ser mantido todo primeiro dia da semana como nosso próprio Salvador pediu e ordenou: "Fazei isto em memória de mim" (Lucas 22:19-20). As orações públicas e unidas também são vitais para o progresso e bem-estar da igreja local.
  • No final de Atos 2, descobrimos que em seus lares os crentes também praticavam o que criam. Eles compartilhavam o que tinham com aqueles que nada tinham. Viviam de forma simples e com alegria. Eram unidos no louvor a Deus. Tinham um testemunho eficaz. Outros viam a mudança em suas vidas, e escutavam quando lhes falavam sobre Cristo.

Esta mesma sequência é encontrada em Atos 9, onde lemos sobre a conversão de Saulo, seu batismo e recepção na igreja em Jerusalém. Nesta ocasião, uma recomendação de Barnabé, que o conhecia bem, foi necessária antes que fosse recebido em comunhão (vs. 26-28). Da mesma forma quando Febe estava se mudando para Roma para trabalhar, ela foi recomendada à igreja de lá por uma carta que Paulo escreveu (Romanos 16:1-2). Ao receber numa igreja alguém que é desconhecido, essas são orientações importantes a seguir.

DESCRIÇÕES DA IGREJA LOCAL

No capítulo 1, vimos que a igreja local é uma expressão da igreja universal. Assim descobrimos que algumas das descrições da igreja universal também se aplicam a uma igreja ou assembleia local.

1. Corpo (1 Coríntios 12:27). Uma igreja individual em um determinado lugar não pode ser todo o "Corpo de Cristo". E não podemos dizer que é "um Corpo de Cristo", pois isto significaria que Cristo teria muitos "corpos". É melhor dizer que é "como o Corpo”. Então, o que é real para toda a igreja, neste contexto é também aplicável à igreja local. O Senhor Jesus é a Cabeça de cada igreja local e todos os membros estão sujeitos a Ele. Os membros estão em unidade de amor uns com os outros, e agem em conjunto para o bem de todo o corpo. Leia especialmente vs. 14 -21.

2. Edifício (1 Coríntios 3:9). A igreja local deve ter o caráter de santuário de Deus, uma habitação sagrada. Santuário significa um lugar sagrado para Deus. A igreja local é santa e seu fundamento é Jesus Cristo (v. 11).

3. Lavoura (1 Coríntios 3:9). Refere-se a um lote de terra que é cultivado, e o fruto que ele produz. Ser frutífera para Deus é um objetivo importante da igreja local (Colossenses 1:10; João 15:8).

4. Virgem (2 Coríntios 11:2). Quando Paulo diz: "Eu vos desposei", Ele está Se referindo à igreja em Corinto. Ele queria ver mantidas a pureza e a lealdade ao Senhor nessa igreja local, bem como nos crentes individuais. 1 Coríntios mostra que essa pureza e lealdade eram especialmente necessárias naquela igreja.

5. Rebanho (Atos 20:28-29; 1 Pedro 5:2-3). Aqui, a palavra grega para “rebanho” é poimnion, um diminutivo de poimne, mais geral, porque se refere ao grupo local, não a todo o rebanho de Deus. Isso enfatiza o trabalho dos subpastores locais, os anciãos, que cuidam da igreja local. O Sumo Pastor nomeia esses subpastores em cada igreja local, como veremos mais adiante.

6. Candelabro (Apocalipse 1 a 3). Cada igreja local individual é uma portadora da luz para o Senhor, cada uma na escuridão espiritual do lugar onde ela se reúne. Elas testemunham por dar a conhecer a Palavra de Deus (Filipenses 2:16).

7. Epístola (2 Coríntios 3:3). O testemunho da assembleia local é como uma carta para ser "lida" por outras pessoas ao redor. Testemunhamos pela maneira em que vivemos. Toda a igreja local tem uma grande responsabilidade de ser uma clara testemunha de Cristo pela sua conduta e caráter diante do mundo que a observa.

RELACIONAMENTOS DA IGREJA LOCAL

1. Deve haver sujeição ao Senhor. Vimos que a igreja como o corpo de Cristo está sujeita a Ele. Esta sujeição e obediência ao Senhor é necessária na igreja local. Em Apocalipse 2 e 3, João teve uma visão do Senhor ressuscitado no meio dos sete candelabros, que eram sete igrejas (1:20). Ele está Se movendo entre eles como o Supervisor do seu testemunho por Ele. Eles devem ouvi-Lo e obedecê-Lo. Cada igreja é responsável por Ele e Ele lida diretamente com cada uma.

O candelabro de ouro no tabernáculo do Antigo Testamento tinha sete ramos, mas estes portadores de luz do Novo Testamento estão separados. Isso nos ensina que as únicas ligações entre as igrejas individuais são o único Senhor e o único Espírito (Efésios 4:4-5) simbolizado pelo óleo em todas as lâmpadas. O Senhor é a Cabeça que controla e o Espírito Santo é o poder nela residente para testemunho.

2. Deve haver comunhão com outras igrejas. Deve ser incentivada a comunhão achegada e feliz entre as igrejas. O Novo Testamento mostra que os servos de Cristo constantemente vinham às diferentes igrejas para ensinar e pregar, e os crentes também as visitavam quando em viagem (por exemplo, Romanos 16:1).

Nunca houve, no entanto, alguma federação de igrejas, seja com um nome distinto ou não. Não houve algum círculo restrito ou exclusivo de igrejas, nenhuma organização humana de qualquer tipo. A Escritura não dá qualquer apoio a uma autoridade central, como uma "igreja-mãe" ou concílio eclesiástico, ou a alguma comissão de controle ou administração. Os líderes e certos anciãos, por vezes, se reuniram para discutir problemas de doutrina e prática, e foram feitas recomendações (por exemplo, Atos 15), mas isso não era uma organização para governar igrejas.

3. Deve haver separação do mundo. Vimos que a igreja é um grupo de "chamados para fora". Cada crente é primeiro chamado para fora do mundo como indivíduo (João 17:14-16; Romanos 8:30), e depois chamado para se reunir com outros como a igreja de Deus (Atos 20:28,15:14; Tito 2:14). Como a igreja inteira, a igreja local deve ser um "santuário" (1 Coríntios 3:16-17). "Santuário" significa separada para Deus de todos os sistemas do mundo. Isso inclui o mundo social, o mundo político e o mundo religioso, seja pagão ou nominalmente cristão. Devemos notar e obedecer ao comando claro em 2 Coríntios 6:14-18.

A igreja local deve ser uma testemunha para Cristo no lugar onde se encontra e por isso não deve se isolar das pessoas em sua vizinhança. Mas não deve adotar os caminhos do mundo ou associar-se com seus sistemas.

REUNIÕES DA IGREJA LOCAL

A lei e os seus muitos mandamentos controlavam a vida diária de Israel e os detalhes de sua religião. Isso a levou a uma grande "servidão" (Gálatas 4:24-25). Os cristãos são diferentes. Eles têm o privilégio e a grande liberdade de servir como filhos (Gálatas 5:1,4:6-7; 2 Coríntios 3:17). Não nos é dito que observemos quaisquer épocas festivas ou dias de jejum. As horas e locais de reuniões não são determinados (Colossenses 2:16-17; Gálatas 4:8-11; Romanos 14:5-7). Mas obtemos orientação sobre esses assuntos a partir do exemplo dos primeiros cristãos conforme registrado nas Escrituras.

Lemos no Novo Testamento sobre a reunião da igreja local para as seguintes finalidades:

1. Partir do pão (Atos 2:42, 20:1-7; 1 Coríntios 11:23-32). Eles se reuniam no primeiro dia da semana para lembrar o Senhor Jesus como Ele havia solicitado. A adoração é especialmente associada com o “partir do pão” que nos lembra d'Aquele que morreu por nós. A adoração unida e individual é nosso privilégio, porque todos nós fomos feitos sacerdotes para Deus (João 4:23-24; 1 Pedro 2:5; Hebreus 13:15,10:19-25 e Atos 2:47). Vamos considerar estas questões mais detalhadamente nos capítulos 3 e 4.

2. Oração unida (Atos 2:42,4:24-31,12:5,12). Lemos de muitas reuniões de oração no livro de Atos. Isso mostra a importância de reuniões de oração da igreja, quando todos podemos nos unir para fazer pedidos e dar ações de graças a Deus.

3. Leitura Bíblica e Ensino (Atos 2:42,11:26,15:30-32,20:7; 1 Timóteo 4:13; Colossenses 4:16). A leitura pública das Escrituras era mais necessária quando alguns cristãos não eram capazes de ler por si mesmos. Também as cópias manuscritas das Escrituras eram poucas e caras. Mas a leitura pública cuidadosa da Palavra de Deus ainda é importante hoje. Ela sempre deve ser a base de qualquer ensinamento dado pelos servos de Deus (1 Timóteo 4:13; 2 Timóteo 4:2).

4. Audição de relatórios sobre a obra de Deus (Atos 4:23,14:26-28,15:3-4,12). Os apóstolos Pedro e João contaram “aos seus tudo o que lhe haviam dito” após serem questionados pelas autoridades religiosas em Jerusalém (Atos 4:23). Isso afetava a igreja local e estimulou a oração fervorosa e eficaz (vs. 24-31). Os relatórios do trabalho missionário eram dados regularmente – veja Atos 14:26-28,15:3-4,12.

5. Disciplina necessária (1 Coríntios 5:4). Às vezes, a igreja tem que disciplinar àqueles cujo comportamento tem desonrado o testemunho. Este tema é considerado no capítulo 10.

6. Amizade e companheirismo social (Atos 2:46,4:23,32). Nos primeiros dias da igreja, os crentes sempre buscaram a comunhão do "seu próprio grupo”. Na separação de um mundo ímpio, e particularmente em tempos de perseguição, os crentes se sentiram reunidos pela sua experiência comum. O "banquete" mencionado em 2 Pedro 2:13 e Judas v. 12 era provavelmente uma refeição social em que todos podiam se reunir informalmente, sem distinção de raça ou classe. A comunhão da igreja é reforçada em ocasiões como esta. É de grande proveito quando os crentes abrem seus lares para dar hospitalidade aos crentes solitários ou para jovens convertidos de famílias não simpatizantes. Breves contatos em reuniões da igreja não são suficientes para mostrar a nossa comunhão uns com os outros.

PONTOS DE ENCONTRO PARA A IGREJA LOCAL

No Novo Testamento, vemos que uma igreja local geralmente se reunia na casa de um dos crentes - ver Romanos 16:5, 1 Coríntios 16:9, Colossenses 4:15, Filemon v. 2. Não são necessários edifícios especiais e ornamentados para as reuniões da igreja. Essa ideia pertence ao modo de adoração do Velho Testamento e ao serviço no tabernáculo e no templo.

No entanto, nem sempre será possível para os lares serem usados regularmente para as reuniões da igreja, especialmente quando o número de crentes é grande. É conveniente, portanto, que um local adequado seja encontrado para a igreja se reunir. Isso pode ser um foco do testemunho de uma igreja na sua localidade.

Esses locais de reunião não são edifícios sagrados. Podem ser de propriedade da igreja, ou alugados. O edifício não deve ser elaborado e extravagante, que exige grande despesa para construir e manter. A Pessoa em torno de Quem nos reunimos é muito mais importante do que o edifício em que nos reunimos. Se mantivermos nossos lugares de reunião simples e destituídos de enfeites, eles serão mais apropriados para o nosso encontro em nome de Cristo e causarão menos distração do nosso testemunho a outros.

No entanto, é importante que o local de encontro da igreja local seja respeitável, atraente e bem conservado. As pessoas que passarem por ele devem vê-lo como uma espécie de testemunho ao Senhor Jesus Cristo. Deve ser acolhedor para os outros e identificável como um lugar onde os cristãos se reúnem para honrar a Deus. Aqueles que entram deveriam ver que "Deus está verdadeiramente entre vós" (1 Coríntios 14:25).

PARA ESTUDO ADICIONAL

  • No Novo Testamento, que descrições são dadas tanto para a igreja local como a igreja universal?
  • Quais são usadas para descrever apenas a igreja local (ou assembleia)? O que você acha ser especial a respeito destas?
  • Em Mateus, o Senhor Jesus se refere à igreja duas vezes – 16:18 e 18:17. É a igreja universal ou a igreja local? Justifique sua resposta.
  • Em alguns versículos do Novo Testamento lemos sobre pessoas que "se introduziram furtivamente”, “intrusos”, e alguns que são "excluídos", e alguns que têm de ser "tirados" (Judas v. 4; Gálatas 2:4; 3 João v. 10; 1 Coríntios 5:13). Isso acontece na igreja universal? Explique.
  • Quantas igrejas locais diferentes são mencionadas em todo o Novo Testamento? Faça uma lista delas com referências de onde leu sobre elas.
  • Em uma igreja local, somos todos irmãos em Cristo. Como devemos nos tratar uns aos outros?

PONTOS PARA LEMBRAR

  • Uma igreja (ou assembleia) local deve ser uma imagem em miniatura da "igreja que é o Seu corpo".
  • A pessoa mais importante na igreja local é o Senhor Jesus. Ele é a Cabeça e o Centro da reunião.
  • O objetivo da igreja local é trazer glória e honra ao Senhor Jesus neste mundo que O rejeitou e desonrou.
  • A igreja local deve estar sujeita ao Senhor Jesus e separada do mundo.
  • Os crentes se reúnem na igreja local para adorar e servir ao Senhor, para apoiar e encorajar uns aos outros, e para promover o testemunho no Evangelho.
  • Os tipos de reuniões que devem ocorrer em uma igreja local são descritas no Novo Testamento.
  • A comunhão entre as diferentes igrejas locais deve ser encorajada e promovida, mas cada igreja é independente e responsável por si só perante o Senhor.
  • O lugar da reunião de uma igreja deve ser identificável em sua comunidade e ser acolhedor para outros entrarem.

 

 

 

 

 

 

autor: Bert Cargill.