• Português

Cristo, A Inesgotável Suficiência - 2

Filipenses 4.1-20

Em nosso número anterior temos considerado as várias exortações de Paulo, em cada uma das quais ele usa a expressão “no Senhor”, a indicar-nos que é somente nEle que podemos alcançar o poder para obedecermos àquelas exortações. Ele é a plena suficiência para atingirmos aqueles objetivos.

Neste número concluímos o nosso estudo focalizando a gloriosa experiência da suficiência de Cristo na vida de Paulo, bem como a gloriosa visão da Fonte bendita onde ela pode ser encontrada.

2. Uma Gloriosa Experiência Da Suficiência De Cristo (10-20)

a) A alegria do apóstolo (10). A contribuição dos filipenses foi recebida por Paulo com muita alegria, principalmente porque ele sabia de quanto eles sempre desejaram contribuir e quantas dificuldades tiveram para consegui-lo. Mas, ainda uma vez, embora grato aos doadores, a sua alegria estava “no Senhor”, não na dádiva. Os contribuintes são canais abençoados pelos quais o obreiro recebe o seu suprimento, mas o verdadeiro Provedor dos Seus servos é o Senhor mesmo.

b) Sua absoluta dependência do Senhor (11-13). Paulo aprendera a viver satisfeito em toda e qualquer circunstância. Não tinha pretensões, nem fazia exigências. Seu contentamento não estava nas coisas, nem nas circunstâncias, mas no SENHOR, em Quem ele tinha tudo. Cristo era a sua INESGOTÁVEL SUFICIÊNCIA.

c) Sua gratidão (14-16). Ele agradece a expressão prática do amor dos filipenses, “associando-se” com ele em sua necessidade. Eles mostraram-se bons despenseiros e demonstraram verdadeira comunhão. Esta não era a primeira vez que cooperavam com o apóstolo. Já o haviam feito em ocasiões quando outros haviam-no esquecido. E sua cooperação não era esporádica, pois eles faziam isto desde o início do ministério do apóstolo entre eles. Era a justa gratidão de Paulo e nisto ele foi um exemplo a todos os obreiros que até hoje são beneficiados com as generosas contribuições do povo de Deus. Nunca deviam eles ignorar os seus benfeitores. Afinal, nunca é demais uma palavra de gratidão.

d) Suas convicções (17-19). Nas declarações de Paulo nestes versículos ele demonstra algumas convicções que não podemos perder de vista. Vejamo-las, a seguir: i. Aquelas contribuições eram um verdadeiro investimento a crédito dos contribuintes. E é interessante que, ao fazer menção disto, ele alegra-se mais por eles do que por ele próprio (v. 17). ii.Aqueles donativos eram verdadeiros e sagrados sacrifícios de louvor e adoração a Deus e, portanto, preciosos aos Seus olhos e ao Seu coração (compare o v. 18 com Ef.5.2). iii Os contribuintes seriam sempre abundantemente supridos pelo Senhor (v. 19).

3. Uma Gloriosa Visão Da Suficiência Divina (19)

É tão grande a preciosidade deste versículo, que merece uma consideração à parte, embora já tenha sido considerado em um dos seus aspectos anteriormente. Ele trata do glorioso suprimento divino.

a) A fonte excelsa do suprimento – “o meu Deus”. Nosso Deus é um Deus que relaciona-Se pessoalmente e intimamente com os Seus servos. Seu Nome é EL ELYON, “o Deus Altíssimo, que possui os céus e a terra” (Gn.14.27; Sl.24.1). Portanto, Ele é riquíssimo! Seu nome é, também, EL SHADDAÍ, o “Todo Suficiente”, é JEOVÁ JIRE, “o Senhor Proverá”. Portanto, Ele é generosíssimo! Que fonte inesgotável!

b) A maneira sublime do suprimento – “segundo a Sua riqueza em glória”. Portanto, na proporção das Suas inesgotáveis possessões e generosidade. Ele tem prazer em dar aos Seus “toda boa dádiva e todo dom perfeito” (Tg.1.17).

c) O bendito Canal do suprimento – “em Cristo Jesus”. Por Ele somos salvos, aceitos e supridos em todas as nossas necessidades. Ele cuida de nós e intercede ininterruptamente por nós. Por Ele Deus Se revela a nós e por Ele temos acesso ao Pai.

d) O alcance do suprimento – “cada uma de vossas necessidades”. Isto não é mera teoria, mas a bendita experiência de quem confia plenamente no Senhor. Ele é real, misericordioso e infalível. Quem aqui escreve tem provado esta sublime experiência nos 55 anos em que está seguindo e servindo ao Senhor. Tem passado, desde o início até hoje (abril de 2002), momentos extremamente difíceis de provações, perseguições e incertezas, mas tem aprendido que, uma vez que confiamos ao Senhor as nossas vidas, podemos dizer sem receio: “Nada me faltará”, pois ele de fato supre cada uma das nossas necessidades. Ele é ainesgotável suficiência dos Seus.

É pois, com justa razão que nos prostramos perante o Senhor em reverente adoração, a fim de darmos-Lhe todo o louvor, toda a glória e toda a honra que merece pela Sua natureza, pelos Seus atributos e por tudo quanto, em graça e misericórdia, Ele faz a favor dos Seus. “A nosso Deus e Pai seja a glória pelos séculos dos séculos. AMÉM”

autor: Luiz Soares.