• Português

Cristo Amou A Igreja - 02

07/01/1917 – 25/12/2007
Transcrito por autorização especial da Escola Bíblica Emaús ©

CAPITULO 2
GRANDES VERDADES ACERCA DA IGREJA

Entrelaçadas ao longo do livro de Atos e das cartas (Epístolas) do Novo Testamento há muitas verdades grandiosas relativas à Igreja de Deus. Aqui faremos um breve comentário sobre algumas das mais importantes, com a intenção de desenvolvê-las mais amplamente nos próximos capítulos.

  1. HÁ UM SÓ CORPO – De acordo com Efésios 4:4 só existe uma igreja. Apesar de todas as circunstâncias que parecem negar isto, o fato permanece que, para Deus, há só um corpo de crentes na terra. Apesar desta igreja nunca ser completamente visível ao homem, ela constitui um corpo de todos, formado pelo Espírito Santo.
  2. CRISTO É A CABEÇA DO CORPO – Usando a analogia do corpo humano (Efésios 5:23; Colossenses 1:18), Paulo nos ensina que Cristo como Cabeça no céu controla o Seu corpo na terra. A cabeça nos fala de autoridade, liderança e sede do intelecto. A cabeça e o corpo participam da mesma vida, interesses e perspectivas. Como a cabeça não está completa sem o corpo, assim, num sentido muito real, Cristo não está completo sem a Sua Igreja. Assim lemos em Efésios 1:23 que a igreja, como Seu corpo, é o “complemento daquele que cumpre tudo em todas as coisas“. Isto causa o mais profundo respeito e adoração no crente.
  3. TODOS OS CRENTES SÃO MEMBROS DO CORPO – No momento em que uma pessoa é salva, ela é acrescentada à igreja como membro do corpo (Atos 2:47). Esta união transcende os limites de raça, cor, nacionalidade, temperamento, cultura, nível social, idioma e denominação. Na passagem clássica sobre os membros do corpo de Cristo (1 Coríntios 12:12-26), Paulo nos lembra que há muitos membros no corpo (vs. 12-14). Cada membro tem determinada função no corpo (vs. 15-17), mas nem todos os membros têm a mesma função (v. 19). O bem-estar do corpo depende da mútua cooperação de todos os membros (vs. 21-23). Porque todos os membros precisam uns dos outros, não há razão para descontentamento ou inveja (vs. 15-17), nem para orgulho ou independência (v. 21); Porque todos são membros de um corpo, deve haver entre todos cuidado mútuo, simpatia e alegria (vs. 23-26).
  4. O ESPÍRITO SANTO É O REPRESENTANTE DE CRISTO NA IGREJA – Depois da Sua ascensão ao céu, o Senhor Jesus enviou o Espírito Santo para ser o Seu representante na terra (João14:16, 26). As atividades do Espírito Santo na igreja se revelam, em parte, pelo fato que Ele conduz os cristãos em sua adoração (Efésios 2:18); inspira as suas orações (Romanos 8:26-27); outorga poder à sua pregação (1 Tessalonicenses 1:5); Guia-os nas suas atividades (Atos 13:2; 16:6-7), tanto de forma positiva (Atos 13:2), como negativa (Atos 16:6-7); levanta anciãos nas igrejas (Atos 20:28); dá dons para o crescimento e efetividade da Igreja (Efésios 4:11) e guia os crentes em toda a verdade (João 16:13).
  5. A IGREJA DE DEUS É SANTA – Dentre as nações, Deus está chamando um povo para o Seu Nome. Ele os separa deste mundo pecaminoso para Si, e requer como reação deles que suas vidas se caracterizem por uma santidade prática (1 Coríntios 3:17). Só assim é que a igreja pode, com fidelidade, representar um Deus Santo neste mundo corrupto.
  6. OS DONS SÃO DADOS PARA EDIFICAÇÃO DA IGREJA – A vontade de Deus é que a igreja cresça numérica e espiritualmente. Com este objetivo o Cristo ressus¬citado dá dons à igreja (Efésios 4:11). Estes dons são homens a quem é dada aptidão especial para edificar a igreja. Segundo a lista que encontramos em Efésios 4:11, os dons são apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e ensinadores.
    Cremos que os apóstolos e profetas estavam empenhados, antes de mais nada, na fundamentação da igreja (Efésios 2:20). Uma vez lançado o fundamento, cessou a necessidade de apóstolos e profetas neotestamentários e não os temos mais no sentido primitivo das palavras. 
    Contudo, ainda temos evangelistas, pastores e ensinadores. Os evangelistas saem para o mundo com o Evangelho, trazem os pecadores a Cristo, e depois conduzem-nos à comunhão da igreja local. Os pastores cuidam do rebanho, alimentando e encorajando as ovelhas e protegendo-as do mal. Os ensinadores revelam a Palavra de Deus de uma maneira compreensível e apresentam as doutrinas bíblicas de uma maneira bem equilibrada. 
    Temos ainda outra lista de dons espirituais em 1 Coríntios 12:8-10: a palavra da sabedoria, a palavra da ciência, fé, cura, operação de maravilhas, profecias, discernimento de espíritos, varie¬dade de línguas e interpretação de línguas. Não existe, necessariamente, contradição entre as duas listas. Em Efésios 4, os dons são pessoas cujas vidas aparentemente são consagradas inteiramente ao evange¬lismo, ensino ou obra pastoral. Em 1 Coríntios 12 os dons são aptidões que não se limitam necessariamente a certos indivíduos, mas que o Espírito Santo pode dar a qualquer membro do corpo de Cristo quando e como Ele escolher. Por exemplo, qualquer homem cristão pode ser guiado pelo Espírito a proferir uma “palavra de sabedoria” ou “palavra de ciência, sem ser exatamente um ensinador. Outro pode levar uma alma a Cristo sem que seja um evangelista. 
    Em 1 Coríntios 12:28, Paulo fala novamente de apóstolos, profetas, ensinadores, milagres, dons de cura, socorros, governos e varie¬dades de línguas. Aqui inevitavelmente surge a pergunta se ainda hoje temos dons de natureza milagrosa. Em Hebreus 2:4 lemos que Deus usou sinais e maravilhas para autenticar a pregação primordial do Evangelho. Isto se verificou nos tempos em que a Palavra de Deus ainda não estava totalmente disponível em sua forma escrita. Muitos creem que com a chegada da Bíblia completa, cessou a necessidade desses milagres. A Bíblia não esclarece o assunto decisivamente, embora creiamos que estes dons não existem hoje, genericamente falando, não podemos dizer que o Espírito Santo, de forma soberana, não tenha a liberdade de ainda usá-los, especialmente onde as Escrituras são raras. De qualquer forma, os que professam ter estes dons milagrosos devem ter o cuidado de exercê-los de acordo com as instruções da Palavra de Deus (por exemplo, o uso de línguas é regulado em 1 Coríntios 14). 
    No sentido secundário da palavra, não há dúvida de que ainda temos apóstolos, se apenas queremos dizer homens enviados pelo Senhor. Neste sentido menor também ainda temos profetas, isto é, homens que clamam por Deus contra o pecado e desregramento. Mas repudiamos inteiramente a ideia de que haja homens, hoje em dia, que tenham a mesma autoridade que foi delegada aos primitivos apóstolos, ou que possam falar com a mesma revelação direta e inspirada dos profetas do Novo Testamento. 
    Na medida em que estes dons ministram, a igreja cresce e os santos são edificados em sua santíssima fé. Os dons são provisão de Deus para a expansão da igreja.
  7. TODOS OS CRENTES SÃO SACERDOTES DE DEUS – A verdade final que apresentamos em relação à igreja é o sacerdócio de todos os crentes (1 Pedro 2:5,9). No Velho Testamento só eram elegíveis para o sacerdócio um deter¬minado grupo de homens da tribo de Levi, e da família de Aarão (Êxodo 28:1). Nos nossos dias não se requer uma casta especial de homens separada dos outros, nem o uso de vestes distintivas ou privilégios especiais. Todos os filhos de Deus são sacerdotes de Deus com todos os privilégios e responsabilidades que o nome implica.
  8. A FINALIZAÇÃO E DESTINO DA IGREJA – Como já vimos, a igreja está agora em processo de edificação. Sempre que uma alma é salva, uma pedra viva é acres¬centada à igreja. O edifício cresce silenciosamente sem se ouvir o som do martelo. O Espírito Santo acrescenta diariamente à igreja aqueles que hão de se salvar (Atos 2:47). 
    A obra estará concluída brevemente. Logo que a última pedra for colocada o Senhor Jesus descerá aos ares. Como que atraída por um ímã divino, a igreja subirá para encontrar-se com o Salvador, e juntos ambos retornarão para as muitas mora¬das da casa do Pai. “E assim estaremos para sempre com o Senhor” (1 Tessalonicenses 4:17). 
    Será da igreja a abençoada porção de não somente estar com Cristo eternamente, mas também de participar das glórias que Ele ganhou durante a sua carreira terrena (João 17:22). 
    Por toda a eternidade, a igreja está destinada a ser uma testemunha permanente da glória de Deus, “para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça, pela sua benignidade para conosco, em Cristo Jesus” (Efésios 2:7). 
    Por enquanto, a igreja é a obra-prima de Deus na terra. Ela constitui uma lição objetiva aos principados e potestades nas regiões celestiais da multiforme sabedoria de Deus (Efésios 3:10). Cada crente, pois, deve estar vitalmente inte¬ressado na igreja, e o seu trabalho cristão deve ter como um dos seus objetivos principais a expansão e a edificação da igreja (1 Tessalonicenses 1:6-8; 1 Coríntios 14:12).

Nota da Redação: Promovam este excelente curso por correspondência que é editado pela Escola Bíblica Emaús. Entrem em contato com o irmão Warren Brown pela Caixa Postal 464, Franca-SP, 14400-970, telefone (16) 3703-1034 ou e-mail: wjbrown@com4.com.br

autor: Warren Brown.