• Português

Eis aqui está o vosso Deus

Chegamos a mais um final de ano! As últimas badaladas do primeiro ano deste milênio se aproximam e mais um calendário da nossa existência aqui está ficando para trás. 2001 foi marcado por um atentado terrorista sem precedentes. Todos nós, com muita perplexidade, mais uma vez constatamos o quão cruel é o coração humano. Milhares de vidas inocentes foram de forma surpreendente ceifadas do nosso convívio no mês de setembro passado. Os que praticaram esse ato abominável o fizeram em nome de um deus que desconhecemos.

A cada virada de ano tem para nós o significado de que se abrevia o momento glorioso do encontro com o nosso Redentor, quando seremos por Ele arrebatados às nuvens, então teremos o fantástico encontro com o nosso Redentor, nos ares, e assim estaremos para sempre com Ele (1Ts.4:17).

Sem dúvida será um momento deslumbrante, de intensa glória, quando ouviremos o Senhor dizer à Sua Igreja para que suba até Ele e entre no Seu gozo ao contemplar todas as coisas que Ele tem preparado para o Seu povo. Que grande alegria, irmãos! Ser-nos-á dado o privilégio de vê-Lo no esplendor da Sua exuberante e majestosa glória, pois esta foi a Sua oração: "Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste..." (Jo.17:24).

No passado distante, três dos Seus discípulos testemunharam um lampejo da Sua imensa glória, como a glória do unigênito do Pai (Jo.1:14; Mt.17:1-8), e João teve uma visão majestosa da Sua glória no céu (Ap.1:13-16, etc.). No presente século, a Sua Igreja é que deve refletir (ou deveria estar) "como um espelho a glória do Senhor, transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor" (2Co.3:18). No futuro próximo, uma numerosa multidão clamará com grande voz: "Aleluia! Salvação, e glória, e honra, e poder pertencem ao Senhor nosso Deus... Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-Lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro... Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro... Estas são as verdadeiras palavras de Deus" (Ap.19:1-9).

A tradição religiosa tem estabelecido, entre os povos ocidentais, que este é o mês de comemoração da vinda do Cristo a este mundo. Ao longo dele ouviremos muita publicidade sobre o Natal e o brado de louvor da multidão da milícia celestial nas campinas de Belém será constantemente lido e ouvido: "Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens" (Lc. 2:14). Sabemos, entretanto, que a maioria dessas manifestações estarão despidas do verdadeiro significado dessa expressão, pois bilhões de almas, ainda em trevas, permanecem sem saber a profunda realidade da primeira noite do Natal.

Essas almas desconhecem que naquela fabulosa noite a glória do Senhor se manifestou com grande resplendor juntamente com a vinda do anjo que trazia boas notícias de grande alegria para todo o povo. Aquele foi um momento único para este mundo. Aquela noite representou a vinda do Deus Todo-Poderoso, em carne, através de Jesus Cristo, para efetuar a maior de todas as obras que este mundo conheceu. Por certo, naquele magnífico instante nenhum ruído se ouviu a não ser a mensagem angelical: "na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor".

O que, de fato, o anjo anunciador da Boa Nova estava afirmando aos pastores que ali se encontravam naquela noite? A perplexidade daqueles homens por certo foi muito grande, pois havia centenas de anos que Deus deixara de Se manifestar àquele desobediente povo e, por certo, eles não entenderiam se naquela noite o anjo lhes dissesse: Eis aqui está o vosso Deus.

Passados quase 2.000 anos, aquele mesmo povo, e a imensa maioria do mundo, ainda não consegue entender o significado daquela mensagem, e agora, não mais o anjo, mas a Igreja é que possui o imenso privilégio de revelá-la aos corações incrédulos.

Na sua visão do porvir, Isaías contemplou a chegada desse tempo glorioso e o anunciador clamando (João Batista) para que do deserto fosse preparado o caminho do Senhor e que uma estrada fosse endireitada no ermo para a chegada do nosso Deus, pois a glória do Senhor se revelaria (Is.40:3-5). Durante a visão, grandes dúvidas assombraram o consagrado profeta que o levou a indagar à voz que ouvia: "Que hei de clamar?". A voz lhe revelou a Boa Nova que deveria ser anunciada fortemente e sem temor: Eis aqui está o vosso Deus (Is.40:6-9).

Que neste Natal, e no ano novo que se descortina à nossa frente, seja esta a nossa realidade. Que toda a Igreja de Deus esteja disposta a afirmar aos descrentes essa mesma mensagem: Eis aqui está o vosso Deus, Jesus Cristo o Senhor, que veio para salvar e buscar o perdido, pois, a exemplo dos Seus apóstolos "não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido" (At.4:20)

Eis que o tempo se abrevia! O glorioso momento da Sua vinda para arrebatar a Sua Igreja se aproxima, quando seremos por Ele recebidos e aqui retornaremos para reinarmos com Ele no Seu magnífico Reino Milenar. Isaías vislumbrou esse momento fulgurante: "Eis que o Senhor Deus virá com poder e seu braço dominará por ele; eis que o seu galardão está com ele, e a sua recompensa diante da sua face" (Is.40:10). Este será o momento que as palavras preditas pelo profeta serão reiteradas: Eis aqui está o vosso Deus.

Vem Senhor Jesus!

José Carlos Jacintho de Campos

Agradecimentos

Agradecemos os votos natalinos e de um abençoado ano novo que nos têm sido enviados. A nossa recíproca é verdadeira a favor dos amados irmãos e seus queridos familiares. Que 2002 seja a todos irmãos e amadas igrejas locais um ano poderosamente abençoado e que muitas almas cheguem ao conhecimento da Verdade através do testemunho pessoal de cada um de nós. Isso é verdadeiramente o que importa e devemos entender, a todo instante, que a Igreja de Deus sempre será Gloriosa e Poderosa, mesmo que o inimigo das nossas almas procure nos inculcar a idéia de que ela seja frágil e ineficiente, porque em nenhuma hipótese será

Isaías 40:1-11
autor: José Carlos Jacintho de Campos.