• Português

O caminho da destruição, da ganância e da revolta

Judas 11

Convido os amados irmãos a considerarem essas características que são reveladas na Bíblia para nosso ensino nos dias de hoje. Vamos analisar os fatos separadamente observando se esses erros são praticados em nossas igrejas locais.

O CAMINHO DE CAIM
Gênesis 4:3-15


Caim levou a Deus uma oferta, fruto de seu trabalho, contudo não foi uma oferta agradável a Deus. Por quê? De fato foi uma oferta que ele mesmo produziu. Diante disso, podemos refletir como anda o nosso trabalho hoje. Estaria sendo produzido por nós mesmos ou pelo Espírito de Deus? Quando Caim percebeu que a sua oferta não tinha sido aceita, ele ficou com raiva de seu irmão a ponto de matá-lo, em seguida passou a mentir. Será que não haveria outra maneira de resolver essa situação?

Em qualquer ocasião há uma forma mais correta de resolver os nossos problemas, mas, de maneira geral, preferimos a briga para demonstrar que somos mais fortes. Tudo tem de ser do “nosso jeito”, mesmo que as Escrituras mostrem claramente o oposto. Essas atitudes pertencem ao mundo como foi no caso de Caim. Este é o caminho da destruição. Será que queremos isso?

Observemos o nosso Modelo: Nosso Salvador deu tudo por nós na cruz do Calvário, não questionou quando injustamente julgado, coroado com espinhos, chicoteado e não revidou quando O xingaram. Ele sofreu tudo por nossa causa, sem debate e sem argumentação. Então, por que não levar nossas diferenças a Ele, e andar no caminho certo para Glória do Seu nome? Ele sempre tem a solução!

GANÂNCIA E ERRO DE BALAÃO
Números 22 e 25

Balaão conhecia a Palavra do Senhor, mas “perdeu a cabeça” por entender equivocadamente que ao final ganharia alguma coisa com o seu erro. Deus usou até uma jumenta para falar a Balaão, contudo não foi o suficiente, pois perseverou determinadamente em seu erro. Endureceu o coração aquele que era chamado de profeta, com quem Deus Se comunicava e a princípio ele obedecia, mas a Bíblia afirma que era perverso o seu caminho. Portanto, o que importa para nós é perseverarmos em seguir o Senhor.

Quando não há briga, existe uma “guerra fria” como foi no caso de Balaão, porque esse tipo de pessoa só pensa em ganhar com seus argumentos, impondo suas próprias idéias. Nós não trouxemos nada quando entramos neste mundo e não vamos levar nada quando dele sairmos, tanto no aspecto financeiro quanto no social.

Há aqueles que pensam que são mais importantes na igreja local, por não se lembrarem o que Jesus disse à mãe de João e Tiago, quando ela Lhe pediu que permitisse que eles se assentassem a Sua direita e a Sua esquerda no reino dos céus. Jesus lhe respondeu: “… assentar-se à minha direita e a minha esquerda não me compete concedê-lo; é, porém, para aqueles a quem está preparado por meu Pai” (Mt.20:23). O Senhor condenou a busca da exaltação de João e Tiago. Não será isso suficiente para contemplarmos a vontade do Senhor e deixarmos de lado uma posição de superioridade perante Ele?

Que levem o mundo inteiro, mas nos deixem com Jesus! Esse deve ser o nosso desejo, para glorificá-Lo e exaltá-Lo em nosso meio. Que valor eu tenho para ser exaltado no meio dos meus irmãos? Absolutamente nenhum! Vamos voltar a apreciar esta Palavra maravilhosa que temos, e conhecer mais o nosso Salvador e Senhor que nos deixou o verdadeiro exemplo de um Servo.

A REVOLTA DE CORÉ
Números 16:1-35

Coré trouxe a discórdia para dentro da congregação de Israel contra a liderança de Moisés e Arão que Deus havia instituído diante do povo. A revolta em nossos dias é contra a liderança que procura manter os princípios das Escrituras. Como exemplo, se lermos uma passagem que não é muito aceitável a desculpa é que ela não se aplica aos nossos dias. Tentam deturpar o seu sentido para servir aos próprios desejos, e quando os irmãos mais experientes mostram que isto não está correto, começa a revolta sob a alegação que a juventude não é retrógrada por estar mais atualizada com os modismos que surgem.

Eles, como Coré, não têm experiência e acham que com pouco conhecimento podem resolver as coisas a seu modo. Então, qual seria o propósito de Deus na instituição de líderes? Hoje temos pessoas sendo levantadas como líderes em nosso meio que já causaram muitos problemas e estão levando nossos jovens para longe de Deus. Eles tem idéias modernas, mas não têm base na Palavra de Deus. É fácil enganar, difícil é liderar!

Moisés foi preparado por Deus, não por homens. Ele procurou andar com Deus por todo tempo, se comunicando com Ele a fim de saber qual seria a melhor maneira de resolver os problemas que surgiam. Em vez de se considerar o mais importante, Moisés manifestava a sua humildade e sempre pedia perdão pelos erros do povo de Deus. Isto é ser líder, pois sempre estava disposto a passar a noite em oração, sozinho com Deus, em favor do Seu povo, chorando por eles, intercedendo e procurando sempre o bem estar do povo de Deus. Não permitamos que certas atitudes continuem prejudicando a Obra do nosso Deus e Salvador. Esqueçamo-nos daquilo que tem que ficar para trás e avancemos para Glória do Seu Santo Nome, trazendo almas para conhecer este Salvador que vive em nós.

Em minha leitura diária, eu estava lendo o livro dos Salmos e descobri como Deus é bom para conosco ao nos dar a Palavra certa: “Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo” (Sl.42:1-2). Já no Salmo 43 Deus faz justiça contra o injusto, e no Salmo 44 Ele diz que devemos ouvir o que nossos pais nos contaram, das experiências de vida deles diante de Deus. O maravilhoso resultado nos é dado no Salmo 45:1 “De boas palavras transborda o meu coração: Ao Rei consagro o que compus; a minha língua é como a pena de habilidoso escritor”, e ainda mais, no Salmo 46, conhecemos a proteção divina: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações”.

Então, irmãos! Vamos resolver nossos erros da maneira mais correta, como determina o Salmo 46:10 “Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus”. Se todos nós estivermos nesta posição de busca de Deus e deixarmos Ele falar e nos aquietar, veremos o Seu poder em nosso meio.

Queridos irmãos, o caminho de Caim tem valor para nós? A ganância de Balaão vai enriquecer nossa vida espiritual? Revoltando-nos contra a Palavra de Deus nos ajudará a trazer almas para a Salvação? É hora de nos levantarmos e sermos contados para Gloria de Deus para que haja Salvação nesta nação, o Brasil, pois “Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado” (Sl.48:1).

autor: Jeffrey Arnold Watson 4.