• Português

O ser humano e seu destino (1)

O SER HUMANO E SEU DESTINO

Que a meditação nestas coisas encha o nosso ser com a grandeza dos propósitos de Deus em relação a cada um de nós, levando-nos a viver, aqui neste mundo, no temor do Senhor

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”
(1 Tessalonicenses 5:22)

Ronaldo E. Watterson
Nasceu em 21/11/1935, espiritualmente em 1952,
veio para o Brasil em 1960, e faleceu em 30/05/2016

CAPÍTULO 1

O SER HUMANO
Gênesis 1:26-31 e 3:18-24

O que é o homem? Eis uma pergunta que provoca respostas das mais variadas e contraditórias. As opiniões do homem a respeito de si mesmo variam desde as teorias científicas até à superstição religiosa.

Alguns acreditam que o ser humano é um animal — o mais evoluído dos animais. Outros afirmam que ele é um espírito, vindo de uma esfera espiritual para encarnar-se aqui, a fim de cumprir determinada missão. Porém, é na Bíblia que descobrimos o que realmente somos; descobrimos de onde viemos, e para onde vamos. E é uma descoberta das mais impressionantes!

A Bíblia deixa bem claro que não somos meros animais, nem espíritos encarnados; ela revela que não evoluímos de outra forma de vida, nem viemos do “mundo dos espíritos”. A Bíblia também revela que o nosso destino não é uma cova em algum cemitério.

Quem somos, então?

O que é o homem?

A ORIGEM DO SER HUMANO                                                                                   

Poucos acreditam que a idade desta Terra e da raça humana é de poucos milênios, mas a Bíblia fornece uma cronologia que nos permite calcular a idade da nossa raça, e por meio desta cronologia descobrimos que Adão, o primeiro homem, foi criado por Deus há aproximadamente 4.000 anos antes do nascimento do nosso Senhor Jesus Cristo.


COMO FOI?                                                                                                         

“Disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança … e criou Deus o homem à Sua imagem; à imagem de Deus o criou, macho e fêmea os criou” (Gênesis 1:26-27). Nesta citação vemos, primeiramente, a decisão de Deus de criar o homem e, em seguida, o fato consumado.

No segundo capítulo de Gênesis encontramos mais detalhes; Deus formou o corpo de Adão do pó da terra (Gênesis 2:7) e o corpo de Eva de uma costela tirada de Adão (Gênesis 2:22).

Portanto, o aparecimento do ser humano neste mundo não foi o clímax dum processo evolutivo, nem a chegada de espíritos provenientes de outra esfera; foi o clímax da obra criativa de Deus.

ADÃO E EVA                                                                                                       

O espiritismo ensina que Adão não foi o primeiro homem, nem o único que Deus fez. Porém, a Bíblia mostra claramente que Adão foi o primeiro e o único homem que Deus fez por obra criatorial. Lemos em Gênesis 2:5 que, antes da criação de Adão, não havia homem para lavrar a terra. O Novo Testamento confirma isto, pois fala do “primeiro homem, Adão” (1 Coríntios 15:45, 47).

Vemos, com igual clareza, que ele foi o único criado por Deus e que toda a raça humana descende dele. Quando o apóstolo Paulo esteve em Atenas, ele disse que Deus fez toda a raça humana de um só (Atos 17:26), e encontramos a mesma verdade, novamente, na carta aos Romanos, onde lemos que o pecado entrou neste mundo por um só homem (5:12). O resto daquele capítulo (Romanos 5) apresenta um contraste entre a obediência de um (que é o Senhor Jesus) e a desobediência de um (que é Adão). Não pode haver dúvida; quando Deus tomou do pó da terra para formar o corpo de Adão, Ele fez um homem só.

DOIS ASPECTOS DO SER HUMANO                                                                           

  • Feito do pó da terra

É humilhante saber que somos pó.

Abraão reconheceu este fato (Gênesis 18:27); o rei Davi também o admitiu (Salmo 103:14). Era verdade o que Deus tinha dito a Adão: “és pó, e em pó te tornarás” (Gênesis 3:19).

O pó é tão insignificante que nem faz diferença numa balança; é tão indesejável que as donas de casa gastam tempo precioso tirando-o dos móveis. E nós somos pó! Somos, em nós mesmos, criaturas tão insignificantes e imprestáveis que o salmista foi forçado a exclamar: “Quando vejo os Teus Céus, obra dos Teus dedos, a Lua e as estrelas que preparaste; que é o homem mortal para que Te lembres dele?” (Salmo 8:3-4).

Gostamos de pensar que somos importantes, mas a verdade é que não somos nada; somos pó.

  • Feito à imagem e semelhança de Deus

É maravilhoso saber que o homem foi feito à imagem de Deus. Esta pobre criatura do pó tem algo realmente glorioso; foi feito pelo próprio Deus, e feito à Sua própria imagem.

Não devemos pensar, porém, que esta imagem e semelhança são físicas. Deus não tem corpo material como nós temos; Deus é espírito (João 4:24) e a Bíblia nos diz que espírito não tem carne nem ossos (Lucas 24: 39). Deus é invisível (Colossenses 1:15 e 1 Timóteo 1:17). Ele não é semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício ou imaginação dos homens (Atos 17:29). Muitos têm mudado a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível (Romanos 1:23), mas Deus não é assim. A semelhança de que Deus fala em Gênesis capítulo 1, não é física e sim, espiritual e moral.

Vejamos alguns aspectos:

a) Responsabilidade. Deus é soberano; Ele faz o que quer. Ele nos fez à Sua imagem, dando-nos domínio sobre toda a criação terrestre, e outorgando-nos o direito de livre arbítrio. Ao colocar o homem no jardim do Éden, Deus lhe disse: “De toda a árvore do jardim comerás livremente; mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gênesis 2:16-17). Adão possuía livre arbítrio; poderia comer ou deixar de comer o fruto daquela árvore. Deus respeitaria a sua escolha, mas Adão teria de arcar com as consequências. Ele era um ser responsável.

b) Existência eterna. Deus é eterno, e Ele fez o homem para viver eternamente. Quando Deus soprou o fôlego de vida nas narinas de Adão, este tornou-se uma alma vivente. Note bem a palavra “vivente”. Adão foi feito para viver, e nunca teria morrido se não tivesse comido aquela fruta proibida. Viveria para sempre.

c) Trindade. Deus é triuno. Existem três pessoas divinas — o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e estas três pessoas são um só Deus. Não podemos confundir as Pessoas, nem dividir a Divindade, pois não são três deuses; são três Pessoas distintas em um só Deus. E Deus nos fez à Sua imagem. Somos criaturas triunas, compostas de corpo, alma e espírito. Não podemos confundir estas três partes, pois são distintas, mas juntas, formam um ser.

O CORPO NÃO É A ALMA                                                                                      

Descrevendo a morte de Raquel (Gênesis 35:18), a Bíblia diz: “E aconteceu que, saindo-lhe a alma …”. No momento da morte, a alma de Raquel saiu do seu corpo. Portanto, corpo e alma são duas partes distintas. Vemos isto confirmado em 1 Reis 17:21-22, no relato da morte e ressurreição do filho da viúva de Sarepta.

O Novo Testamento traz o mesmo ensino em Mateus 10:28. O Senhor Jesus disse aos discípulos que não deveriam temer “os que matam o corpo, e não podem matar a alma”. Se o homem tem capacidade de matar o corpo e não tem capacidade de matar a alma, então é claro que corpo e alma são duas partes distintas. O corpo não é a alma.

O CORPO NÃO É O ESPÍRITO                                                                                

Este fato parece tão claro e lógico que não precisa de provas, mas a Bíblia ainda fala claramente, dizendo-nos que o corpo sem o espírito está morto (Tiago 2:26). Enquanto o espírito permanece no corpo, este vive, mas quando o espírito sai do corpo, este morre. O espírito pode sair do corpo, e sai mesmo, na hora da morte. Portanto, são duas partes distintas. O corpo não é o espírito.

A ALMA NÃO É O ESPÍRITO                                                                                  

Aqui a distinção parece mais difícil, pois o corpo é material e visível, ao passo que a alma, bem como o espírito, são imateriais e invisíveis. Mesmo assim, existe uma resposta adequada mostrando-nos que há diferença entre alma e espírito. Nesta altura do estudo queremos apenas constatar que há diferença e, para isto, não precisamos ir além de Hebreus 4:12, onde lemos que a Palavra de Deus penetra até a divisão da alma e do espírito. Se a Palavra de Deus é capaz de dividir entre alma e espírito é porque são duas partes distintas. Portanto, alma não é espírito.

Veremos no capítulo seguinte o que a Bíblia diz destas três partes do nosso ser, para que possamos compreender o que realmente somos, de onde viemos e para onde vamos.

                                                                                                                        

© 2014 Editora Sã Doutrina
Caixa Postal 241
Pirassununga-SP
13630-970
www.sadoutrina.com

autor: Ronaldo E. Watterson.