• Português

O Servo Que Deus Chama - 2

2. TEMOS QUE CONFESSAR NOSSOS PECADOS E OUVIR A VOZ DO SENHOR.

O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia” (Provérbios 28:13). Parece ser mais fácil ocultar o erro do que confessá-lo. Pode ser que vocês que estejam lendo estes escritos tenham escondido seus pecados, suas mulheres e seus filhos não sabem, a igreja não sabe, ninguém sabe, então ficam tranqüilos e esquecem, tudo passou! Será que passou mesmo? Será que vocês podem ficar tranqüilos, em paz? Como diz Salomão, o que encobre a sua transgressão jamais prosperará, pensem nisso! Leiam o Salmo 139 e vejam se é possível esconderem-se de Deus, ou esconderem de Deus alguma coisa.

Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia” (Salmo 32:3). Essas palavras são de Davi, que foi, sem dúvida, um grande servo de Deus, mas houve um tempo em sua vida que escondeu os seus pecados. É triste ouvir Davi falando que durante esse tempo ele envelheceu precocemente. Não vale a pena deixar os pecados em oculto, é melhor enfrentar a disciplina da igreja e o que os outros irão dizer, e com humildade acertar tudo, do que enfrentar os sofrimentos do presente e as correções no Tribunal de Cristo.

A) “Ouvi a voz do Senhor

Notemos que somente depois de passar por esses passos (reconhecer o erro e confessar o pecado) é que Isaías pôde ouvir a voz do Senhor (Isaías 6:8). A comunhão com o Senhor leva-nos a perceber Sua voz. Vejamos os exemplos contidos na Palavra de Deus:

  • Samuel – Ainda bem jovem ele não tinha experiência com o Senhor. Teve dificuldade em entender que era o Senhor que estava lhe falando e foi preciso a ajuda de Eli para que ele atendesse a voz do Senhor. Para melhor compreender esse exemplo leiam 1 Samuel 3:1-11.
  • Barnabé e Saulo – “E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado” (Atos:13:2). Percebam por este texto que o Espírito Santo está falando à igreja acerca do chamado de Barnabé e Saulo. A igreja, que vivia com o Senhor, ouviu a Sua voz, eles entenderam perfeitamente o que o Espírito do Senhor lhes estava ordenando. Tanto é que não hesitaram em obedecer à voz de Deus: “Separai-me agora”. Notem a última frase do versículo: “a obra que os tenho chamado”. O Senhor, através do Espírito Santo, tinha falado com esses dois servos antes de falar com a igreja, e o mais bonito de se observar é que ambos viviam envolvidos com as coisas do Senhor e por isso ouviram com clareza a voz de Deus.
  • Paulo e Silas – “E, percorrendo a região frígio-gálata, tendo sido impedidos pelo Espírito Santo de pregar a palavra na Ásia, defrontando Mísia, tentavam ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não o permitiu” (Atos 16:6-7). Nesse exemplo vemos Paulo e Silas que, encomendados pelos irmãos, partiram para pregar a Palavra do Senhor. Por duas vezes, conforme lemos no texto em análise, eles foram impedidos pelo Espírito Santo. Sem dúvida eles ouviram a voz de Deus e entenderam o que o Espírito estava lhes falando. Devemos lembrar que o Espírito Santo habita dentro de cada um de nós, podemos sem muita dificuldade entender a Sua voz, é necessário que cada servo de Deus aprenda a discernir a voz do Senhor dentro de si mesmo.
  • Amós – “Mas o Senhor me tirou de após o gado, e me disse” (Amós 7:15). Vejam como Amós tinha certeza do que estava fazendo: “O Senhor me disse”. Ele era um homem simples, um colhedor de sicômoros (um tipo de figo) e trabalhava com o gado, era um homem do campo, porém trabalhador. Sua vida com Deus lhe permitiu aprender a ouvir a Sua voz.

Comparem com Deuteronômio 18:21-22 “Se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o Senhor não falou? Sabe que, quando esse profeta falar em nome do Senhor, e a palavra dele não se cumprir, nem suceder, como profetizou, esta é palavra que o Senhor não disse; com soberba, a falou o tal profeta; não tenhas temor dele”.

B) “A quem enviarei? E quem há de ir por nós?”

O Senhor tem os Seus poderosos anjos e Ele os usa para determinadas tarefas, mas o pregar aos pecadores foi confiado inteiramente aos homens e mulheres salvos por Cristo Jesus. Vejam o que o Senhor tem dito: “Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo” (João 17:18). Vejam ainda: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28:19-20). O Senhor confiou essa missão aos homens salvos, nós não podemos fugir da nossa responsabilidade. Muitos irmãos e irmãs, chamados por Deus, ouviram a Sua voz e disseram: Eis-me aqui, envia-me a mim. Esses que foram chamados permanecem fiéis ao Senhor e fazem a obra com dedicação.

O Senhor quer trabalhadores para Sua seara: “Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara” (Mateus 9:38). É isso que temos que pedir ao Senhor! Trabalhadores, irmãos incansáveis, que vão fazer a obra simplesmente com o desejo de glorificar o nome do Senhor. Os enviados pelo Senhor sempre foram pessoas, às vezes simples, outras vezes sem a chamada cultura secular ou religiosa, cuja fé Nele era notável. Quanto a essas pessoas que no serviço secular eram trabalhadores, vamos observar alguns exemplos:

  • Amós – “Respondeu Amós e disse a Amazias: Eu não sou profeta, nem discípulo de profeta, mas boieiro e colhedor de sicômoros. Mas o Senhor me tirou de após o gado e o Senhor me disse: Vai e profetiza ao meu povo de Israel” (Amós 7:14-15).
  • Eliseu – “Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou o seu manto sobre ele. Então, deixou este os bois, correu após Elias e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. Elias respondeu-lhe: Vai e volta; pois já sabes o que fiz contigo. Voltou Eliseu de seguir a Elias, tomou a junta de bois, e os imolou, e, com os aparelhos dos bois, cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram. Então, se dispôs, e seguiu a Elias, e o servia” (1 Reis 19:19-21). Eliseu estava trabalhando quando o Senhor através de Elias o chamou. Um homem trabalhador, ouvindo a voz de Deus despediu-se de seus pais e seguiu a Elias, tendo sido obediente ao chamado. Abateu os seus bois e queimou os carros, suas ferramentas do trabalho secular, por certo ele não pretendia voltar a esse tipo de atividade nunca mais, mas depender do Senhor para o seu sustento, como de fato foi a sua vida. Ele nos deixa um exemplo de confiança plena no poder do Senhor em suprir as nossas necessidades. Os obreiros nunca deveriam se esquecer desse princípio, se querem ganhar muito dinheiro e ter uma vida abundante neste mundo, nunca digam que foram chamados por Deus para viver em tempo exclusivo. Será que o nosso grande Deus não é capaz de sustentar aqueles que Ele chama e envia ao campo?
  • Pedro e André – “Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu os irmãos Simão e André, que lançavam a rede ao mar, porque eram pescadores. Disse-lhes Jesus: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens” (Mateus 4:18-19) É fácil pensar que aqui foi o momento da conversão desses servos de Deus, mas não foi. Na verdade aqui o Senhor os está chamando para dar todo o seu tempo para a obra de Deus. A conversão deles se deu quando João, o batizador, lhes apontou Jesus Cristo como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1:37), e eles foram até ao lugar onde o Senhor residia e passaram um tempo com Ele, nessa ocasião se converteram a Cristo. Logo em seguida, André levou Pedro até ao Senhor Jesus Cristo e ali houve a sua conversão, ocasião em que o Senhor mudou o nome de Simão para Cefas, que quer dizer Pedro: “...e o levou a Jesus. Olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, o filho de João; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro)” (João 1:42). A mudança do nome é um forte indício da sua conversão. Quando o Senhor Jesus os chamou para o ministério, eles estavam “lançando as redes”, estavam em atividade, pois eram trabalhadores. Se uma pessoa não gosta de trabalhar e é recomendada à obra por sua igreja, também será preguiçosa na obra de Deus. Se uma pessoa trabalha só quando é forçada pela vigilância dos patrões, será que quando estiver na obra, onde terá que programar o seu trabalho e ninguém a estará vigiando, ela fará o trabalho?
  • Tiago e João – “Pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco consertando as redes” (Marcos 1:19). Tiago e João eram sócios de Simão e André, eles juntamente com o pai de Tiago e João tinham um empreendimento de pesca (João 1:20). Simão e André foram chamados quando lançavam as redes, Tiago e João quando as consertavam. Esses homens, de fato, eram pessoas simples, mas honradas e trabalhadoras, e o resultado desse chamado já sabemos, eles foram grandes servos de Deus, usados por Ele para ganhar muitas almas para o Reino.

Uma igreja local deve seguir os princípios bíblicos, não deve recomendar à obra uma pessoa somente para se livrar dela. Também não deve recomendar uma pessoa que não gosta de trabalhar e, o mais importante de tudo, se a igreja não consegue ouvir a voz de Deus não deve fazer nada, mesmo que o irmão insista em querer. Por outro lado a igreja deve se dedicar ao Senhor com maior empenho, como a igreja em Antioquia: “E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado” (Atos 13:2).

autor: Alberto Espigari Trinck.