• Português

Quando Deus muda o óbvio da história

Imagine você sentado em sua sala assistindo a uma luta. Então o apresentador diz: “Deste lado, pesando aproximadamente 200 quilos, com 2,99 de altura, couraça de 60 quilos, lança de 15 quilos, ele é o Golias. “Do outro lado, pesando cerca de 65 quilos, aproximadamente 1,65 de altura, cajado (2 quilos), 5 pedras (500 gramas), alforje de pastor (500 gramas), funda (600 gramas) ele é o Davi”.

Provavelmente você ligaria fazendo sua aposta, é claro, no Golias. Ou você mudaria de canal, pois “quem perderia seu tempo assistindo a um confronto cujo final já está desenhado, olhe só para a disparidade de tamanho?”. Mas esta história não é mera ficção, não há luta comprada, não há internautas dando sua opinião, nem tão pouco bolsas de apostas. É a dura realidade do povo de Deus no cume de um monte sendo afrontado durante quarenta dias por um gigante que está no vale. Posso imaginar o sarcasmo de Golias no trigésimo nono dia: “Como é, não tem nem um homem neste exército capaz de me enfrentar? Cadê o povo de Deus cuja “lenda” diz destruir muralhas e derrotar exércitos inimigos? Não há ninguém?

Por certo, quanto mais via o medo nos olhos dos guerreiros israelitas maior eram as afrontas que fazia. Os filisteus no cume do outro monte provavelmente davam gargalhadas: “então, é este o exército que destruiu os midianitas com 300 homens?”. Muitos gritos de insulto ecoavam no vale.

Vamos agora para um lugar totalmente diferente. Estamos num campo florido próximo a um rio tranqüilo, árvores frondosas embelezam ainda mais esta paisagem e a brisa suave dá vida aos galhos que em uma maestria perfeita parecem conduzir o coral da natureza. O único som preponderante aqui é o gorjear dos pássaros e o tropel das ovelhas. Em meio a esta paisagem bela e tranqüila está alguém que com certeza nunca seria um personagem principal na história da guerra, nem mesmo na mente do Steven Spielberg. Provavelmente nem o próprio Davi pensou que seu dia tão tranqüilo pudesse terminar num vale frente a frente com a morte e com sua roupa de peles respingada de sangue.

Jessé, com sua voz já trêmula pelos muitos anos vividos, chama Davi e o envia a seus irmãos para levar alimentos e trazer as notícias da guerra. Neste dia, porém, Davi deu um passo a mais, ele foi além do que era permitido e o que ele viu? Imagine Davi andando entre as fileiras de Israel vendo homens com medo e dentre eles seu irmão Eliabe com um físico impressionante. Que saúde! Mas vejam só, o que Eliabe está fazendo escondido atrás desta pedra? A resposta está logo ali no vale. A Bíblia nos diz que a cada dia que Golias descia ao vale e insultava o exército de Israel os homens olhavam uns para os outros com grande espanto e diziam: “você viu aquilo? Você viu o tamanho daquele homem? Estamos perdidos!” É esta a cena que Davi viu ao caminhar entre o exército israelita.

Davi reage de forma diferente a de todos os outros. Provavelmente alguém poderia dizer: “coitado deste menino, ele não entende nada de guerra”. A reação de Davi não foi de medo, e sim, de extrema coragem e gostaria que você observasse bem uma expressão dita por ele no versículo 26b: “Quem é este incircunciso filisteu para afrontar o exército do Deus vivo?"

A circuncisão foi uma prova da aliança de Deus com Abraão, e a partir daí todo israelita era circuncidado, e isto demonstrava que Deus também tinha um pacto com este homem. As palavras de Davi expressam sua confiança que Deus era com ele, que ele tinha uma aliança com Deus, e que Deus nunca rompeu as suas alianças. As palavras de Davi podem ser subentendidas assim: “Este homem pode até ser grande, só que é simplesmente um homem. Nós temos Deus como nossa força”. Meu irmão, já houve momentos em sua vida em que tudo o que faltou foi verdadeiramente entender que você é filho de Deus, que Deus tem um pacto com você e que por isso, todo gigante vai ao chão? Muitas vezes nós temos a idéia de um Deus distante e muitíssimo ocupado para nos incluir em sua agenda.

Você é pai? Todo pai tem grande interesse pelas mínimas coisas do filho. O pai é aquele que se interessa pelas notas do filho na escola, é aquele que depois de estar deitado vai até a cama do filho para ver se ao virar na cama o filho se descobriu, pai é aquele que olha para um pequeno arranhão no braço do filho e quer saber como aquele acidente terrível aconteceu, e se você lhe perguntar porque ele se interessa tanto assim por você a resposta será: “por que eu sou o seu pai”. Deus se interessa por cada vale que percorremos, por cada gigante que enfrentamos, por cada tempestade que navegamos, e se você O perguntar porque Ele se interessa tanto assim por você, Ele lhe responderá através das palavras do apóstolo João: “Vede quão grande amor nos concedeu o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus – e se porventura você duvidar disso, João afirma – e somos mesmo filhos de Deus” (1João 3.1).

Este é o pacto que Deus tem conosco, não uma simples circuncisão, mas o supremo privilégio de sermos Seus filhos através do sacrifício de Cristo. Agora, Deus enche Suas mãos de bênçãos e diz: “é só pegar” – “Tudo o que pedires crendo, recebereis”. Era neste Deus que Davi confiava, era confiando neste pacto com Deus e Sua fidelidade em cumpri-lo que Davi se revoltava diante das blasfêmias proferidas por Golias.

Ao continuarmos lendo o capítulo percebemos Davi dizendo a Saul: “Olha Saul, eu estava lá no campo apascentando as ovelhas e, então, veio um urso e eu o matei, veio também um leão e eu o segurei pela barba e o matei”. Ao ler isso você poderia ter a reação imediata de dizer: que rapazinho convencido, hein? Mas observe o versículo 37: “O Senhor me livrou das garras do leão e das garras do urso”. Qual é o princípio que aprendemos com Davi?

Quantas vezes vamos como um trator derrubando todas as muralhas, tombando todos os gigantes, percorrendo todos os vales e em dado momento paramos e dizemos: “EU sou demais”. Davi reconhecia suas vitórias, mas as atribuía a Deus, e cada leão, cada urso, ou cada gigante era enfrentado na inteira dependência de Deus – Disse Davi ao filisteu: "tu vens a mim com espada, com lança, e com escudo, mas eu venho a ti em nome do Senhor dos exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado” (v. 45). Depois de tantos anos de ministério o apóstolo Paulo admite que é “nas nossas fraquezas que Deus aperfeiçoa o seu poder”, este versículo em sua forma negativa seria: “É quando me acho forte, que Deus me deixa desprovido de poder”.


DAVI E OS RESULTADOS DE SUA FÉ

Gostaria de considerar agora alguns atributos da Fé. Enquanto os israelitas olham por sobre as pedras das quais se agachavam atrás para se esconder e viam um indelével gigante, Davi ergue seus ombros, enche seus pulmões de ar e ergue sua cabeça, e observe o que ele vê: “O teu servo matava, assim o leão como o urso; este incircunciso filisteu será como um deles, porque afrontou os exércitos do Deus vivo” (v. 36). Espere aí Davi, você está vendo um animal naquele vale? Limpe os seus olhos e volte a olhar, deve ser o nevoeiro. Davi deve ser míope.

O primeiro atributo da fé é que A FÉ NOS TRANSPORTA PARA O MUNDO DE DEUS. Veja como Davi passa a ver o Golias como Deus via, como um pequeno obstáculo, como um modo de Deus mostrar mais uma vez o Seu poder.

Querido irmão, qual é o nome do seu gigante? O de Davi era Golias! Qual o nome do seu gigante? O Seu gigante é uma esposa que não compreende bem o seu chamado? É a falta de resultados em tantos anos de trabalho na Obra do Senhor? É a sensação de estar sendo inútil? É o seu companheiro de trabalho que passou a lhe perseguir? É aquele crente carnal que vive dando trabalho? A pergunta seguinte é: O que você vê quando olha para o vale onde este gigante se encontra? Você vê um problema sem solução capaz de impedir seu ministério, ou, oba! Uma chance a mais de Deus mostrar o Seu poder. Você fica escondido atrás das pedras no cume do monte ao lado de Eliabe, ou você vai com Davi ao vale ao encontro deste gigante?

Não há barreiras para nós e nosso ministério quando temos fé, quando passamos a ver todas as coisas como Deus vê, quando os maiores gigantes que pasmam a maioria, como a falta de dinheiro por exemplo, é um mero obstáculo que vamos atropelar. Quando temos fé, todas as circunstâncias da vida nos trazem não a expectativa de uma possível derrota, e sim, a expectativa de como Deus vai revelar o Seu poder desta vez, nos tornando vitoriosos.

Imagine você entrando numa sala de exposição de obras de arte e ao olhar os diversos quadros você observa um que lhe chama a atenção, não por ser tão belo ou de cores fortes, e sim, porque parece patético. Você contempla um enorme gigante, e o desenho de suas pegadas anteriores fazem você ter a idéia do tamanho avantajado de seus passos. Um homem muito bem preparado, uma couraça bem polida que reflete o brilho do sol, uma lança enorme e uma espada também. Do outro lado vem um moço vestido com roupas de pastor, cada passo do gigante corresponde a cinco passos dele. A inclinação que suas vestes faz para trás, mostra que ele está correndo, é inacreditável que ele esteja com um cajado na mão, pedras no alforje, e uma funda. Sabe o que é mais impressionante? Ele está indo lutar com o gigante.

Aqui está o segundo atributo da fé. A FÉ NOS ENCORAJA. Talvez se fosse eu, daria um passo, olharia para o gigante, olharia para trás, que vontade de voltar! Dava o segundo passo para conferir as pedras no alforje, quem sabe se o Senhor não faz com que ele tenha um ataque cardíaco e não preciso descer até ao vale. Meus irmãos, se existe uma coisa difícil de acontecer e que nos revela o quanto nossa fé é pequena e às vezes até o quanto ela é ausente, é sairmos correndo não dos gigantes, mas ao encontro deles. Já aconteceu isso em sua vida? Algum momento em que você estava vendo a possibilidade de muita dificuldade e que você arregaçou as mangas e disse: “pode vir que eu estou pronto”? Sabe por que Davi corria ao encontro de Golias? Era porque ele já o via caído no chão, é porque ele já se via segurando a cabeça de Golias, isso é fé. A fé nos encoraja porque não nos deixa ver um gigante erguido em nossa frente, e sim, ela nos faz vê-lo deitado, destruído, aniquilado. A fé nos encoraja porque ela não nos deixa concentrar no tamanho do gigante e sim no tamanho do nosso Deus. Seu gigante é uma igreja que não compreende o seu chamado? A fé lhe fará ver o vislumbre da igreja lhe enviando. Seu gigante é uma esposa irredutível quanto a não aceitar o seu chamado? A fé lhe fará vê-la ao seu lado na Obra do Senhor.

Observe estas palavras de Davi a Golias: “Hoje mesmo o Senhor te entregará na minha mão, e te ferirei, tirarei a tua cabeça. Os cadáveres do arraial dos filisteus darei hoje mesmo às aves do céu e às bestas da terra, e toda terra saberá que há Deus em Israel. Saberá toda esta congregação que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; pois, do Senhor é a guerra, e ele vos entregará nas nossas mãos”.

Davi e Golias então começam a batalha, e veja só no que dá: “Assim prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra; sem uma espada na mão, feriu-o e o matou. Correu Davi e, pondo-se de pé sobre o filisteu, tomou-lhe a espada, desembainhou-a, e o matou, cortando-lhe com ela a cabeça. Vendo os filisteus que o seu campeão estava morto, fugiram.”

Se você contar esta história desta forma para um incrédulo ele provavelmente lhe dirá: “este Davi era um excelente vidente, hein?” Aqui fica o último atributo da fé que queremos considerar – A FÉ DETERMINA O FUTURO. Você já pensou nisso? Veja como Deus fez exatamente conforme Davi havia dito. Jesus realizou vários milagres, mas em alguns deles Jesus disse ao necessitado: “Seja feito conforme a sua fé”. A fé determina o futuro.

Irmão, veja a intensidade desta afirmação. Você tem um gigante a enfrentar? Creia e Deus fará conforme a sua fé. Seu gigante é um filho rebelde sem conversão? Creia e Deus fará conforme a sua fé. Seu gigante é um marido frio espiritualmente que a impede de servir ao Senhor? Creia, e Deus fará conforme a sua fé. Seu gigante é uma família que nunca compreenderá o seu chamado? Creia e Deus fará conforme a sua fé. Seu gigante é a falta de recursos financeiros para realização da Obra do Senhor? Creia, e Deus fará conforme a sua fé. CREIA, CREIA e CREIA.

Quando você vai a um poço tirar água, o que determina a quantidade de água que você vai trazer? É o tamanho do balde que você leva. Assim é a fé. Em algumas ocasiões o gigante nos derrota e então dizemos ao Senhor: “Senhor, onde foi que você errou?” e Deus nos responde: “filho, seja feito conforme a sua fé, você se lembra?”.

É assim que Deus muda o final desta história, que aos olhos humanos era óbvio. Deus quer mudar o final da sua história, Ele sempre tem um final feliz desde que você seja capaz de CRER.

autor: Ronivaldo Moreira.