• Português

Reagindo às más notícias

Neemias 1-2

Neemias é um livro de grande encorajamento e nos encanta ver o maravilhoso desempenho de Neemias e o povo de Deus naquela excelente obra - a reconstrução dos muros em Jerusalém.

Ao introduzir este assunto, vamos dar umas pinceladas no contexto desta época. Estudiosos registraram que o livro de Neemias foi escrito até os anos 430 AC e relata os últimos acontecimentos do Velho Testamento, depois da reconstrução do templo com Esdras e antes do livro de Malaquias que foi escrito poucos anos depois.

Neemias era um homem de visão e amor pela obra de Deus. Tinha consciência da grandeza do trabalho e procurou conhecer a sua extensão (Neemias 4:19). Vamos dar mais algumas características deste grande personagem: Um homem de Deus, corajoso, fiel e trabalhador. Foi copeiro do rei Artaxerxes, pois inspirava confiança do mesmo. Um homem de coração centrado na vontade de Deus, por isso deixou o país onde trabalhava e foi para Jerusalém enfrentar a reedificação daquela obra tão importante. Dividimos este estudo em quatro partes, para melhor analisarmos como isto aconteceu.

1. Neemias recebeu uma má notícia sobre a sua cidade amada (Jerusalém) (1:3). Ele ouviu da aflição de seus conterrâneos que sobreviveram ao exílio, soube da falta de proteção da sua cidade e povo, como também, provavelmente, do esforço de Esdras na edificação do templo. Ele não agüentava pensar naquele centro de adoração acabado, destruído.

Quantas más notícias temos ouvido hoje em nossa própria vizinhança, família, cidade, país e até em outros países? Será que alguma notícia destas tem nos levado a tomar uma atitude, como fez com Neemias, ou estamos bem acomodados?

2. Neemias sentiu profundamente aquela catástrofe (1:4). “Quando ouvi estas palavras, assentei-me e chorei. Lamentei por alguns dias, e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus”. Ele sentiu com pesar o que passava no coração de Deus, com toda aquela destruição.

Neemias pôs Deus em primeiro lugar em sua vida. Dedicou-se ao “jejum” e “oração”, sabendo que seria impossível resolver esta situação aos olhos humanos, sem estes dois ingredientes espirituais.

A cidade do seu Deus estava quebrada e queimada a fogo e o povo desgarrado como ovelhas sem pastor. Ele não perguntou a Deus o que poderia fazer, mas mostrou o seu desejo em ver a cidade de Deus restaurada, por isso sentou e chorou, lamentou por alguns dias. Um detalhe interessante nos é dado no primeiro verso dos capítulos 1 e 2, é que ele recebeu a má notícia no mês de Quisleu, (o nono mês), mas foi no mês de Nisã (o primeiro mês) que o Rei percebeu a sua tristeza (2:1), quando disse: “Lamentei por alguns dias”, não sabemos exato o número de dias, mas sabemos que passou do nono até o primeiro mês. Esperou em Deus por um bom tempo, para então ver o mover de Deus e a mudança do seu quadro de dor.

Neemias mostra-nos nessa atitude, que ele não se importou consigo mesmo, mas primeiramente com a obra de Deus. Transpondo isto para nossa realidade, como agimos no trabalho de Deus em nossas igrejas locais? Estamos nos desprovendo de nosso “eu”? Cristo Jesus está sendo glorificado e exaltado? (Hebreus 10:19-25). Estamos percebendo as partes quebradas de nosso povo, as rachaduras do muro de proteção e agindo como Neemias? Ele estava desejoso em reconstruir os muros para Glória de Deus. Pagou o preço com um tempo separado para Deus. Mateus 5:4... “Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados”. Que postura cristã digna que nós podemos tomar diante dos pecados de nossa nação, vizinhança ou família? Estamos chorando e nos dedicando em oração por eles?

3. Neemias confessou o pecado da nação de Israel e se dispôs diante de Deus (1:7). Ele usou a nossa arma mais poderosa, que é a oração, pois sabia que “ o seu povo havia agido perversamente contra o Senhor e desobedecido os seus mandamentos”. Agora estavam sofrendo as conseqüências com aquele tão grande desastre. Quando confessamos o pecado, o poder Divino abre as portas. Deus abriu em primeiro lugar o coração do rei Artaxerxes que, movido por Deus, notou a mudança no seu semblante e percebeu logo que era do coração que ele estava sofrendo. Após contar tudo ao rei, o Senhor preparou o coração do mesmo para providenciar tudo o que Neemias precisaria. Vamos olhar como estas providências chegaram uma por uma até Neemias.

O Rei Artaxerxes separou um tempo determinado para Neemias viajar à terra do sepulcro de seus pais, como também liberou uma guarda de oficiais do exército e cavaleiros para ir com ele em sua viagem (2: 9). Concedeu cartas de permissão para passar nas províncias dalém do Eufrates até chegar a Judá. Doou toda a madeira possível para as vigas na reedificação das portas e muros da cidade, bem como da casa que ocuparia. Assim, no capítulo 2, Neemias foi enviado à Jerusalém com material e segurança. Como seu coração devia estar grato por ter alcançado este favor de Deus através do Rei! Quando nosso Deus está na obra, tudo que precisamos Ele pode providenciar com certeza.

4. Neemias montou um plano exato e começou a agir (2:11-16). Notemos que ao chegar a Jerusalém, ele não avisou o povo o que pretendia fazer. Antes, efetuou uma vistoria para ver exatamente o que seria necessário para tão grande obra. Muitas vezes esquecemo-nos de verificar, sondar a situação primeiro, antes de planejar a solução dos problemas da obra. Vejamos o que a Palavra nos diz em Lucas 14:28... “Se algum de vós está querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?”. Neemias agiu consciente de como devia edificar.

Ao fazer esta vistoria, foi o tempo exato para Deus lhe revelar todo Seu plano. Então, depois do plano montado, ele foi avisar o povo, dizendo o que pretendia fazer. Convocando o povo, mostrou seu propósito em reconstruir os muros da cidade santa. Fazendo divisão dos obreiros, cada um para seu lugar de trabalho. Como um verdadeiro homem de Deus, ele soube organizar tudo segundo a vontade divina; pronto a esperar para ser utilizado na hora e da maneira que Deus queria.

Amados, para vermos a extensão e tamanho da obra, a direção e as providências de Deus, é necessário orar muito, derramar lágrimas e esperar até que o foco divino seja bem ajustado e revelado. Desta forma poderemos ser úteis como Neemias foi!

Eles o apoiaram e logo se puseram à disposição da obra em comunhão com Deus e com os outros. Tiveram a mesma visão e se uniram ao propósito divino. A comunhão foi a mola que moveu o povo de Deus para com sabedoria construir juntos. Cada um tomou a sua própria responsabilidade: alguns levantando o muro, outros vigiando contra qualquer ataque do inimigo, sempre prontos a ajudar se alguém se encontrasse em perigo, mantendo os instrumentos de defesa sempre ao lado.

O inimigo ao ver aquela mobilização veio fazer oposição contra eles, dizendo que se levantassem o muro, um pequeno vento iria derrubá-lo. É bom notarmos que Neemias estava preparado até para dar resposta aos inimigos da obra de Deus, não usou palavras, mas sim a “oração”. Isto, irmãos, é nossa grande resposta contra o inimigo: a oração. Nesta dispensação, nosso trabalho é “edificar” a igreja do Senhor. Levantá-la em mutirão como no tempo de Neemias, com responsabilidade, união e com bastante oração, algumas vezes em jejum e, principalmente, com comunhão estaremos aptos para vencer o inimigo e encorajar nossos irmãos para executar os propósitos de Deus.

Temos muito a aprender neste livro pela maneira com que Neemias agiu: ouviu a má notícia, sentiu profundamente em seu coração, confessou o pecado da nação, dispôs-se, planejou por cerca de 90 dias e agiu mobilizando o povo de Deus para a execução daquela tremenda obra que foi realizada em somente 50 dias. Vamos gastar mais tempo com o Senhor da obra e faremos muito mais em muito menos tempo. Que Deus assim nos abençoe!

Veja agora o artigo "Frutificando através da união" sobre o capítulo 3 de Neemias.

autor: Jeffrey Arnold Watson 4.