Boletim dos Obreiros

Vamos voltar para o Livro?

Quantos livros são escritos por ano no mundo? Creio que milhares! Imagine em uma década, nos últimos 50 anos, ou até em um século. Vai além de nossa imaginação! Eles passam e caem de moda. Entretanto, há um livro que é o mais vendido em todo o mundo que vem ultrapassando os séculos, o único que é vivo, pois através dele Deus fala a esta geração na era pós-moderna. Este Livro dos livros se chama a Bíblia, não há outro igual.

Você já parou para considerar o valor inestimável do Livro que Deus deixou em suas mãos? Quantas vezes você o tem lido por inteiro, apreciando esta maravilha que temos ao nosso dispor?

Atualmente, temos tido a necessidade de mudar e inovar para ficarmos atualizados com esta era da eletrônica, modificando nossos pensamentos e estratégias para alcançar o perdido. Isto quer dizer: “viver politicamente correto”. Mas o que devemos perguntar é: “aonde esta atitude vai nos levar?” Será que “estamos certos diante de nosso Deus”?

Se fizermos uma análise sincera, há um “grande” risco nesta maneira de agir ao se procurar fazer as coisas para agradar aos ouvintes, esquecendo-nos de procurar a vontade de Deus para agradá-Lo. Há perigo em se aceitar caminhos que a Escritura Sagrada mostra que são contrários ao caminho de Deus. É muito bom avaliarmos nossos pensamentos, hábitos, inovações, para ver se eles vêm de Deus ou dos homens! E pensar no fato: “se somos verdadeiros cristãos, estamos agradando a Deus”? Não estamos a seguir as pegadas da igreja de Éfeso (Apocalipse 2:40), deixando o primeiro amor? Ou a igreja em Pérgamo (Apocalipse 2:14,15), seguindo doutrinas humanas que não agradam ao nosso Deus? Cuidemos, pois com Deus não se brinca! Dura coisa é cair nas mãos do Deus vivo.

No princípio Deus falou, e pela Sua Palavra tudo foi criado. Adão sabia o que agradava a Deus e deve ter ensinado seus filhos a agradá-Lo também. Portanto, que tristeza Adão não teve em ver Caim seguir o seu próprio caminho, fazendo o sacrifício à sua maneira. Vemos que aquele foi o primeiro passo de atitudes cadenciadas que ele tomou. Vamos ver agora, um pouco da vida de Abraão. Ele era um homem de Deus que andou com Ele pela fé. Conversando e recebendo instruções para a sua vida. Por isto, foi chamado “Amigo de Deus” (Tiago 2:23). Que título maravilhoso o Senhor lhe deu, que nível ele foi posto! Perto do coração de Deus. Foi o único na Bíblia a ter esta posição privilegiada! Como Deus deve ter Se agradado ao ver a sua vida e suas atitudes devotadas a Ele. Hoje, nós temos o privilégio de ter a vontade de Deus revelada nesta biblioteca maravilhosa de 66 livros, para mostrar-nos o Seu caminho. Oremos irmãos, busquemos direção no mapa até alcançar segurança vinda do Alto para agirmos.

Quando Abraão se desviou do caminho indo para o Egito devido à fome na terra, houve consequências drásticas. Foi lá que ele mentiu para os egípcios e creio que também foi de lá que trouxe sua serva Hagar, consequências que até hoje são vistas através das guerras entre árabes e judeus e não são diferentes para nós nos dias de hoje. Abraão escolheu o que ele achou que era correto. Alguma vez você já tomou decisões sem consultar o Senhor? É bom notar que os resultados virão! Portanto, é interessante pensar que o Senhor só voltou a falar com Abraão, depois que ele saiu do Egito; logo depois teve que se separar de Ló para então ser abençoado com a promessa de possessão de Canaã. Foi quando obedeceu a Palavra de Deus é que as bênçãos voltaram! Quantas coisas ele teve que deixar para trás! A caminhada de fé não é simples e cômoda!

Ao Povo de Deus, Israel, foi prometida a terra de Canaã e a libertação da escravidão do Egito. Mas, os que estavam no Egito não tiveram a capacidade para conquistar o inimigo (Faraó). Por isto Deus precisou levar Moisés para o deserto e ensiná-los a ouvir a Sua voz para se tornar o libertador daquele povo. O Egito é a figura do mundo. Este ficou impregnado no coração do povo porque sentiam saudades da vida de lá e por isto peregrinaram no deserto por quarenta anos em lugar de dois. Todo este tempo foi necessário para Deus tirar o Egito do coração daquele povo.

Durante essa jornada, Deus entregou os dez mandamentos para ajudá-los, porém foram quebrados imediatamente por causa da idolatria do povo. Pessoas desobedientes dançavam e pulavam perante um ídolo negando assim a liderança de Moisés, esquecendo seus ensinos; só pensavam em reclamar mostrando a sua rebeldia. Quebravam as leis modificando-as para atender aos seus próprios desejos. Tristemente pagaram um preço altíssimo, morrendo toda aquela geração no deserto. Isto é o resultado da desobediência. Ninguém, além de Calebe e Josué, foi classificado para adentrar a terra da promessa. Nem mesmo Moisés entrou, por reagir impulsivamente diante da desobediência do povo e de suas reclamações. Será que a nossa geração de “cristãos” é melhor que aquela?

No tempo de Josué lemos, no capítulo um do seu livro, a necessidade de andar no caminho das leis de Deus e não nos desviarmos nem para a direita nem para a esquerda. Lembrando o livro “O Peregrino” em sua viagem, que ao desviar do caminho entrou em um lamaçal e vale de desencanto e sofreu muito. Realmente, quando saímos do caminho certo é muito difícil voltarmos se não houver ajuda por perto. Às vezes temos que voltar para Deus e confessar que verdadeiramente erramos e aceitamos que somente Ele pode nos ajudar a endireitar os nossos caminhos. Como está você, meu irmão, sendo fiel e agradando ao nosso Deus?

Lemos em 2 Reis 22, quando do reparo da Casa do Senhor, o Livro ali achado foi mostrado ao rei Josias. Lendo-o, o rei descobriu os erros do povo de Israel e que as leis que Deus havia deixado para o Seu povo não eram seguidas. Ao ouvir as palavras do Livro, Josias rasgou as suas vestes e mandou consultar o Senhor para ver o que era necessário fazer para voltarem a agradar a Deus. Sem a observação do Livro de Deus e o temor a Ele é impossível andarmos nos Seus caminhos. Paulo em Gálatas 3:10 mostra-nos a consequência que teremos se não permanecermos na Palavra de Deus. A resposta é que vamos receber maldição ao invés de bênçãos. Então, vamos fazer o que a Palavra do Senhor nos mostra.

Todavia, é tão mais fácil cair no caminho errado. Hoje temos tantos livros que “são feitos para nos ajudar”. Nada contra a leitura de livros, porém não devemos aceitar tudo o que lemos ou ouvimos sem verificar se estamos seguindo a popularidade ou a Palavra de Deus. As igrejas de hoje estão vivendo em uma situação precária! A verdade é que muitos estão utilizando os livros feitos pelos homens, várias ideologias, sem considerar as diretrizes bíblicas. Alguns “vão no embalo”, copiando esta ou aquela “denominação”, mas quanto ao valor dessas suas atitudes, isto não vem ao caso. Pensar em comparar as ideologias com a Palavra de Deus é coisa do passado. Nós, que queremos agradar a Deus, devemos ser como os cristãos de Bereia em Atos 17:11, que buscavam a resposta nas Escrituras. Em Mateus 2, Herodes perguntou aos sacerdotes sobre o lugar onde o Senhor Jesus havia de nascer e, após terem procurado nas Escrituras, responderam que era em Belém!

Paulo na sua primeira carta aos Coríntios (3:5) fez uma pergunta: “quem é Paulo, quem é Apolo”? Ele mesmo não considerou a si mesmo, mas sim a Cristo Jesus e a Sua Palavra. Ouvimos algumas pregações hoje, citando muitos nomes, sites da internet e outros, mas estes nunca fizeram parte da Palavra de Deus. Não estou dizendo que não se pode utilizar o pensamento de um comentarista usado pelo Senhor, mas não devemos focá-los levando o interesse dos ouvintes a tantos pensamentos, desviando do assunto principal que a Palavra traz, sufocando o poder da Palavra.

Tempos atrás entrei em uma conversa com um jovem sobre o seu interesse em ler muitos livros e ele me afirmou que passava o dia inteiro lendo-os, então fiz uma pergunta simples: “quantos minutos você passa lendo a Bíblia”? Ele ficou furioso comigo, porque a verdade bateu em seu coração; não quis mudar, continuou sem ler a Palavra e não muito tempo depois o seu desejo de ir à igreja local parou de existir.

As perguntas curiosas sempre são feitas, como por exemplo: “porque as igrejas não têm sustentabilidade”? A realidade é que a igreja tem, pois Deus cuida de Sua igreja e de Seus servos. Sempre querer o caminho mais simples, mais visível, não é a solução. Fomos chamados a andar por fé! Não temos necessidade de fazer o que está além da realidade bíblica. Por outro lado, também temos muitos erros doutrinários que se tornaram tradições em nosso meio, que traz confusão para nós. Tudo isto deve ser examinado à luz das Escrituras.

Se voltarmos para o Livro, conhecendo o caminho que Deus mostra nas Escrituras, vamos deixar as interpretações humanas para trás e vamos ver uma grande mudança em nossas igrejas locais. Esta mudança será vista por todos e trará frutos para Glória do nosso Deus e Salvador Cristo Jesus.

Irmãos, “vamos voltar para o Livro dos Livros”, porque seus ensinos são santos, suas leis obrigatórias e suas decisões imutáveis. Leia-o para obter luz para o seu caminhar, sabedoria em suas decisões, alimento para sua vida e conhecimento para entender a vontade do nosso Deus! Ponha-o em prática no seu dia a dia e você verá a diferença! Que Ele assim lhe abençoe!