Boletim dos Obreiros

A disciplina na aprendizagem do crente

Hebreus 12:5-11

Disciplina é sinônimo de: doutrina, educação, ensino, instrução, ordem e organização.

Implica em aprendizagem, tendo como componentes o instrutor, o aprendiz e a matéria. O aprendiz aprende a matéria ensinada pelo instrutor, com maior ou menor dificuldade, dependendo das características de cada componente, da dedicação do aprendiz e do instrutor. Um grau maior de dificuldade requer sofrimento da parte do aprendiz e severidade da parte do instrutor.

A visão do sofrimento do cristão é agora apresentada ao leitor. Qual seria a causa da perseguição, provação, doença, dor, tristeza e problemas que surgem na vida do crente? Seriam sinais da reprovação ou descontentamento de Deus? Acontecem por acaso? Como devemos reagir contra eles?

Esses versículos nos ensinam que estas coisas são parte do processo educativo de Deus para Seus filhos. Embora não sejam causados por Deus, Ele permite que aconteçam para depois anulá-los para a Sua glória, para o nosso bem e para a bênção dos outros. Nada acontece por acaso para o cristão. Tragédias são bênçãos disfarçadas, decepções são seus ajustes. Deus aproveita as circunstâncias adversas da vida para nos conformar à imagem de Cristo.

Como lemos em Provérbios 3:11-12, Deus nos trata como filhos. Em qualquer relacionamento normal de pai e filho, o pai treina seu filho porque ele o ama e quer o melhor para ele. Deus nos ama demais para simplesmente deixar-nos crescer sem Sua ajuda.

Podemos também reconhecê-Lo como o nosso Senhor submetendo-nos à Sua disciplina. Muitas vezes tendemos a pensar que disciplina significa punição, mas na verdade inclui tudo o que está envolvido na formação de uma criança, ou seja, instrução, aviso, incentivo, conselho e correção adequada. Tudo o que Deus permite entrar em nossas vidas tem um propósito.

O propósito final de Deus nas disciplinas da vida é que nos tornemos participantes da Sua santidade. É bom nos esforçarmos para que o propósito de Deus seja alcançado através da disciplina, pois assim aproveitaremos mais. Não deveríamos detestar ou desprezar a Sua disciplina, nem reagir contra Deus, nem desistir da nossa fé. Se nos rebelarmos ou desistirmos, perderemos o benefício de nosso relacionamento com Ele e deixaremos de aprender Suas lições.

Permanecendo submissos à correção de Deus, permitimos que Sua disciplina nos molde em Sua imagem. Se tentarmos abreviar Seu tratamento conosco, Ele poderia ter que nos ensinar por mais tempo, usando métodos mais severos e consequentemente mais difíceis de suportar. Há graus na escola de Deus, e a promoção só vem quando aprendemos as Suas lições.

Temos na Bíblia muitos exemplos do sofrimento de servos de Deus, por motivos diversos, notavelmente Jó, um homem íntegro e temente a Deus. No livro de Jó aprendemos que Satanás não só perambula pela terra, mas tem acesso à presença de Deus no céu, onde acusa os servos de Deus: o seu nome significa "adversário", "acusador".

Deus conhece profundamente cada pessoa na terra e permite que Satanás ponha à prova o caráter e fidelidade dos Seus servos; Satanás, por outro lado, nada pode fazer contra eles, sem a permissão de Deus, porque Deus coloca "uma cerca" em volta deles e de tudo quanto eles possuem (Jó 1:10) - quanto isso nos conforta!

Depois de perder todos os seus filhos e todos os seus bens, a mulher de Jó lhe disse: "Você ainda mantém a sua integridade? Amaldiçoe a Deus, e morra!" Mas ele respondeu: "Você fala como uma insensata. Aceitaremos o bem dado por Deus, e não o mal?". A fé e a fidelidade de Jó eram inabaláveis e, depois de muito sofrimento físico e das tentações propostas pelos seus "amigos", Jó saiu vitorioso, pois continuou fiel a Deus através de tudo, e recebeu uma grande recompensa do Senhor, ainda aqui na terra.

O Senhor faz uso da adversidade para corrigir aos Seus filhos, assim como a punição é necessária na educação dos nossos filhos. É prova de que realmente somos Seus filhos. Quando lemos as palavras “disciplina” e “castigo”, tendemos a pensar em uma surra... Mas aqui essas palavras significam a formação e educação. Incluem a instrução, disciplina, correção e prevenção, todas destinadas a cultivar as virtudes cristãs e expulsar o mal. Nesta passagem, a correção não é um castigo por delito, mas formação através da perseguição. A passagem em Provérbios acima afirma claramente que a disciplina de Deus é uma prova do Seu amor e nenhum filho escapa da Sua correção.

Veja também: “Disciplina e Castigo”, publicado no Boletim dos Obreiros em 1/11/2002.