Boletim dos Obreiros

A Palavra de Deus

Ao estudar as heresias de algumas das mais importantes religiões que se autodenominam cristãs hoje (católico-romanas, os “russellitas” que falsamente se identificam como testemunhas de Jeová, os adventistas, os carismáticos, os mórmons e os espíritas), observamos as suas principais características:

  • Um "novo Evangelho", isto é, uma ou mais características acrescentadas à Bíblia: dogmas papais e bulas, os ensinamentos dos "pais da igreja", filosofias humanas, novas "revelações" em sonhos e visões, "profecias", um novo "batismo do Espírito Santo", a "tradução" de texto alegadamente escrito em "tabletes de ouro" divulgados por um "anjo" (Marcos 7:9-13; João 12:48; Gálatas 1:8; 1 Tessalonicenses 2:13; Apocalipse 22:18-19).
  • A distorção do texto sagrado, modificando o significado real do original, para apoiar suas teorias estranhas (Provérbios 30:5-6; Deuteronômio 4:2; Mateus 4:6, 22:23-29; 2 Coríntios 2:17, 4:2; Gálatas 1:7-2; 2 Timóteo 4:3-4; 2 Pedro 3:15-17).

Tendo colocado a Palavra de Deus de lado, ou transformado a sua mensagem, as heresias mais ridículas, absurdas e blasfemas foram preparadas, com o objetivo satânico da interposição de uma barreira entre as pessoas e a sua comunhão com Deus através da fé em Cristo, e de promover os interesses financeiros daqueles que as proclamam.

No entanto, a Bíblia é a Palavra de Deus, a Palavra da Verdade, os oráculos de Deus, as Escrituras proféticas, as Sagradas Escrituras, e a espada do Espírito, como ela própria proclama ser (Romanos 1:2, 3:2, 16:26; Efésios 6:17; Hebreus 4:12; Tiago 1:18).

Ela tem toda a autoridade, ela é inspirada por Deus, ela opera de forma eficiente nos crentes, é a verdade, ela é perfeita, ela é viva e eficaz, é forte, é cortante, é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração e é pura. (Salmo 19:7, 119:160; Provérbios 30:5; Jeremias 23:29; 1 Tessalonicenses 2:13-20, 3:16; Hebreus 4:12; 1 Pedro 4:11).

Quando lemos que ela é inspirada por Deus em 2 Timóteo 3:16, a palavra usada no original grego é theopneustos, que significa soprado por Deus: cada palavra no original é de origem divina. Nunca lemos que os autores foram inspirados, o que poderia nos levar a pensar, como os que ensinam heresias querem que a gente pense, que os autores teriam sido inspirados a escrever suas próprias ideias. Como lemos em 2 Pedro 1:21... "a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo." Aqui "profecia" não significa apenas a revelação de eventos futuros, mas uma mensagem que inclui a transmissão de tudo o que procede de Deus, isto é, toda a Bíblia.

Muitos textos da Bíblia começam com as palavras "assim diz o Senhor", "ouvi a palavra do Senhor" e semelhantes. Ezequiel diz que o que está escrevendo são as "palavras de Deus". Nos quatro breves capítulos de Malaquias, o último livro do Antigo Testamento, "diz o Senhor dos Exércitos" aparece vinte e quatro vezes. O apóstolo Paulo declara, depois de afirmar que só o Espírito de Deus conhece as coisas de Deus, que ele falou "não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito Santo" (1 Coríntios 2:13; João 16:13).

O conteúdo da Bíblia é confirmado pelo cumprimento de suas profecias (João 5:39, 45-47; Hebreus 2:1-4) e sua infalibilidade (João 10:35). É curioso que toda a Bíblia em suas línguas originais pode ser convertida em números, e eles formam uma rede complexa, mas bem organizada do número sete e seus múltiplos, que liga as suas frases, seus parágrafos e seus livros na língua em que foram escritos: é o único livro no mundo onde isso acontece e nenhuma mente humana é capaz de fazer algo parecido! O nome de Jesus Cristo, por exemplo, tem o valor numérico de 749: sete e sete vezes sete.

O caráter de "respirado por Deus" pertence exclusivamente aos livros da Bíblia. Não importa o que é dito pelos homens depois que o livro do Apocalipse foi escrito - o último livro a ser escrito - nada mais foi dado por revelação, nem existem quaisquer palavras adicionais ditas ao homem pelo Espírito Santo. A autenticidade e autoridade do que é dito está na medida em que se conforma à própria Bíblia. Nenhuma pessoa ou igreja tem o direito de requerer para si a autoridade que só existe na Palavra de Deus.

A Bíblia é a mensagem divina para a humanidade, e não é um privilégio apenas de estudiosos, religiosos ou intelectuais: ela foi escrita para todos. É por meio da instrução do Espírito Santo, que habita em todos os crentes, por meio de uma análise aprofundada do seu conteúdo, e o uso da razão, comparando os vários textos que tratam do mesmo assunto, ouvindo os ensinamentos dos mais experientes, mas sempre verificando as Sagradas Escrituras para ver se o ensino é correto (João 5:39; Atos 17:2, 10-12; 1 Coríntios 2:10-14; 2 Pedro 1:20-21).

A leitura, compreensão e aplicação da Palavra de Deus resultam em provas de que o Cristo é Jesus, que é a salvação, a regeneração para uma nova vida, a purificação do nosso caráter, a iluminação do nosso caminho, o crescimento espiritual e a derrota do diabo (Salmo 119:9,11,105,130; João 17:17, 20:31; Atos 18:28, 20:32; Efésios 6:16,17; 2 Timóteo 3:15; Hebreus 4:12; 1 Pedro 1:23).

A Palavra de Deus nos ensina que ela deve ser lida em uma base diária, ser amada e guardada com alegria no coração, recebida com humildade, obedecida, e ensinada aos filhos (Deuteronômio 11:19, 17:19; Salmo 1:2, 119:11,97,113,167; João 15:7, Atos 17:11; Colossenses 3:16, Tiago 1:21-22).