Boletim dos Obreiros

Sou uma placa bem visível?

Marcos 2:1-7

Quantos de nós já levamos multas por não vermos uma placa que estava mal posicionada ou não estava bem visível? Foi o que aconteceu comigo! Um dia, ao entrar em uma rua, não vi a placa que estava bem alta e em cima da curva e levei uma multa por excesso de velocidade. Minha pergunta hoje é se nós não somos iguais essas placas quando se trata em levar pessoas para Cristo? Não é isso que de certa forma Paulo diz: “Portanto, suplico-lhes que sejam meus imitadores” (1 Coríntios 4:16).

Não estou a dizer que todos nós temos que ser evangelistas, apóstolos ou missionários, pois sei que cada um tem o seu chamado e dons perante o Senhor. Nos dias atuais, porém, muitos não atentam para o fato de que as pessoas não se convertem por dois motivos: Porque não conheceram um cristão ou porque conheceram um cristão.

Na leitura do trecho acima, vemos quatro amigos a levar um homem para ser curado e salvo por Cristo Jesus. Apesar de não termos muitos detalhes de como tudo aconteceu podemos imaginar alguns deles sem distorcer a Palavra.

Os quatro amigos ficaram sabendo que Jesus estava na cidade e eles descobrem onde Ele está ensinando. Então vão até seu amigo paralítico e cada um pega um canto de seu leito e juntos o carregam até o local. O que eles não esperavam é que quando chegassem lá teria tanta gente que ficasse difícil entrar. Na verdade, era impossível. Os quatro amigos tinham uma escolha a fazer! Eles podiam deixar pra lá, podiam ficar lá até Jesus sair ou achar outra forma de chegar até Jesus. E aí, o que fazer?

Não sabemos quem ou como, mas sabemos que alguém subiu viu o local onde se encontrava Jesus e juntos com muito esforço e dificuldade levaram o paralítico até o telhado e depois o desceram até os pés de Jesus. Por causa dos seus esforços todos viram um milagre acontecer. Imagina se eles tivessem deixado o paralítico lá ou tê-lo levado para casa por acharem de que não havia solução.

Não precisamos procurar muito para achar ao nosso redor pessoas que necessitam de um encontro pessoal com Cristo. Minha pergunta é o que temos feito por nossos amigos e familiares que estão ao nosso redor? Você talvez esteja a pensar como é difícil e problemático. Amados, as dificuldades são grandes e cheias de obstáculos. Mas aí temos uma escolha a fazer. Para isso temos que nos fazer uma pergunta: “Queremos ver um milagre em nossa família?”. Se a resposta for sim então vamos ver alguns obstáculos que precisamos vencer.

O maior destes é a oração. Nunca vamos realmente falar do amor de Deus, nunca vamos sentir algo por aqueles que estão fora dos caminhos do Senhor se primeiro não orarmos por eles. A oração é o primeiro passo de que nos importamos com eles, pois estamos depositando-os aos pés de Cristo e aí Cristo nos enche de Seu amor por eles.

Para entendermos melhor como a oração é importante quero relatar uma história de um grande missionário na África, David Livingston. Um dia um renomeado missionário voltou para Escócia para relatar a grande necessidade de missionários na África. Ao chegar a uma congregação numa noite fria e com muita neve descobriu que havia umas 10 mulheres idosas. E agora, estas mulheres não têm condições de ir para a África como missionárias? Lutando dentro de si se mudava a mensagem ou não, ele decidiu não a mudar, pois elas poderiam orar por esta situação. O que este missionário não sabia é que lá no alto tinha uma criança que estava ajudando no órgão. Após a mensagem este garoto se levantou e disse que ele iria.

Alguns anos mais tarde ele pesquisou como seria a melhor forma de chegar à África. Ele descobriu que seria sendo médico. Então ele estudou medicina e quando se formou foi para África. Um belo dia um chefe de uma das aldeias mandou avisar que ele estaria indo matar todos os cristãos daquela aldeia. David se ajoelhou e perguntou a Deus se este seria o fim. Porém, o dia chegou e eles não chegaram até eles. O que aconteceu foi o contrário o chefe daquela aldeia se converteu.

Ao perguntar o chefe por que ele não veio, o chefe respondeu que eles foram, porém ao chegar à aldeia eles se detiveram com 39 gigantes.  Ao voltar para Escócia para dar o relatório sobre o andamento dos trabalhos na África, David conta esta história. Após o culto um dos irmãos foi correndo até ele e perguntou qual seria o dia exato deste acontecimento. Ao abrir seu diário o senhor de idade mostrou que naquele dia tinha 39 irmãos em oração por David. Coincidência? Estes fatos são reais.

David enfrentou vários obstáculos, mas colocou sua vida nas mãos do Senhor. Se aquele primeiro homem não tivesse pregado e se David não tivesse orado pedindo ao Senhor ajuda naquela situação, o que teria acontecido?

Um dos nossos problemas é que estamos mais preocupados em enfiar a Palavra de Deus goela abaixo e nos esquecemos de que as pessoas só vão se importar com o que temos a dizer quando mostramos o quanto nos importamos com eles. Irmãos, temos que nos preocupar menos com o que falamos e mais como agimos ao redor deles. Temos que mostrar mais amor. O que fez com que o paralitico chegasse até Cristo não foram palavras e sim a ação daqueles quatro amigos. A maioria das portas que têm sido abertas para fazermos o trabalho aqui no Nordeste não é por causa de palavras persuasivas e sim pelo amor mostrado a eles.

O último ponto que quero comentar com vocês é o “compartilhar”. Aqui temos dois pontos importantes. Primeiro, é que quando oramos e mostramos amor automaticamente o nosso desejo é compartilhar com os outros a Palavra de Deus, ou levá-lo até alguém que possa ajudá-lo. Assim como fizeram os quatro amigos. E é através destes amigos que vemos o segundo ponto, para eles chegarem até Cristo com o paralitico foi preciso que os amigos se unissem. É por este motivo que lá em Atos somos orientados a sempre estarmos em comunhão, “Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações” (Atos 2:42). Como posso levar outros a ter comunhão com Cristo se eu não estou tendo comunhão com o corpo de Cristo?

Amados, fomos orientados por Cristo para sermos Luz e ir por todo mundo para pregar o Evangelho e aí preciso me perguntar se estou cumprindo isso? Vamos orar, amar e compartilhar mais deste Amor que nos foi revelado na Cruz por nós.