Boletim dos Obreiros

Amados

2 Pedro 3

Que tratamento especial ao sermos chamados de “amados” por quatro vezes neste capítulo (vs. 1, 8, 14 e 17)! Esta palavra revela aquele amor profundo que somente Deus pode dar:“...porque o amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo” (Romanos 5:5). Lemos que este amor faz parte do fruto do Espírito em Gálatas 5:22-23. É muito importante termos a certeza de que somos realmente “amados”, vivendo e andando neste tão Grande Amor do nosso Salvador Jesus, pelo Espírito.

Esta palavra não foi usada pelo Senhor Jesus, mas sim, vivida por Ele. Seus discípulos a aprenderam na convivência com o Mestre e passaram a usá-la. Pedro apreciou o valor desta palavra; ele foi um dos que aprendeu a ser amado em suas experiências com Jesus. Nos anos que seguiram ao arrebatamento de Cristo, encontramos Paulo e outros irmãos usando também esta bendita palavra. Isto ocorreu para mostrar que todos nós somos “amados” por Deus e que fazemos parte duma grande família, a Família do Amor de Deus.

Pedro deixou para nós quatro lições importantes que iremos aqui meditar. Desta forma, devemos procurar despertar as nossas mentes não nos esquecendo que o Senhor nos tem amado e, por isso, Ele quer o nosso empenho para vivermos em amor e paz, prevenidos contra o inimigo no dia da Sua vinda.

1) Amados, despertai-vos

Pedro estava chegando ao final da sua segunda carta sabendo que a hora da sua partida estava próxima. Ele escreveu este capítulo com o objetivo de ensinar e ajudar os cristãos a enfrentarem as batalhas que viriam. No capítulo 2 dessa epístola ele revela que haveria falsos ensinadores que pensariam só em ganho e na destruição da Obra de Deus.

Porém, no capítulo 3, Pedro chama a atenção dos leitores usando esta palavra maravilhosa: “amados”. Ele quer que todos saibam que são importantes para ele e para Deus, sendo “amados” com um amor acima de qualquer outro. Esta é a palavra-chave para que os corações sejam abertos e preparados para conhecerem o que Pedro escreveu para os cristãos.

Muitas vezes nossas mentes estão fechadas para aquilo que Deus nos envia, temos que primeiramente aquecer nossos corações com o Seu grande amor para nos fazer lembrar que somos Seus filhos “amados”. Isto despertará nossos pensamentos para considerar mais as Suas coisas.

Foi com a introdução desta palavra que Pedro trouxe às mentes dos leitores o perigo que iriam enfrentar. Como? Despertando as lembranças! Fazendo-os lembrar dos ensinamentos dos profetas, que tornaram padrão dos discípulos, e, acima de tudo, transmitindo o exemplo de amor deixado pelo nosso Salvador, porque viriam escarnecedores com o desejo de derrotá-los. Portanto, o conhecimento da Palavra é nossa arma poderosa, por ser a nossa espada de dois gumes.

No primeiro capítulo dessa mesma carta temos as Grandes Virtudes Cristãs que chegam por meio do conhecimento do divino poder de Deus no pleno conhecimento do nosso Senhor Jesus Cristo (vs. 3-8). Por sua vez, Paulo também nos ensina a estudar as Sagradas Escrituras que podem nos tornar sábios para a salvação pela fé em Cristo Jesus, pois “toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16). Sem este conhecimento não podemos enfrentar o inimigo e as artimanhas que usa para destruir a união dos irmãos, porque unidos com Deus venceremos, mas sozinhos iremos cair.

2) Amados, não deveis esquecer

Nos versos 8 e 9, de 2 Pedro 3, o consagrado apóstolo está lembrando aos seus “amados” que o nosso Salvador prometeu voltar e Ele não retarda a Sua promessa. A vinda do Senhor é uma verdade que devemos firmar em nossos corações. Não importa o tempo, porque “amados... para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia”.

Tempo para Deus não existe, pois na eternidade não encontraremos relógios, despertadores ou agendas. A única coisa que devemos nos preocupar sobre isso é o que Paulo expressa em 2 Coríntios 6:2 ... “Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação; eis agora, o tempo sobremodo oportuno, eis agora o dia da salvação”.

Como o Senhor prometeu voltar, Pedro está querendo que semeemos a Palavra da Salvação nesse tempo de espera, como diz no final do versículo 9: “não querendo que nenhum se perca, senão que todos cheguem ao arrependimento”.

Quantas promessas já foram quebradas por nosso Deus? Nenhuma! Então Ele cumprirá com a promessa da Sua volta no tempo certo. Enquanto isto, Ele nos diz: “Ide por tudo mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15). Este dia glorioso brevemente virá, e quando Aquele que ama nossas almas aparecer, será tão maravilhoso que o tempo de espera será esquecido por nós.

Então, “amados”, vamos trabalhar! O dia está terminando e a hora do descanso eterno virá quando iremos louvar ao nosso Deus e Salvador para sempre. Paulo escreveu em Filipenses 3:13-14 ... “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo”. Tem coisas da velha vida que devemos esquecer e, como Paulo e Pedro, vamos ser renovados pelo amor à Sua vinda e avançar para o alvo, utilizando os maravilhosos ensinamentos de Deus e deixando o Seu Amor ser derramado em outras vidas.

3) Amados, empenhai-vos

Pedro está começando a sumarizar tudo que ele quer que apreciemos ao dizer: “Por essa razão” (2 Pedro 3:14). Ao olhar para tudo aquilo que escrevera ele decidiu dar o motivo: “pois, amados, esperando estas coisas, empenhai-vos por serdes achados por Ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis”. Ele já mostrara a promessa da vinda do nosso Salvador e também tentou despertar em todos sobre a necessidade de estudar as Escrituras para que não houvesse esquecimento acerca do valor delas nas suas vidas em Cristo Jesus.

Agora, a razão é nos empenhar para que vivamos em paz, com um testemunho sem mancha até que Ele volte. Sendo irrepreensíveis em nosso andar, em nossa conversa e, realmente, em tudo que fazemos, para que Ele tenha a Glória e honra que deve ser dada ao Seu Nome.

Está escrito em Hebreus 12:1-2 que devemos nos desembaraçar de todo peso, e do pecado que nos assedia, correndo com perseverança, com olhar fito na pessoa do Senhor Jesus, o qual suportou a cruz por amor a nós. Este amor que Pedro aplica em sua carta, chamando-os de “amados” por ele e, acima de tudo, por Deus em Cristo Jesus, é para que sejamos motivados a viver uma vida irrepreensível.

É interessante notar que entre Pedro e Paulo houve um desentendimento, pois Paulo chamou a atenção de Pedro, que era mais velho (Gálatas 2:11-21). Pedro, no entanto, mencionou aqui as palavras do “amado irmão Paulo” (2 Pedro 3:15). Pedro não tinha rancor, nem ódio e temos certeza que ele aceitou tudo que Paulo disse com coração humilde perante Deus. Quanto a nós, irmãos, será que aceitaríamos?

Eles amaram uns os outros no Amor do Senhor, e com isto a obra foi para frente. Pedro admitiu, mas isto deve ter sido difícil! Creio que não foi de imediato, e sim, quando considerou que foi perdoado na cruz de Cristo! Como lemos no Salmo 133:1, “Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!”. Com este AMOR e UNIÃO, podemos nos empenhar nesta obra maravilhosa do nosso Salvador até que Ele volte.

4) Amados, acautelai-vos (sejam prevenidos)

Ao fazer menção às palavras inspiradas que Paulo escreveu em suas cartas, Pedro agora quer alertar a todos para que estejam prevenidos e fiquem atentos com os avanços do inimigo, para que não sejamos arrastados por erros, mas para que continuemos firmes, pois, como diz Paulo, “tudo posso naquele que nos fortalece” (Filipenses 4:13). A armadura já foi providenciada para nós. Entremos na batalha bem equipados (Efésios 6:10-20 e Hebreus 4:12). Notem bem, por favor, que o único lugar do corpo que não está protegido são as costas, nós temos que enfrentar o inimigo de frente, com cautela, com a Palavra e não fugir dele.

Pedro não nega que há algumas coisas difíceis de se entender, mas podemos resisti-las pela fé em vez de tentar virar as costas e desistir. A prevenção do erro está em nossas mãos e devemos usá-la como Pedro, Paulo e os demais discípulos e profetas, para que o Senhor obtenha a Honra e Glória da vitória.

Chegando ao final, Pedro traz de volta a necessidade das coisas mais importantes, “antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja Glória, tanto agora como no dia eterno” (v. 18). O crescimento só vem com o conhecimento dado pela Graça do nosso Deus em Cristo Jesus, estudando a Sua Palavra e pedindo orientação em oração.

Sejam, irmãos AMADOS, despertados pela Palavra, nunca se esquecendo da Promessa do nosso Salvador: a Sua vinda! Empenhando-nos na boa obra até que Ele venha, e finalmente unidos no Seu Grande Amor estaremos prevenidos para guerra que vamos enfrentar, vivendo neste Amor e mostrando este fruto em nossas vidas para Glória do Seu Santo Nome, até que Ele volte. Amém!