Boletim dos Obreiros

Igreja: missões, sustento e o chamado (3)

MISSÕES E SUSTENTO

Em 2 Coríntios 8:1-6 Paulo dá ênfase ao privilégio da participação da Igreja na área do sustento, que chama de exercício da “graça”, a qual é uma disposição criada pelo Espírito, a ser manifestada com abundância de alegria, voluntariamente e além das próprias posses, como manifestação do amor.

O dinheiro é sempre um problema para quem tem e para quem não tem. Mas Deus não é problema. Há dois aspectos a serem considerados:

  • A atitude de quem vai para a obra.
  • A atitude de quem fica.

A ATITUDE DE QUEM VAI PARA A OBRA

1) DEPENDÊNCIA TOTAL – Filipenses 4:10-13.

a) Alegrando-se no Senhor;

b) Conformação a qualquer situação;

c) Confiança no poder e na suficiência do Senhor.

2) PRIORIDADES NA ATITUDE DO MISSIONÁRIO – Mateus 6:24

“Ninguém pode servir a dois senhores”.

a) Ansiedade e inquietação da vida: comida, bebida e vestidos – vs. 25, 27, 28 e 31;

b) O que valemos para Deus – “observai as aves” e “considerai os lírios” – vs.26, 28 e 30;

c) A prioridade é o Reino de Deus e a Sua justiça – “as demais coisas serão acrescentadas” (v. 33).

A ATITUDE DE QUEM FICA

“Contribui com a tua renda para que Deus não torne a tua renda de acordo com a tua contribuição” (Peter Marshall).

Em seu livro “O Clamor do Mundo”, o Dr. Oswaldo Smith conta como Deus lhe ensinou a contribuir para Missões: “Estando presente, pela primeira vez em uma convenção missionária, recebeu na plataforma onde se achava assentado, um envelope igual ao que era distribuindo a todos os presentes, onde se lia: ‘Dependendo de Deus, esforçar-me-ei para contribuir para a Obra Missionária da Igreja com “tanto” a cada mês, durante um ano’. Nunca lera tal declaração. Orou ao Senhor, dizendo-lhe que Ele sabia que nada possuía no bolso e nem no banco e que a igreja só lhe pagava vinte e cinco dólares por semana. Tinha esposa e filho para cuidar e estavam tentando comprar sua casa, o que não estava sendo fácil.

O Senhor lhe disse que sabia de tudo isso, mas que estava desafiando-o a dar não aquilo que tinha, mas do que não tinha. O Senhor estava pedindo-lhe uma OFERTA DE FÉ. Então, Smith perguntou ao Senhor quanto podia confiar-lhe, surpreendendo-se com a resposta: “Cinquenta dólares!”. Diante da clareza e confirmação da declaração do Senhor, Smith assinou o compromisso de fé.

Miraculosamente, no fim de um ano, tinha cumprido rigorosamente o compromisso assumido. Tão grande foi a bênção espiritual que lhe sobreveio com essa atitude que no ano seguinte, e assim sucessivamente, foi dobrando o compromisso de fé. Sem esperar, os seus vencimentos na igreja foram aumentados e, no curso do tempo, pôde participar substancialmente na sustentação de missionários. Deus honrou a sua oferta de fé! E ele aprendeu uma das mais preciosas lições do seu ministério: como contribuir para missões.

O GRANDE DESAFIO DE DEUS

Êxodo 25:12 (construção do tabernáculo); 1 Crônicas 29:5 (construção do templo).

Quem não vai deve mandar um substituto!

Deus precisa de ambos. Por cinco vezes o Dr. Smith tentou ir para o campo missionário, tendo mesmo permanecido por algum tempo nos lugares onde foi, mas retornou por motivos imperiosos, até que compreendeu que, se não podia ir, deveria mandar substituto. Com a sua participação direta neste desafio de Deus, levou à sua igreja a sustentar trezentos e cinquenta missionários, representando um pequeno exército de obreiros que serviam como substitutos de quem não podia ir a quarenta campos missionários diferentes.

É A ÚNICA OPÇÃO DE INVESTIMENTO VÁLIDA PARA O CRISTÃO

Em Mateus 6:19-21 o Senhor Jesus torna evidente a precariedade dos investimentos na terra, onde os valores se deterioram. Coração e tesouro andam juntos. Ou entraremos no céu como um pobretão, por nada termos enviado para lá de antemão, ou entraremos ali como alguém que tem uma herança para receber, possibilitada pelas contribuições feitas enquanto vivemos aqui na Terra.

Diz uma lenda que uma dama riquíssima, ao chegar ao céu, esperava receber uma mansão nobre. Passou nas proximidades de algumas e, em seguida, foi levada a uma pequena e humilde moradia. Ao perguntar quem seria o proprietário de uma daquelas lindas mansões, foi-lhe dito que o seu cocheiro deveria viver ali. Ao expressar a sua admiração e desapontamento, foi informada que ele se mantivera enviando materiais para o céu durante toda a vida, por haver investido o seu dinheiro em favor das almas dos homens perdidos, mas que ela quase nada enviara e que haviam sido forçados a fazer o melhor possível com o material de que dispunham para ela.

CARACTERÍSTICA FUNDAMENTAL DA ATITUDE CONTRIBUTIVA

a) Oferta obrigatória

É algo que fica entre o cristão e a igreja, entre o crente e a entidade missionária ou organização religiosa. Há de ser fatalmente cobrada, no vencimento, pelo diácono ou responsável pela organização. O cristão assim obrigado será responsabilizado pela oferta a que se obrigou.

b) Oferta de promessa de fé

É algo que fica entre o cristão e Deus. Ninguém a solicitará! Nenhum oficial eclesiástico virá cobrá-la. É uma promessa firmada entre o cristão e Deus, exclusivamente, deve ser assumida além do que contamos como certo. Deve ser dada do que não temos, mas sabendo que o Senhor nos permitirá dar-Lhe na base da fé (2 Coríntios 8:2-3).

ENVOLVE SACRIFÍCIO

Em Romanos 12:1-2 está nisso o oferecimento do culto racional ao Senhor. Temos um lindo exemplo de sacrifício na maravilhosa vida da menina Graça que morava em Dale e que tinha todo o seu coração voltado para a Índia. Um dia sua mãe lhe disse que compraria para ela uma nova capa, aquela que ela vestia já estava gasta. Ela a tinha usado por seis anos. Mas Graça implorou à sua mãe que lhe desse o dinheiro, asseverando-lhe que poderia usar sua capa por mais um inverno. Foi o que sua mãe fez e Graça enviou aquela quantia para os missionários a quem ela ajudava na Índia.

Antes de sair de Dale, a jovem Graça adoeceu gravemente. Em seu leito de morte, ela fez a sua progenitora prometer que venderia todas as suas roupas, tais como estavam, e que enviaria tudo o que obtivesse para a Índia! A mãe dela, com lágrimas nos olhos, fez a promessa. O seu coração se inclinava para a Índia e o seu dinheiro seguia o seu coração, sem importar-se em quão grande fosse o seu sacrifício (Leia 2 Coríntios 8:2-5).

DINHEIRO DADO COMO HERANÇA NÃO PRODUZ RECOMPENSA

Há muitos que fazem alarde de que vão deixar tudo o que possuem para a obra missionária, quando morrerem. Bem sei que este acervo pode ajudar. Mas Deus não faz nenhuma promessa de galardão para aqueles que só dão o seu dinheiro após o seu falecimento, quando não precisam mais dele! Por que seriam recompensados por aquilo que não mais podem evitar de fazer? Seremos galardoados pelos feitos praticados por meio do corpo (Romanos 6:13).

O SENHOR HONRA A ATITUDE CONTRIBUTIVA

“Ao que distribui mais se lhe acrescenta, e ao que retém mais do que é justo, é para a sua perda. A alma generosa prosperará e aquele que atende também será atendido” (Provérbios 11:24-25). Ninguém pode ser mais generoso do que Deus nas ofertas. Ele nos deu o Seu próprio Filho (João 3:16).

Diz o Dr. Smith que, no tempo da depressão econômica, centenas de pessoas chegaram ao seu gabinete pastoral para ver se conseguiam algum biscate. Muitas vezes o Dr. Smith perguntou: “Quando estava ganhando bem, você acertava suas contas com Deus? Dava a Deus o que Lhe pertencia?” Nem uma só vez teve resposta positiva. Cada homem que veio fazer algum biscate tinha que admitir que não costumava acertar as suas contas com Deus durante os anos de prosperidade. Se alguém não der para Deus durante os dias da sua prosperidade, também Deus lhe negará durante os dias de depressão.

O Dr. Smith conta uma extraordinária experiência do seu ministério, que chama de “O homem de Minneapólis”. Esse senhor se tornou um próspero negociante naquela localidade. Mas antes fora um morador de Toronto, onde ficou desempregado, endividado, abandonado pela filha e pela mulher. Um dia, passando diante da igreja que o Dr. Smith pastoreava, ouviu um cântico de hinos e entrou em estado deplorável. O Dr. Smith falava sobre missões e dizia: “Daí e dar-se-vos-á. Ninguém pode ser mais generoso do que Deus em Suas dádivas. Deus não fica devendo para ninguém”. O dito homem, ouvindo isso, apanhou um envelope de compromisso de ofertas e o preencheu, prometendo dar a Deus uma porcentagem de tudo quanto Deus lhe desse nos dias vindouros. Isso lhe foi fácil, pois nada tinha para dar!

Mas, para sua admiração, as coisas começaram a acontecer e rapidamente. Dentro de poucas horas já tinha arranjado emprego. Quando recebeu o seu primeiro salário, deu a Deus a porcentagem que Lhe havia prometido. Pouco depois, o seu salário foi aumentado e, assim, tornou-se capaz de contribuir com oferta maior. E foi melhorando sucessivamente e mantendo a sua fidelidade ao compromisso assumido com Deus. Passou a vestir-se melhor. Sua esposa e filha retornaram. Pagou todas as dívidas. Afinal, chegou a ser um dos maios prósperos negociantes de Minneápolis.

AS QUATRO ALTERNATIVAS

Quanto darei?

a) Se me recusar a contribuir com qualquer coisa neste ano, estarei, praticamente, dando meu voto favorável ao retorno de todos os missionários para seus pontos de origem.

b) Se eu der menos do que tenho dado até agora, estarei favorecendo a redução das forças missionárias na exata proporção da minha contribuição reduzida.

c) Se eu continuar dando tanto quanto antes, estarei favorecendo a ocupação do terreno já conquistado, mas me oporei a qualquer movimento de avanço.

A ordem é IDE e não fiquem como estão!

d) Se eu aumentar as minhas ofertas em relação aos anos anteriores, então estarei favorecendo o movimento de avanço na conquista de novos territórios para Cristo.

João Chinês estava ao lado de um ateu. Disse o ateu ao chinês:

̶˗ João Chinês, qual será a primeira coisa que você fará ao chegar ao céu?

̶ A primeira coisa que farei ao chegar ao céu será percorrer as ruas de ouro do céu até encontrar o Salvador; então me prostrarei perante Ele a fim de adorá-Lo por haver salvado a minha alma.

̶  Ótimo, zombou o ateu.

̶  E então João Chinês, o que você fará em seguida?

̶  Percorrerei as ruas de ouro até encontrar o missionário que veio ao meu país, trazendo o Evangelho. Tomarei sua mão e lhe agradecerei pelo seu papel na minha salvação – disse João Chinês.

̶  E o que você fará em seguida? – inquiriu o ateu.

̶  Buscarei pelas ruas de ouro para encontrar o homem que deu o dinheiro que tornou possível ao missionário vir à China, tomarei a sua mão e lhe agradecerei pelo papel desempenhado na minha salvação.

A essas palavras o ateu se virou nos calcanhares e se foi embora.

Será que haverá no céu algum João Chinês que venha a nos agradecer por havê-lo ajudado a entrar no céu?

CONCLUSÃO

Características do ofertante cristão:

1. Generosidade – 1 Crônicas 29:9; 2 Coríntios 8:2, 9:5.

2. Humildade – Mateus 6:2-4; 1 Crônicas 29:7.

3. Alegria – 1 Crônicas 29:9; 2 Coríntios 8:2, 9:7.

4. Amor - 1 Crônicas 29:3; 2 Coríntios 8:8.

5. Espontaneidade – 1 Coríntios 16:2; 1 Crônicas 29:6, 9; 2 Coríntios 8:2-3.

6. Regularidade – 1 Coríntios 16:2.

7. Responsabilidade – 1 Crônicas 29:9-17; 1 Coríntios 8:5,10,11; Atos 20:35.