Boletim dos Obreiros

Atuando bem na obra de Deus: Bezalel

"... e o Espírito de Deus o encheu de habilidade, inteligência e conhecimento"

Êxodo 35:31

 

De uma atuação correta em todos os aspectos do envolvimento pessoal depende o sucesso da governabilidade! 

Infelizmente as escolhas não têm sido corretamente feitas e o resultado é o lastimável estado que vivenciamos na vida da Nação. 

Raros são os escolhidos que se envolvem corretamente na difícil e importante obra de governar!

Isso me levou a considerar a necessidade de homens que se envolvam corretamente na obra de Deus.

Encontramos em Bezalel um digno exemplo.

Personagem pouco conhecido, foi de grande valor no cenário histórico de Israel. Dele lemos em Êxodo 31:2-3; 35:30-35,36 e 38:22.

Incumbido das principais providências para a construção do Tabernáculo, oferece-nos oportunas lições de como nos devemos envolver corretamente na Obra do Senhor.

Não basta que disponibilizemos recursos materiais, julgando que, com isso, já cumprimos o nosso correto envolvimento na obra de Deus.

O investimento material é necessário e muito útil, mas o investimento pessoal é essencial (2 Coríntios 8:5).

Vejamos algumas lições que Bezalel nos deixou:

CONVICÇÃO DO SEU CHAMADO (35:30)

Lemos aí que o "Senhor chamou pelo nome a Bezalel".

Não significa isso que temos que ficar a espera de um "toque" especial que defina a chamada do Senhor.

A decisão de nos envolvermos na obra do Senhor é algo que acontece naturalmente como decorrência da nossa relação pessoal com Cristo.

Mitchell disse: "Não posso levar as almas para mais perto de Cristo do que eu estou".

O chamado do Senhor a todo o cristão já foi claramente feito quando nos comissionou (Mateus 28:18-20; Marcos 16:15; Atos 1:8)

CAPACITADO PELO SENHOR (35:31)

Diz o texto: "e o Espírito de Deus o encheu de habilidade, inteligência e conhecimento".

Ninguém pode se envolver corretamente na obra do Senhor sustentado, apenas, pela sua capacitação pessoal, seja de nível intelectual, artístico ou de outra ordem.

Deus nos quer usar como somos e com o que temos e nada lhe podemos negar.

Mas é essencial a capacitação espiritual, só alcançada pela nossa relação correta com o Senhor Deus e a Sua Palavra. No texto encontramos três elementos dessa capacitação:

a)    A "origem" da capacitação: é o "Espírito de Deus". Veja João 14:17,26 e 16:13; 

b)    A "medida" da capacitação é "plena". Diz o texto que o Espírito de Deus "o encheu". O Senhor nos quer capacitar totalmente. Temos aí a ideia importante definida por Paulo como "plenitude do Espírito" (Efésios 5:18).  Devemos dar espaço total em nós ao Espírito Santo para que Ele tenha condições de atuar, amplamente;

c)     A "amplitude" da capacitação: Bezalel foi capacitado com: I - habilidade; II - inteligência; III - conhecimento. 

As importantes áreas da sua personalidade foram atingidas pela atuação ampla do Espírito, o que o colocou em condições de poder envolver-se corretamente na obra do Senhor (1 Coríntios 2:6-16).

DISPOSTO A ENSINAR OUTROS (DISCIPULADOR) (35:34)

Diz o texto: "também lhe dispôs o coração para ensinar a outrem...".

Uma das características básicas do servo do Senhor é a sua aplicação constante na discipulação de outros, envolvendo-os, também, na obra.

Infelizmente não há muitos que desenvolvem essa aptidão, anulando, assim, a eficácia do serviço para Deus. Veja Mateus 28:19-20... "fazei discípulos... ensinando-os a guardar as coisas que vos tenho ordenado...". Paulo recomendou a Timóteo: "o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fieis e idôneos para ensinar outros" (2 Timóteo 2:2).

O envolvimento de outros na obra do Senhor é dever nosso.

SEMPRE PRONTO A TRABALHAR (36:1)

Diz o texto: "assim trabalharam Bezalel e Adoliabe, e todo o homem hábil a quem o Senhor dera habilidade e inteligência...".

A ociosidade e a preguiça são incompatíveis com o correto envolvimento na obra do Senhor.

Muitas oportunidades preciosas de servir se perdem por causa dessa deficiência na atuação do serviço do Senhor. Devemos estar sempre prontos a trabalhar, aproveitando as oportunidades que o Senhor nos oferece, fazendo o que nos cabe no tempo de Deus. Veja João 5:17; Timóteo 4:2-5; 1 Coríntios 15:58.

FIDELIDADE NO TRABALHO (38:22)

Diz o texto: "Fez Bezalel... tudo quanto o Senhor ordenara a Moisés".

Não basta fazer muito.

Vale somente o que é feito na exata medida da vontade do Senhor.

O modelo do Tabernáculo fora dado pelo Senhor, com todos os detalhes.

Bezalel e seus companheiros fizeram tudo conforme o modelo (Hebreus 8:5).

Nosso envolvimento na obra do Senhor só será correto se formos fiéis no cumprimento de nossa vocação celestial.

Que as lições de Bezalel nos sirvam no envolvimento correto na Obra de Deus.