Boletim dos Obreiros

O sofrimento do cristão como experiência positiva

"Se sofrer como cristão, não se envergonhe disso;
antes glorifique a Deus, com esse nome”

(1 Pedro 4:16)

Uma das notas marcantes nos dias que correm é a do "sofrimento".

Isso se deve à notória contingência pecaminosa em todos os núcleos da atuação humana, individual e coletivamente.

O "sofrimento" acaba por anular as iniciativas e as realizações, desestimulando o necessário entusiasmo para a busca dos alvos certos.

Essa situação negativa da vida acentua-se cada vez mais.

O cristão não deve se perturbar perante tal situação. Jesus Cristo advertiu: "No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo" (João 16:33). Paulo exortou Timóteo: "Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus" (2 Timóteo 2:3).

Na verdade, o "sofrimento", na experiência do cristão, torna-se uma proveitosa ferramenta de fortalecimento espiritual e útil subsídio para a vitória do seu bom combate.

Contamos com a fiel sustentação do Senhor em todas as circunstâncias adversas, pois "se Deus é por nós, quem será contra nós? (Romanos 8:31). "Somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou" (Romanos 8:37).

Isso me leva a considerar o precioso ensino de Pedro em 1 Pedro 4:12-16, onde encontramos sete lições sobre o "sofrimento" do cristão:

1.     Devemos aceitar as circunstâncias adversas (resignação sofredora) – v. 12

Não devemos estranhar o "fogo ardente que surge no meio de vós", pois a sua finalidade é provar-nos. É nas tempestades que Deus nos capacita melhor para realizarmos a Sua vontade e cumprirmos, com eficiência, o Seu propósito para as nossas vidas. Em 1:6-7, Pedro ilustra bem essa verdade quando afirma que devemos nos exultar, embora contristados por várias provações, "para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado pelo fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo". (Veja 1 Pedro 2:20-21).

2.     Toda provação é proveitosa (a bênção do sofrimento) – v. 12

Não devemos encarar o sofrimento como alguma coisa estranha que nos esteja acontecendo, mas entender que ele é – como provação permitida pelo Senhor – o caminho para o usufruto da Sua bênção. Paulo afirma em Romanos 5:3-4 "...nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança". Esse é o caminho da bênção, através do sofrimento. Essa convicção muda, positivamente, a perspectiva da vida cristã.

3.     Participar dos sofrimentos de Cristo produz alegria (a alegria do sofrimento) – v. 13

A coparticipação nos sofrimentos de Cristo resulta em alegria. O texto na BV é: "Alegrem-se verdadeiramente, pois estas provações transformarão vocês em companheiros de Cristo no seu sofrimento, e depois terão a maravilhosa alegria de participarem da sua glória naquele dia vindouro quando ela será manifestada". Paulo assim descreve a sua experiência ministerial: "...parte do meu trabalho é sofrer por vocês; estou contente, pois estou ajudando a completar o resto dos sofrimentos de Cristo pelo seu corpo, a igreja" (Colossenses 1:24 – BV). No passado Pedro rebelara-se contra a ideia de que Cristo sofreria (Mateus 16:21-23). Agora valoriza a coparticipação nos sofrimentos de Cristo, para que nos alegremos exultando na revelação da Sua glória! Veja Tiago 1:2-4.

4.     O sofrimento garante a bem-aventurança (a felicidade no sofrimento) – v. 14

Sofrer por Cristo não é desdita, mas privilégio (Atos 5:41). Resulta em suprema felicidade. Tiago 1:12... "Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida". O Espírito que repousou sobre o Filho Amado, repousará sobre nós. Veja Mateus 5:11.

5.     Não é o sofrimento resultante de uma vida pecaminosa (o pecado e o sofrimento) – v. 15

O sofrimento que resulta da prática pecaminosa corre por conta e risco do agente, ainda que seja cristão. Aplica-se aí o que Paulo afirma em Gálatas 6:7... "o que o homem semear, isso também colherá".

6.     Sofrer como cristão glorifica a Deus (o sofrimento e a Glória de Deus) – v. 15

O sofrimento do cristão resulta sempre na Glória de Deus!  Não nos devemos envergonhar por sermos cristãos e termos que sofrer por isso. O desdenho que o mundo faz do cristão glorifica a Deus. E é isso que importa! Somos agentes da glorificação do Senhor, pelo privilégio de sermos cristãos sofredores!

7.     Sofrer segundo a vontade de Deus faz parte da vida piedosa (o sofrimento e a piedade) – v. 19

Esse aspecto nos estimula ao exercício resignado da vida piedosa e, por outro lado, nos dá a certeza da provisão do Senhor em qualquer circunstância da vida a Ele consagrada. Veja 1 Pedro 5:7... "lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós".