Boletim dos Obreiros

Caminhando pela fé

"partiu sem saber aonde ia"

(Hebreus.11:8)

As viagens se multiplicam para todos os lados no caminhar em busca de novas perspectivas. O que todos buscam é a certeza de novos horizontes e de melhores experiências de vida. É nessas ocasiões de recesso e reflexões que muitas definições de novos rumos de vida acontecem. Essa ordem de idéias levou-me a pensar em Abraão.

Em Gênesis 12 encontramos o relato de seu estranho caminhar, deixando para trás a sua terra, a sua casa e a sua parentela. Não partiu por desejo próprio, mas por determinação de Deus. Em Hebreus 11:8 lemos que, "quando chamado, obedeceu e partiu sem saber aonde ia".

Os reflexos desse seu “estranho caminhar de fé” determinaram os fatos históricos da sua época e os de toda a história humana, com projeção eterna. Veja o que o Senhor lhe disse por ocasião do grande desafio: "em ti serão benditas todas as famílias da terra" (Gênesis 12:3b).

O seu passo de Fé consistiu em renúncia imediata de tudo o que lhe dava plena segurança de vida no local onde morava, desprendendo-se dos seus valores materiais, da sua vinculação a terra e dos seus liames pessoais, e em aceitar caminhar para rumo totalmente desconhecido.

Por que aceitou Abraão esse “estranho caminhar de fé”? Não estaria ele agindo como um louco? Não. Ele tinha a firme convicção sobre Quem era o Deus que o desafiava (Hebreus 11:1). Ele não sabia, mas Deus sabia! Sua Fé nesse Deus Maravilhoso fazia toda a diferença!

O que ele sabia a respeito de Deus?

Que Deus é fiel e cumpre o que promete

Em Gênesis 12 lemos que Deus lhe fez claras e extraordinárias promessas quando o desafiou. Deus é fiel e cumpre todas as Suas promessas. Não havia porque duvidar. Por isso, quando chamado obedeceu prontamente, embora desconhecendo o lugar para onde ia. Veja a respeito o robusto testemunho de Josué (Josué 21:45).

Que Deus deve ser obedecido

Esse é um fato importante que é desconsiderado por muitos. A desobediência a Deus afasta a Sua bênção! Muitas vezes a obediência custa um alto preço que não queremos pagar. Esse foi um sério problema no comportamento do povo de Israel, apesar das reiteradas recomendações do Senhor. Veja a comovente mensagem de Moisés ao povo, pouco antes de morrer, nas plagas de Moabe, limiar de entrada da terra prometida, em Deuteronômio 10:12-13. As consequências da desobediência para o povo foram terríveis.

Que Deus tem planos para cada um de nós

Por mais argutos que nos julguemos ser, nunca teremos certeza do sucesso dos nossos planos e da validade dos alvos de nossas realizações. Os planos de Deus e os Seus alvos nos oferecem segurança total! Paulo é digno exemplo dessa convicção, o que justifica a sua vitoriosa carreira apostólica (2 Timóteo 4:7,8). É dele a sábia orientação: "prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus" (Filipenses 3:14).

Que Deus quer o melhor para nós

O grande servo Davi, apesar da vida tumultuada que teve, testemunha com convicção: "Oh! Provai e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que n’Ele se refugia" (Salmo 34:8). Embora a proposta do Senhor não lhe revelava nada sobre o caminho a seguir, Abraão aceitou o desafio de partir, pois tinha a convicção dessa preciosa verdade: "O Senhor é bom"!

Que Deus tem o modelo certo para a nossa vida

No nosso envolvimento em Seus planos, Deus tem tudo bem programado. Nada é improvisado. Tudo deve se submeter ao Seu "modelo". É importante viver na total dependência do Senhor, seguindo, em cada detalhe da vida, o modelo que Ele mesmo oferece. Só assim tudo dará certo. Ele deu ao Seu povo o modelo do tabernáculo, do templo, e deixa claramente definido na Sua Palavra o modelo da igreja e da nossa vida cristã.

Que Deus mesmo é o Caminho

Essa é uma preciosa verdade ilustrada na história do povo de Deus no passado (ex: Êxodo 14:9) e afirmada por Jesus Cristo em João 14:6. Veja o ensino em Salmo 37:5 e no Provérbio 3:5-6

Que para Deus não há impossíveis

Porque cria nessa verdade Paulo afirmou "tudo posso naquele que me fortalece" (Filipenses 4:13). Essa foi a mensagem do anjo a Maria na perspectiva da concepção miraculosa do Messias (Lucas 1:37). Veja Efésios 3:21-22.

Conclusão

A bênção só chega aos que aceitam o “estranho caminhar da fé”.