Boletim dos Obreiros

O outono da vida

"Eu sou a videira... Quem permanece em mim e, eu, nele,
esse dá muito fruto"

(João 15:5)

Março inaugura o outono. É a estação do ano em que se colhem os frutos. Marca, por isso, o fim do maravilhoso processo da natureza, que se inicia com a semeadura, passa pelo crescimento das plantas, chega ao lindo panorama das floradas multicoloridas e culmina com os frutos. Milagre de Deus! Bênçãos para o homem!

O que importa, no outono, é o bom resultado do esforço aplicado no processo produtivo da natureza. A literatura criou uma figuração adequada ao adotar a expressão "O OUTONO DA VIDA" para o "primeiro período da velhice" (Aulete). É a fase da experiência da vida quando o que mais importa são os "FRUTOS" produzidos!

Mais que uma vez o Senhor Jesus usou a expressão "fruto", metaforicamente, para enfatizar a importância do bom resultado final (Mt. 3:8-10; 7:16-20; 12:33). Em João 15 utilizou-a para ensinar sobre a importância dos "frutos" que devemos produzir.

1. Três “CONDIÇÕES” de uma vida frutífera são apresentadas nesse capítulo pelo Senhor:

  • PURIFICAÇÃO (vv. 2,3) - É essencial a constante purificação da sujeira do pecado (Ef. 5:25-27). Com "santo sujo” o Senhor não tem comunhão. Somos purificados, face à lei, de todos os pecados, "uma vez por todas" (Hb. 10:11-12); impõe-se, porém, que durante a vida terrena os pecados sejam confessados diariamente ao Pai, para uma comunhão ininterrupta com Ele e com o Filho (1Jo. 1:10).
  • PERMANÊNCIA (v. 4) - Permanecer em Cristo é não ter pecado conhecido, não confessado, não julgado, e nenhum interesse no qual Ele não participe. Permanece, também, nEle o que leva a Ele todos os fardos, revela toda a sabedoria, vida e força dEle. Não é uma consciência constante dessas coisas e dEle, mas significa que nada na vida tem permissão de separar-nos dEle. É a autêntica experiência da "comunhão" com Ele (1Jo. 1:3-7; 1Co. 10:16).
  • OBEDIÊNCIA (vv. 10-12) - A verdadeira obediência implica em completa "submissão" ao que Ele ensina e ordena, isto é, na prática fiel da Sua Palavra.

2. Quatro GRAUS da produção de "frutos" identificados pelo Senhor:

  • NENHUM FRUTO (v. 2) - Nesse versículo consta a expressão "não der fruto". É tremendamente frustrante chegar ao "outono da vida" em tais circunstâncias! O Senhor não deseja que isso aconteça conosco.
  • DÁ FRUTO (v. 2) – É como a árvore que, no outono, apresenta algum fruto, mas longe de satisfazer a expectativa do agricultor, seja pela "quantidade" como pela "qualidade" produzida.
  • MAIS FRUTO (v. 2) – Alguma coisa boa aconteceu, mas ainda aquém da expectativa do agricultor.
  • MUITO FRUTO (vv. 5, 8) – Aí sim temos o resultado que corresponde à expectativa do agricultor. Quando, no outono da vida, apresentamos "muito fruto" o Pai se agrada e é glorificado em nós!

3. Três ASPECTOS distintos de fruto:

  • Os CONVERTIDOS (Rm. 1:13) - devemos nos esforçar para alcançá-los em abundância.
  • CARÁTER CRISTÃO (Gl. 5:22-23) - É aí identificado como "o fruto do Espírito". Devemos manifestar os aspectos aí definidos como fruto do Espírito, evidência ímpar do nosso bom caráter cristão.
  • A CONDUTA CRISTÃ (Rm. 6:21-22) - É aí identificada como "fruto para a santificação", ou seja, a manifestação dos frutos da justiça, entendendo-se "justiça" como "o padrão de Deus" para a nossa vida.

4. Três ATITUDES essenciais para que se produza muito fruto (15:5):

  • RECONHECER A SOBERANIA DO SENHOR - "Eu Sou " - Essa expressão é o nome de Deus "Jeová", o Senhor Eterno que redime e supre os redimidos. Ele é o Soberano Criador, Soberano Redentor e o Soberano Supridor. É essencial que reconheçamos a Sua Soberania ampla, total e permanente, para que, no outono da vida, apresentemos muito fruto para a Glória do Pai.
  • ASSUMI-LO EM NOSSA VIDA - "quem permanece em Mim" - Isso significa buscá-Lo, entronizá-Lo e obedecê-Lo.
  • DAR-LHE ESPAÇO PARA ATUAR EM NÓS E ATRAVÉS DE NÓS - "e, eu, nele" - O Senhor somente ocupa o espaço que lhe oferecemos. É essencial que ocupe Ele todo o nosso ser, pois somente Ele tem o PROJETO para a nossa vida, os RECURSOS necessários para frutificarmos e os RESULTADOS a serem alcançados.

Que no OUTONO DA VIDA apresentemos muitos frutos que glorifiquem a Deus!