Boletim dos Obreiros

A esposa excelente

Provérbios 31:10-31

O mês de maio destaca a importância da figura da mulher no contexto da família, principalmente pela sua singela condição de esposa e de mãe. É verdade que a celebração, no curso do tempo, virou-se para a satisfação dos mesquinhos e egoístas interesses comerciais que o evento propicia, em detrimento da valorização do importante papel da mulher, como esposa excelente, razão primordial da positiva realidade familiar no cenário social.

O último capitulo do Livro de Provérbios contém precioso texto sobre as qualidades da esposa excelente. É um trecho que se constitui em “apêndice” do livro, distinto e autônomo. É um belo poema acróstico sobre a esposa excelente. A primeira letra do primeiro verso começa com a primeira letra do alfabeto hebraico, enquanto que as outras vinte e uma letras restantes vão aparecendo, sucessivamente, no início dos versos complementares. Em contraste com tudo o que os provérbios, no contexto do Livro, expõem sobre a “mulher estranha”, o ensino sobre a verdadeira mãe, sobre a honra e a dignidade da mulher e da esposa excelente são amplamente exaltadas neste último capítulo do livro. Assim, o livro se encerra apropriadamente com os constantes louvores feitos à esposa e à mãe perfeita por seu esposo e seus filhos (vs. 28-31).

Vejamos como o assunto da esposa excelente é exposto:

Alefe – É DE GRANDE VALOR (v. 10) – Descreve esse verso a mulher, não fácil de se achar, como dona de casa fiel a Deus nos afazeres diários. Faz da sua casa lugar de muito bom aconchego, como a casa em Betânia, onde o Senhor Jesus gostava de se hospedar (Lucas 10:38-42, João 11:1-44). O adjetivo “virtuosa” tem o conceito bem amplo, incluindo referências à força, capacidade, eficiência, riqueza e valor. Em todas essas áreas ela é a mulher excelente, valorizando-se sobremodo (“seu valor muito excede ao de finas joias”). Contrasta-se aí com a mulher imoral, mencionada em várias passagens anteriores. A BV assim traduz o v. 1: “Se você encontrar uma esposa fiel e dedicada, achará um tesouro mais valioso que ouro e pedras preciosas”.

Bete – É FIEL E DEDICADA (v. 11) – O marido de uma mulher fiel e dedicada sempre estará tranquilo e confiante, pois ela nunca deixará faltar nada para ele. Essa atitude essencial da esposa excelente constitui-se num eficiente suporte para o sucesso das realizações que competem ao marido.

Guimel – É SEMPRE BONDOSA E PRONTA A AJUDAR (v. 12) – Só dá satisfação ao marido e nunca desgostos, todos os dias da sua vida, procurando sempre ajudá-lo em tudo. Vale lembrar, neste passo o que o Senhor afirmou que a mulher deveria ser ao criá-la como esposa: ”auxiliadora idônea” do marido. A sua sempre presente “bondade” e a sua “prontidão em auxiliá-lo” faz dela a esposa excelente.

Dálete e Hê – É ECONÔMICA (Vs. 13-14) – A BV assim traduz o v. 13: “Ela compra os tecidos e faz as roupas da família”. Trabalha de boa vontade com as suas próprias mãos para aliviar os encargos financeiros do marido. Sem se cansar, anda à procura da melhor comida para a família, buscando sempre o preço mais barato. Uma eficiente economia doméstica que sempre traz lucro para a família. É essa, sem dúvida, uma excepcional qualificação da esposa excelente.

Vau, Zaine, Hete, Tete, Jode e Sâmeque – É LABORIOSA E DILIGENTE (vs. 15,19, 24) –Trabalha incansavelmente. Antes mesmo de o sol raiar já está de pé preparando a primeira refeição da família e planejando o serviço de suas empregadas e distribuindo-lhes as tarefas. Sabe negociar, com diligência e vigilância nas respectivas operações, aplicando bem o resultado lucrativo do seu trabalho, seja na aquisição imobiliária, seja na atividade agrícola. Dispõe-se sempre ao trabalho, ainda que pesado, tendo consciência de que o seu trabalho ajuda a sustentar a família, razão porque não se escusa de trabalhar até altas horas da noite.

Cafe, Lâmede e Meme – É GENEROSA, SOLÍCITA E PRECAVIDA (vs. 20-22) – Sempre está pronta a ajudar os pobres e infelizes, providenciando, também, para que não faltem agasalhos para a época de frio, inclusive para os seus familiares. Ela mesma faz as roupas da cama, mesa, os tapetes e cortinas da sua casa. Os seus vestidos ela mesma os confecciona, com tecidos da melhor qualidade. Lamentavelmente, não é bem o que vemos nos dias modernos na atitude da mulher casada, o que se torna em razão inexorável da falência familiar.

Num – PROMOVE O RESPEITO DA SOCIEDADE AO MARIDO (v. 23) – O marido será conhecido e respeitado na sua cidade e será sempre indicado para cargos importantes e atividades de interesse coletivo na sociedade e será bem considerado quando participar das respectivas reuniões. A expressão “entre os juízes” refere-se aos locais (nas portas) da cidade, onde os anciãos se assentavam para julgar e discutir os assuntos locais.

Aim – A ENERGIA E DIGNIDADE DÃO-LHE SEGURANÇA PARA O FUTURO (v. 25) – Suas grandes virtudes são a energia e a dignidade, o que lhe traz total e permanente segurança, nunca ficando preocupada com a velhice. Por isso, sorri sempre ao pensar no futuro agindo com expectativa de bom resultado.

Pê – COM PALAVRA SÁBIA INSTRUI BONDOSAMENTE (v. 26) – Fala sempre com sabedoria e dá conselhos, ensinando e corrigindo os seus filhos com amor. Participa, assim, eficientemente, do seu dever no cumprimento do precioso ensino de Paulo em Efésios 6:4... “Criai-os (os filhos) na disciplina e na admoestação do Senhor”.

Tsadê – ESTÁ SEMPRE ATENTA E ATIVA NA CASA (v. 27) – Sabe muito bem tudo o que acontece em sua casa e nunca sente preguiça ou fica cansada perante as necessidades que possam surgir. Administrar bem o lar é qualidade louvável na atitude da esposa excelente.

Cofe e Rexe – É LOUVADA PELA FAMÍLIA (vs. 28-29) – Os filhos felicitam-na e exaltam-na perante os colegas e amigos, declarando-a como a melhor mãe do mundo. O seu marido proclama, com orgulho, que “pode haver muitas boas esposas neste mundo, mas que, com certeza, nenhuma delas há de ser melhor do que a sua”.

Chim e Tau – O SEU SEGREDO (vs. 30-31) - Todo o seu encanto e o seu sucesso não acontecem por acaso, mas têm sólido fundamento e a sua razão de ser no “temor do Senhor”, que é o princípio de toda a sabedoria. Os encantos de uma mulher podem ser apenas uma ilusão e a sua beleza não dura para sempre. A verdadeira beleza e a verdadeira honra de uma mulher estão em amar e obedecer ao Senhor (1 Pedro 3:1-6). A chave para beleza de caráter da mulher é a sua vida espiritual. A mulher que agir assim deve ser elogiada diante de todos, cumprimentada e homenageada por toda a sociedade.

Conclusão: Que as reflexões sobre a família, a que o mês de maio nos conduz, nos façam meditar sobre esse precioso ensino sobre a esposa excelente, para que seja o lar valorizado e útil no cumprimento da sua sublime missão consoante os solenes planos do Senhor.