• Português

A Responsabilidade do Cristão Perante o Mundo - 9

E, assim, se alguém está em Cristo é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas
2 Coríntios 5:17

Conferência proferida pelo irmão Jayro Gonçalves no Congresso das Igrejas dos Irmãos de Portugal em 17/04/2010

III - O MUNDO COMO SISTEMA PECAMINOSO – DEVEMOS REJEITÁ-LO, VIVENDO EM SANTIDADE

4. A responsabilidade da igreja ou do cristão perante o mundo para repulsar o seu sistema pecaminoso (continuação)

3. Equipar-se espiritualmente - Faz-se mister que nos equipemos adequadamente com os recursos espirituais que o Senhor nos fornece, para repelirmos as investidas satânicas na gerência do seu sistema pecaminoso.

Em Gálatas 5:16, Paulo nos indica o forte recurso que o Espírito Santo representa e nos exorta: “Andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne”. Em Efésios 6:10-18, Paulo oferece sete equipamentos indispensáveis ao exercício vitorioso da repulsa ao sistema pecaminoso satânico. No versículo 10 recomenda que nos fortaleçamos no Senhor e na força do Seu poder. Do Senhor é que nos advêm todos os recursos espirituais necessários ao sucesso nessa dura luta em que estamos empenhados, e somente nEle é que encontraremos a força e o poder necessários para a vitória. A vida cristã autêntica é uma guerra permanente contra um inimigo sagaz, insinuante, ardiloso e dissimulador, portador de amplos e vigorosos recursos de combate constante.

Por isso, como afirma Paulo, devemos nos revestir de toda a armadura de Deus (v. 11). Paulo, no versículo 12, esclarece sobre as características da luta em que estamos empenhados, e as do nosso inimigo voraz, afirmando que a nossa luta é contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Ele reafirma, no v. 13, a exortação de que devemos tomar toda a armadura de Deus, para que possamos resistir no dia mau e, depois de termos vencido tudo, permanecermos inabaláveis! Nos versículos 14 a 18 seguem os sete equipamentos espirituais que o Senhor nos oferece:

1. “Cingindo-vos com a verdade” – O Senhor Jesus Cristo é a verdade absoluta (João 14:6) em que nos firmamos para refutar, firmemente, as aleivosas e mentirosas insinuações verbais de que se utiliza o inimigo para nos desviar dos alvos de Deus para o nosso viver.

2. “Vestindo-vos da couraça da Justiça” – É a roupagem com que somos vestidos, que garante a eficácia da nossa justificação, pelo sangue de Jesus Cristo (Romanos 5:1). A alva vestidura da nossa Santidade posicional, que a Graça Redentora nos confere, é irremovível e nos coloca imune às investidas acusatórias do inimigo, frustrando-lhe as perniciosas intenções de nos condenar perante Deus (Romanos 8:31-39).

3. “Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz” - A evangelização, com a qual estamos irreversivelmente comprometidos, de forma intensa e constante, constitui-se em força poderosa e invencível, na conquista dos perdidos para o reino de Deus, pois a mensagem do Evangelho é o poder de Deus para salvar o que crê (Romanos 1:16).

4. “Embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno” – A nossa resistência torna-se inexpugnável, pois é garantida pelo exercício correto da fé ativa (confiança no Senhor); é a vitória que vence o mundo, pois apaga totalmente todos os dados inflamados do maligno (1 João 5:4).

5. “Tomai também o capacete da salvação” – É a segurança irreversível da salvação eterna (João 1:12; 1 João 5:12-13), obtida pela Graça que resulta da riqueza da misericórdia de Deus e do Seu grande amor com que nos amou (Efésios 2:4-8).

6. “A espada do Espírito, que é a Palavra de Deus” – A Palavra de Deus, inspirada que é pelo Espírito Santo, opera viva e eficazmente para ensinar, repreender, corrigir e educar na justiça o homem de Deus, capacitando-o para toda a boa obra (2 Timóteo 3:14-17 e Hebreus 4:12).

7. “Com toda a oração e súplica, orando em todo o tempo no Espírito e para isso vigiando com toda a perseverança e súplica por todos os santos” – A vigilância e a oração são exercícios espirituais nos quais devemos nos aplicar permanente e resolutamente todo o tempo, com toda a perseverança e por todos os santos (Mateus 26:41; Filipenses 4:6-7; 1 Pedro 5:8), atitudes que nos impedem de cairmos em tentação e em desastrosa ansiedade e de sermos tragados pela ferocidade do inimigo. O uso adequado desses equipamentos espirituais constitui-se em segurança incontestável da vitória de todo cristão na inevitável guerra contra Satanás. Paulo afirma: “Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Romanos 8:31); “Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Romanos 8:37); “Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Coríntios 15:57). João acrescenta ao ensino de Paulo: “Esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” (1 João 5:4).

Equipemo-nos espiritualmente de forma adequada, com todos os recursos espirituais que o Senhor nos concede, para obtermos a vitória da nossa fé, repelindo a perniciosa atuação satânica, ao pretender nos envolver com o seu sistema pecaminoso. Isso só será possível se procurarmos viver em santidade.

CONCLUSÃO

Ficou claro, à luz da Palavra de Deus, como nos é possível cumprir fielmente a responsabilidade como Igreja, ou como cristãos perante o mundo, considerado em três conceitos bíblicos distintos:

1. Como espaço terrestre que ocupamos, devemos ser testemunhas do Evangelho a todos os que ocupam esse espaço, de forma resoluta, permanente e eficientemente: instruindo-nos com o Evangelho; proclamando fielmente o Evangelho; vivendo corretamente o Evangelho.

2. Como o nosso próximo, devemos amá-lo: valorizando-o; priorizando-o; buscando levá-lo à fé cristã.

3. Como sistema pecaminoso, gerenciado por Satanás, devemos repulsá-lo: vivendo em santidade; não amando o mundo; não nos conformando com o mundo; equipando-nos com os equipamentos espirituais.

Creio que é chegada a hora de AGIR!

Não basta o conhecimento intelecto-teológico de todos os conceitos e princípios aqui desenvolvidos. Inútil será todo o tempo gasto com repetidos seminários, congressos, simpósios ou outros eventos, nos quais as constatações frustrantes são reiteradamente lamentadas e as propostas e os projetos são oferecidos à consideração, amplamente discutidos e deliberados como soluções viáveis, mas sem a necessária aplicação prática na vida da Igreja e de cada cristão.

Não bastam projetos, planos e discursos que ficam apenas no papel! Passemos à atuação humilde, firme, resoluta e constante dos conceitos e princípios bíblicos que informam o cumprimento correto de nossa responsabilidade perante o mundo. É preciso que nos apliquemos, como cristãos responsáveis, com determinação e seriedade, na prática do nosso viver diário de cada um desses conceitos e princípios expostos!

Só assim cumpriremos com fidelidade a nossa responsabilidade perante o mundo. A Deus, toda a glória!

autor: Jayro Gonçalves.