• Português

Escolhendo com responsabilidade

"...escolhei, hoje, a quem sirvais ... Eu e minha casa serviremos ao Senhor"

(Josué 24:15)

Outubro, no Brasil, é o mês de escolhas importantes. Neste ano acontecem as eleições dos mandatários governamentais em todos municípios dos estados brasileiros. Da escolha feita pelos cidadãos depende a boa ou má gestão dos assuntos administrativos e políticos e o próprio bem estar da coletividade. Claro, pois, que essa escolha envolve tremenda responsabilidade. Infelizmente a falta desta, na prática do solene ato de escolha, implica em conseqüências danosas.

Pressões de cunho político-eleitoreiro e interesses escusos, tanto por parte de quem escolhe como de quem é escolhido, acabam prevalecendo na ação eletiva, deturpando todo o processo de escolha e resultando nas incômodas e aflitivas condições da vida cotidiana. Muitos lamentam o fato, mas não adotam a condição essencial para que esse quadro reverta: ESCOLHER COM RESPONSABILIDADE.

Tal ordem de idéias conduz-nos à reflexão do fato de que a nossa vida não passa de uma sucessão de escolhas, em função das quais vão se definindo os caminhos seguidos e os alvos a serem alcançados. Hábitos, amigos, escolas, profissões, família e um sem número de comportamentos essenciais à própria realidade existencial procedem da nossa "escolha".

Dessas escolhas dependem o nosso próprio destino e as variadas experiências da vida. Sem “responsabilidade” tais escolhas redundarão, inevitavelmente, no nosso completo fracasso. Mas além das escolhas de ordem temporal, há uma, de muito maior importância, pois nos envolve com a realidade eterna. Muitos a ignoram por conveniência da natureza humana.

Essa pecaminosa ignorância não muda os fatos eternos e não nos afasta deles. Diz a Palavra de Deus: "Alegra-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem o teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas."  (Ec.11:9).

Como cristãos há a imperiosa escolha que temos de fazer para definir a aprovação de Deus, na inevitável avaliação da nossa "espiritualidade". Não escaparemos do Tribunal de Cristo (1Co.5:10). Por isso, devemos fazer a ESCOLHA COM RESPONSABILIDADE.

Ilustra bem essa essencial atitude na vida cristã o grande desafio de Josué ao povo de Israel, após ter alcançado a grande bênção da conquista da terra, há séculos prometida por Deus. Fazendo emocionante retrospectiva da maneira como Deus os abençoara, tudo lhes concedendo, coloca todos, solenemente, perante uma "escolha" essencial e definidora da bênção futura (veja Js.24).

Na verdade, Josué mostra ao povo que todo o futuro abençoado dependeria da ESCOLHA COM RESPONSABILIDADE que fizessem, dizendo-lhes: "Escolhei, hoje, a quem sirvais". A única escolha responsável seria a de servir ao Senhor! O que isso implicaria? O contexto nos esclarece:

  1. FIDELIDADE (v.14) - É a "fidelidade" a Deus e aos ditames da Sua Palavra que nos tornam responsáveis nas escolhas que devemos fazer para cumprir o Seu propósito para nós, ao nos fazer Seus filhos e membros da Sua família. A "fidelidade" fundamenta a nossa "responsabilidade".
  2. INTEGRIDADE (v.14) - Não se concebe ato responsável sem "integridade". É a qualidade de quem é inteiro. Implica em inteireza moral e espiritual, em retidão no comportamento total, sem hipocrisias e falsidades. Ninguém pode ser íntegro em parte, porque a integridade pressupõe inteireza na virtude manifesta. É indispensável à prática da escolha responsável.
  3. SANTIDADE (vs.14,15,19,20,23) - Josué fez ver ao povo a responsabilidade de ter uma vida totalmente consagrada ao Senhor, exigindo-lhe lançar fora os deuses estranhos. Deus deve ser exclusivo e prioritário na nossa opção de servi-Lo, pois não admite que dividamos com ídolos a devoção e o serviço que Lhe devemos. Responsabilidade em nossa opção de servi-Lo implica na corajosa atitude de lançar fora os ídolos estranhos, preservando a santidade.
  4. SUBMISSÃO (vs.16-18,21,24) - Repetidas vezes, no texto, o povo respondeu ao desafio de Josué manifestando a sua escolha com responsabilidade, quando afirmou o seu reconhecimento à fidelidade de Deus, o seu desejo de jamais abandoná-Lo, e a sua disposição expressa de obedecê-Lo, servindo-O com total submissão.

ESCOLHAS RESPONSÁVEIS, na vida cristã, trazem bênçãos de Deus.

autor: Jayro Gonçalves.